Esta sede insaciável de prazer renovado, leva-te ao desequilíbrio. 
Essa busca irrefreável de afeto que te plenifique, conduz-te ao abismo da loucura. 
Tal ansiedade por encontrar quem te compreenda e apóie, oferecendo-te segurança integral, empurra-te para os precipícios dos vícios dissolventes. 
A pressa de encontrar quem esteja disposto a doar-te ternura, afasta os corações que pretendem ajudar-te, porque em faixa afetiva diferente eles se te afeiçoam em espírito, enquanto vibras outra forma de necessidade. 
A insatisfação, face ao muito que desfrutas, gera em ti distúrbio lamentável de comportamento, que ameaça a tua vida. 
O que falta, a qualquer pessoa, é resultado do seu mau uso em oportunidade transata. 
Carência de hoje, foi desperdício de ontem. 
Ninguém há, que se encontre, na Terra, completo e realizado. 
Na área da afetividade, a cada momento defrontamos amores eternos que depois se convertem em pesadelos de ódio e crime. 
Muitas promessas "para toda a vida", às vezes, duram uma emoção desgastante e frustradora. 
Sorrisos e abraços, júbilos infindos de um momento, tornam-se, sem motivo aparente, carantonhas de rancor, agressões violentas e amarguras sem nome. 
Tudo, no mundo corporal, é transitório, forma de aprendizagem para vivências duradouras, posteriormente. 
Assim, evita sonhar, acalentando esperanças absurdas, nas quais pretendes submeter os outros aos teus caprichos pessoais, que também passarão com rapidez. 
O que agora te parece importante, mais tarde estará em condição secundária. 
Ontem aspiraste determinada conquista que, lograda, hoje não te diz mais nada. 
Se desejas o amor de plenitude, canaliza as tuas forças para a caridade, transformando as tuas ansiedades em bem-estar noutros muito mais necessitados do que tu. 
Não desvies a tônica da tua afetividade, colocando sentimentos imediatistas, que te deixarão ressaibos de desgostos e travos de fel. 
A outra, a pessoa que, por enquanto, consideras perfeita e capaz de completar-te, é tão necessitada quanto o és tu. 
Na ilusão, adornas-lhe o caráter, para descobrir, mais tarde, o ledo engano. 
Conserva puro o teu afeto em relação ao próximo e não te facultes sonhos e fantasias. 
Aquilo que mereces e de que necessitas, chegará no seu momento próprio. 
Reencarnaste para aprender e preparar o futuro, não para fruir e viver em felicidade que ainda não podes desfrutar. 
Cuidado, portanto, com as aspirações-tentações, que se podem converter em sombras na mente e em sofrimentos incontáveis para o coração. 

Afirmou Jesus, que os Seus "discípulos seriam conhecidos por muito se amarem", sem que convertessem esse sentimento-luz em grilhão-treva de paixão. 


Autor: Joanna de Ângelis
Psicografia de Divaldo Franco. Do livro: Vigilância.

 

Exibições: 880

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Jane Castro em 4 junho 2014 às 11:00

Não consigo compartilhar no face.... :((

Comentário de Jane Castro em 4 junho 2014 às 10:35

Que benção!!!!

Comentário de Jb Araujo em 4 junho 2014 às 10:00

belissimo...é viver em luz divina

Comentário de claudie lopes em 12 março 2014 às 22:14
É,Amiga Sueli. É pra aprender que recebemos a oportunadade de viver! É errando,e aprendendo com nossos erros,que crescemos...e aprendermos a respeitar os limites e dificuldades do outro, e os próprios. E aprendemos a ter um olhar mais compreensivo e menos acusador...
Grande abraço!
Comentário de Fernando Morais em 12 março 2014 às 20:02

Este texto é um monumento, pela riqueza da sua mensagem .Sem dúvida o Homem para ter serenidade equilíbrio precisa  muito de DEUS PAI.

A parte final do texto é mesmo extraordinária porque é um ponto cardeal da vida ."Sem que convertessem esse sentimento -luz em grilhão -treva de paixão."

Este texto merece os meus sinceros parabéns, pela sua qualidade elevação e objectivos.

Obrigado Claudie Lopes.

Comentário de Sueli Rocha em 12 março 2014 às 15:07
Comentário de claudie lopes em 11 março 2014 às 23:42
Aí,aí...assunto espinhoso! Nem sempre, como disseram,se trata de paixões grosseiras. Algumas vezes somos atraídos por simpatias (quase) irresistíveis,algumas provenientes de reminiscências de vidas passadas...é se esses reencontrou nos pegam em momentos de nossas vidas onde já assumimos um compromisso com outro alguém, é forçoso que reconheçamos esse espírito afim como um amigo querido,mas que não é a pessoa com a qual temos que resolver muitas pendências -AGORA.
Outras vezes,esses reencontrou ou, por outro lado paixões grosseiras,nos são trazidos para nos testar as próprias fraquezas de caráter ou até mesmo pra noss desestabilizar e atrapalhar nossos roteiros reencarnatorios...
O importante é sabermos reconhecer essas situações e lembrarmos da advertência:"Tudo nos é lícito,nas nem tudo nos convém."
Comentário de adão de araujo em 11 março 2014 às 21:12

ALELUIA!!! Que bom reencontrar os excelentes textos postados por você amiga Claudie.

        Com referência a mensagem da Joana de Angelis (bisturí sem anestesia), não há o que discordar.

        Não conheço muita gente, mas dentre aqueles queconheço ou conheci a maioria, senão. todos, já passaram ou estão passando pelos processos referidos pela mentora. E, quem não passou nem está passando,,provavelmente,, no futuro passará. E, este escriba também está incluso nesse grupo de risco. Certamente devemos isso ao nosso estágio.atual... um dia sairemos desse atoleiro, afinal:  "O reino do céus está dentro de vós", disse o Nazareno.

        Volte mais vezes, Clô. Abraços.

Comentário de Alexandre Magno em 11 março 2014 às 18:45

Caiu como uma luva! Abençoada Doutrina! 

Comentário de Marina da Rocha e Silva em 11 março 2014 às 16:02

 Amei esta mensagem De Joanna de Ângelis ,quanta verdade em palavras simples que nos faz pensar.Obrigada por tão grande ensinamento !!

© 2020   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!