Tolerância, convivência e conflitos religiosos

(imagem adicionada por Henrique)

    

Olá a todas/os,

   

Motivado pela participação do Fórum Inter-religioso para uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença, realizado em 19/1/12 na Secretaria da Justiça do Estado de São Paulo, onde falou-se intensamente sobre tolerância, resolvi escrever o artigo :

   

Tolerância, convivência e conflitos religiosos

  
Coloco abaixo o índice dele (acionando-se um vínculo, desvia-se direto para a seção correspondente):

 1. Introdução
 2. Correntes de pensamento
 3. Por que existem tantas correntes?
 4. Existe uma corrente melhor do que as outras?
 5. Deve-se fazer proselitismo?
 6. Por que ser tolerante? Como tornar-se tolerante?
 7. A convivência exige algo mais do que tolerância ativa?
 8. Como educar e autoeducar-se para a tolerância?
 9. A tolerância é um sacrifício?
10. Como alcançar a tolerância universal?
11. Referências

  

Como sempre, críticas e sugestões são muito bem vindas. Não gostei muito do título, se alguém tiver um melhor, agradeço a sugestão.

  

aaaaaaaaaaaaaaa, VWS.

Exibições: 2192

Tags: convivência, correntes, materialismo, religiões, tolerância

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Henrique em 9 outubro 2020 às 21:57

muito bom

Comentário de Joao Andreiov em 15 fevereiro 2012 às 11:11

Gostei do forum e tambem da participaçao de todos,so gostaria de dizer que onde trabalho existem,catolicos,protestantes,espiritas,e todos se respeitam e ate as vezes discutem proveitosamente o assunto da tolerançia religiosa vezes concordando,vezes nao mais sempre respeitando,acho que estamos num bom caminho,paz e luz a todos.

Comentário de Leila de Lucca em 15 fevereiro 2012 às 8:46

De fato, acredito que o materialismo das igrejas, colabore para que o ser humano se acomode em suas buscas de respostas para suas dúvidas quando se trata de crenças.É mais fácil acreditar no que o pastor fala, do que pensar por si próprio.Isso envolve também o fato de que a maioria age pensando no que os seus próximos irão pensar.Vivem de aparências.No entanto, quando procuram uma instituîção religiosa pela necessidade de conforto e ajuda no momento difícil,logo que se equilibram percebem que estão sendo manipulados pelo lado material se afastam logo.Sendo assim, espero que cada dia mais pessoas despertem e não se deixem enganar pelos aproveitadores das igrejas.Não sou contra igrejas e religiões.Todas elas dizem falar em nome de Jesus e abusam disso.Jesus não fundou nenhuma religão nem igrejas.Nem tudo o que sew diz em seu nome é verdade.Cada um pode fazer suas escolhas e bancar as consequências.Para isso é preciso maturidade.

Comentário de ednamara soares xavier em 14 fevereiro 2012 às 19:43

acredito eu que todas as religioes sao boas desde que possa  passar a mensagem de jesus atraves do evangelho,mas nao deve ser imposta para ninguem cada um deve seguir aquela que lhe compreender e entender melhor conforme seu grau de conhecimento.lembrando que estamos caminhando para unifiçao de todas as religioes  desde que seja boa e divulgui o evangelho a todos quanto forem possivel.ednamara

Comentário de Valdemar W. Setzer em 14 fevereiro 2012 às 18:10

Olá, Leila e leitores,

A situação é mais grave, Leila. Muitas religiões estão produzindo o materialismo, como apontei em meu artigo.

aaaaaaaaaaaaaaaa, VWS.

Comentário de Leila de Lucca em 14 fevereiro 2012 às 17:09

Acredito que as diferenças nos são impostas primeiro pela educação. Há pais mais religiosos e outros menos e também os fanáticos que impõe regras que ,até são difíceis de cumprir por eles próprios, gerando assim hipocrisia.Podemos esperar que quando adultos essas crianças sejam livres para fazer suas escolhas,para decidir em que querem acreditar.No mais penso que cada espírito tem seu grau de evolução espiritual, portanto o discernimento de crenças para cada ser são totalmente individuais e nem todos os seres tem necessidade de frequentar ou seguir a uma religião. Quanto menos conhecimentos tem uma pessoa ,mais ela tem necessidade de pertencer a um grupo religioso qualquer .Para ela é até uma questão de status social.

 

Comentário de Eduardo Marcic Neto em 14 fevereiro 2012 às 10:24

Allan Kardec não foi o criador de uma doutrina e sim um cientista espiritual, pois ele deixou bem claro que sua obra poderia ser ampliada no futuro; algumas perguntas não foram respondidas pelo espirito da verdade, porque ainda não era o momento. Ele foi um pesquisador sério da ciência espiritual assim como Helena Blavatsky, Rudolf Steiner e outros; como cientistas eles jamais criaram dogmas religiosos, porque sabiam muito bém que a evolução traria novos conhecimentos. Não há nenhuma dúvida de que um dia a ciência espiritual fará parte do ensino acadêmico, e a lei da reencarnação será aceita como uma lei universal.

Comentário de Roberto Amancio Cruz em 12 fevereiro 2012 às 21:12

Intolerância jamais, respeito as diferenças, intelectuais, de opções sexuais, de orientação politica, oureligião, não

é preciso concordar, só respeitar. 

"A ignorância não fica tão distante da verdade quanto o preconceito".(Denis Diderot)

Comentário de Eduardo Marcic Neto em 12 fevereiro 2012 às 14:44

Precisamos do convívio social por uma questão de sobrevivência, pois os seres humanos são gregários por natureza, só que a natureza é imparcial e é criação de um poder supremo, isso é são leis universais incontestáveis.

"O preconceito é algo que não foi bém compreendido." Valtaire (1696 - 1779)

Comentário de Paulo Barros em 12 fevereiro 2012 às 13:57

Bem esplanado e didático

© 2021   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!