Principais Ensinamentos da Seicho-No-Ie e Doutrina


Principais Ensinamentos da Seicho-No-Ie

A Verdade essencial da Seicho-No-Ie é: "O Homem é Filho de Deus" e, sendo assim, é herdeiro de todas as dádivas dele. Basta apenas que se conscientize disso para manifestar no mundo fenomênico (mundo material) a sua perfeição.
Para isso, há várias práticas adotadas pelos praticantes da Seicho-No-Ie, sendo as mais importantes:
  • Prática da Meditação Shinsokan (que, numa tradução livre, significa "ver e contemplar Deus").
  • Leitura de Sutras Sagradas e palavras da Verdade;
  • Prática de atos de amor e caridade;
A Seicho-No-Ie também estuda as "leis mentais", das quais se destaca a lei "Os semelhantes se atraem" (Lei da Atração).
Normas Fundamentais dos Praticantes da Seicho-No-Ie:
  • 1ª) Agradecer a todas as coisas do Universo;
  • 2ª) Conservar sempre o sentimento natural;
  • 3ª) Manifestar o amor em todos os atos;
  • 4ª) Ser atencioso para com todas as pessoas, coisas e fatos;
  • 5ª) Ver sempre a parte positiva das pessoas, coisas e fatos, e nunca as suas partes negativas;
  • 6ª) Anular totalmente o ego;
  • 7ª) Fazer da vida humana uma vida divina e avançar crendo sempre na vitória infalível;
  • 8ª) Iluminar a mente, praticando a Meditação Shinsokan todos os dias sem falta.

Masaharu Tanigochi


A Doutrina da Seicho-no-iê é alicerçada nas escrituras de Masaharu Taniguchi, sendo as mais importantes entre os adeptos, a "Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade" (Seikyo Kanro-no-Hou) e a Coleção "A Verdade da Vida" (Seimei no Jissô), composta por 40 volumes, que sintetiza as pregações de Taniguchi. Estas obras são publicadas no Japão pela Nippon Kyobunsha Co. Ltd. e, no Brasil, pela Seicho-no-iê do Brasil.
  • Verdade Vertical: Só Deus e o que Ele cria existem verdadeiramente, ou seja, não tem início nem fim, é eterno, infinito (Ele é o Bem, o Criador, a Verdade, Jissô (Imagem Verdadeira), etc.). Como o homem (na sua essência espiritual) também é criação de Deus, ele possui a mesma natureza infinita de Deus. Daí vem a principal convicção do adepto da Seicho-No-Ie: "O Homem é Filho de Deus".
  • Verdade Horizontal: O mundo fenomênico é projeção da mente humana; o mal não existe, ou seja, tem início e fim, é efêmero, não é eterno, é finito (ele é apenas criação da mente humana). Da mesma forma, a doença, a morte, o envelhecimento e os pecados também não existem porque são derivações desse mesmo mal (ilusões da mente humana); Todas as coisas perceptíveis aos cinco sentidos e também ao sexto sentido não são existências reais porque não têm a mesma natureza perfeita de Deus. Elas são, portanto, projeções da mente humana (ilusão) que constitui a causa dos sofrimentos humanos.
  • JISSÔ: A realidade absoluta, transcendental, o ser verdadeiro, absoluto, eterno e perfeito, constituído de Idéia de Deus; a Essência do ser.

Exibições: 5802

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Zenilda Reboucas em 9 fevereiro 2012 às 12:58

Muita paz á todos.

Comentário de Mário Jorge F. Silva em 8 fevereiro 2012 às 13:48

Conheci a Seicho-No-Ie em 1977, aos 22 anos e tornei-me adepto. Hoje sou Preletor em grau Júnior e Presidente de uma Associação Local. O que tenho a dizer é que não devemos nos deixar influenciar pelas pessoas porque as pessoas não são o ensinamento. O nosso mestre verdadeiro é Deus. Devemos concentrar no ensinamento recebido de Deus pelo Mestre Taniguchi (Que também foi adepto e apenas uma trombeta de Deus)Fenômenicamente as pessoas não são perfeitas e o comportamento delas muitas vezes não refletem a pureza do grandioso ensinamento.

Comentário de Carmen Rosa de Azeredo em 7 fevereiro 2012 às 23:33

 Cristiane,  muito interessante tua idéia de explicar para que as pessoas entendam esta filosofia , atraves da qual , absorvendo os ensinamentos  podemos melhorar,.. e muito,  nossa maneira de viver.   

 Abraço fraterno...."Muito Obrigado !"

Comentário de José Ivo dos Santos em 7 fevereiro 2012 às 21:14

[....] O grande mal do ser humano, creio, é que ele adora apresentar primeiro  o 'produto' .... Deixa a ignorância tomar conta da matéria, e, tecer suas conclusões; na maioria das vezes: Errôneas........Para depois, vir, em público, postar.....Sobre o real sentido das cousas e seus encaminhamentos. Começo, meio e fim de seus projetos e crenças, ceitas, etc, são segredo de estado !. Para Quê ? Eles, os humanos, adoram os holofotes (não todos, claro!!). "Pouso de ave com uma asa só ",.... Merece aplausos......pois, só ela faz com perfeição. Nos parece, que alguns guardam consigo: o 'pulo  perfeito' ! abraços e muita Paz.  

Comentário de Ronaldo Oliveiros em 7 fevereiro 2012 às 18:27

Olá aos amigos do Spirit book,tive a oportunidade de ingressar no curso de preletores da Seicho-no iê,e já no primeiro ano eu tive que abandonar este curso por conta dessas observações...A seicho-no iê é uma filosofia simplesmente Maravilhosa...uma filosofia de vida inatacável,o que se coloca na vida de cada um para o seu próprio aprimoramento é irrepreensivel...qualquer pessoa que a estudar com real interesse obterá grandes resultados...O que me decepcionou profundamente não é a filosofia...mas sim a Hierarquia...pessoas muito interesseiras no ganho excessivo do dinheiro e que não pude deixar de observá-lo...e ao longo de mais de 3 anos de convivência pude presenciar várias pessoas dentro dessa hierarquia...e mais ainda,lutando cada um quase por si só,a fim da obtenção de suas cobiças pessoais...por tanto me desculpe a franqueza...a filosofia da Seicho-no-iê tem o total apreço de minha parte...mas não posso deixar de mencionar este caso,infelismente lamentável...espero que nos dias de hoje essas pessoas da hieraquia tenham conseguido elevar-se um pouco mais ao nivel do Mestre masaharu tanigochi

Comentário de Mariluce Paixão Ramos Gonçalves em 7 fevereiro 2012 às 10:03

Nossos bons pensamentos nos aproximam...mesmo que estejamos caminhando por diferentes estradas. Beijos fraternos.

Comentário de Silas R Pais em 6 fevereiro 2012 às 19:06

A vida divida de Deus se manifesta em cada um de nós.

 

Comentário de marco antonio claudio Claudio em 6 fevereiro 2012 às 11:55

muito obrigado, muito obrigado, muito obrigado...

Comentário de Valdemar W. Setzer em 6 fevereiro 2012 às 10:11

Olá a todos/as,

Muito interessante, com algumas excelentes recomendações de atitudes interiores. Mas não estou de acordo principalmente com dois pontos: "6ª) Anular totalmente o ego" e "o mal não existe". Talvez esses pontos exigem mais explicações para se compreender o que se quis expressar com essas frases.

Vou entender o ego como a individualidade superior, não física, e com o qual nós podemos entrar em contato com as verdades eternas, com o mundo puramente espiritual. O seu desenvolvimento foi uma das características mais importantes da humanidade. Parece-me que é justamente por causa da percepção intuitiva cada vez maior do Eu do outro, que os direitos humanos se desenvolveram. Isto é, respeita-se a individualidade do outro pois percebemos que ela existe, e é da mesma natureza que a nossa, apesar de diferente de pessoa para pessoa. É por causa do desenvolvimento do Eu que hoje as pessoas se sentem como adultos responsáveis, não querendo ser mandadas mas querendo participar das decisões. E é por isso que estruturas gerenciais hierárquicas, que justamente abafam o Eu das pessoas nos escalões inferiores, não correspondem mais à nossa constituição suprassensível atual, daí as frustrações que essas estruturas provocam.

Não foi à toa que, na transição dos tempos, alguém disse pela primeira vez "Em verdade, EU vos digo...", apontando com isso para o que deveria ser desenvolvido na humanidade, e que começou a se efetivar a partir do séc. XV (por exemplo, antes disso os artistas em geral não assinavam suas obras).

Quanto ao mal, é fundamental que se reconheça que ele é uma força que tenta destruir a natureza e a humanidade. Sem o reconhecimento das forças do mal, não podemos evitá-lo e redimi-lo. As doenças não são ilusões, são em geral necessidades de nosso carma, justamente para corrigir efeitos do mal.

"Todas as coisas perceptíveis aos cinco sentidos e também ao sexto sentido não são existências reais... " De fato, o que percebemos depende de nossos sentidos, mas aí ocorre um fenômendo fundamental: nosso pensamento liga a nossa percepção com a essência dos objetos. Isto é, o pensamento completa a percepção, ligando-nos com o que há de essencial, o conceito não físico, em cada objeto ou ser vivo, em uma ação feita por nosso Eu superior.

aaaaaaaaaaaaaaaa, VWS.

Comentário de José Leocrides Martins em 6 fevereiro 2012 às 9:41

Meus parabéns Renato!!!

Continue divulgando a nossa grandiosa Filosofia de VIDA Seicho-no-ie.

Ótima e abençoada semana!!!

Abraço!

Th+

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!