Quantos de nós nos consideramos homens de bem?

Segundo Allan Kardec, na questão 918 de O Livro dos Espíritos, e no capítulo XVII, item 3, de O Evangelho segundo o Espiritismo (ESE) “o verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza”.

Exibições: 58

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Ana Cercal de Oliveira em 30 setembro 2011 às 14:51

Adão

Foi muito bom ler o que você escreveu...Ufa!!! Luto todo dia e procuro vencer as más tendências, mas acredito que estou bem longe de ser um homem de bem na estrita acepção da palavra. Abraços.

Comentário de adão de araujo em 27 setembro 2011 às 23:07

Oi querida irmã Ana. Para ser um verdadeiro homem de bem de acordo com a definição proposta pelo Livro dos Espíritos e o  Evangelho Seg. o Espiritismo, acredito que ainda tenho de "ralar" muito.

Veja um exemplo: alguns dias atrás colocamos para debate em  um grupo aproximado de 40 pessoas que estudam

Espiritismo, aquele fato referente a um homem o qual tendo cometido um delito, condenado a 12 anos de reclusão, fugiu da justiça sem cumprir a pena. Encontrado 11 anos depois: SURPRESA! Estava trabalhando honestamente e era respeitadíssimo não só no seu trabalho como na comunidade onde estava residindo (foragido). Colegas, patrões e toda comunidade ficaram estarrecidos ao saber que ele tinha um débito com a Justiça. Esta mesma Justiça, cumprindo o que determina a lei, mandou-o para a prisão pois era foragido.

A pergunta que nós (os 40 estudantes de Espiritismo) colocamos foi esta: Você concorda que esse cidadão deveria ser preso, após todo esse tempo em que ficou evidenciado ser um trabalhador honesto e não oferecer perigo para a sociedade, apesar de ser um foragido?      Como a Doutrina Espírita vê isso?

Querida Ana, nós debatemos quase 2 horas e não chegamos a um consenso.

Veja então, Ana, nossa dificuldade em solucionar uma simples questão de justiça. Imagine quanto estamos longe de entender a justiça em sua maior pureza. E o amor? E a caridade?

Portanto, penso estarmos muito longe de sermos verdadeiros homens de bem.

Gosto mais desta:" Conhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que faz para vencer as más tendências." Esforços, pelo menos estamos fazendo. Ou não?

Abraços e muita paz.

© 2020   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!