PARTIDA E CHEGADA

 

Quando observamos, da praia, um veleiro a afastar-se da costa, navegando mar adentro, impelido pela brisa matinal, estamos diante de um espetáculo de beleza rara.O barco, impulsionado pela força dos ventos, vai ganhando o mar azul e nos parece cada vez menor. Não demora muito e só podemos contemplar um pequeno ponto branco na linha remota e indecisa, onde o mar e o céu se encontram. Quem observa o veleiro sumir na linha do horizonte, certamente exclamará: "já se foi".

 

Terá sumido?

Evaporado?

 

Não, certamente. Apenas o perdemos de vista. O barco continua do mesmo tamanho e com a mesma capacidade que tinha quando estava próximo de nós. Continua tão capaz quanto antes de levar ao porto de destino as cargas recebidas.

 

O veleiro não evaporou, apenas não o podemos mais ver.

 

Mas ele continua o mesmo. E talvez, no exato instante em que alguém diz: "já se foi", haverá outras vozes, mais além, a afirmar: "lá vem o veleiro".

 

Assim é a morte.

 

Quando o veleiro parte, levando a preciosa carga de um amor que nos foi caro, e o vemos sumir na linha que separa o visível do invisível dizemos: "já se foi".

 

Terá sumido?

Evaporado?

 

Não, certamente. Apenas o perdemos de vista. O ser que amamos continua o mesmo.

 

Sua capacidade mental não se perdeu. Suas conquistas seguem intactas, da mesma forma que quando estava ao nosso lado. Conserva o mesmo afeto que nutria por nós.

 

Nada se perde, a não ser o corpo físico de que não mais necessita no outro lado. E é assim que, no mesmo instante em que dizemos: já se foi", no mais além, outro alguém dirá feliz: "já está chegando". Chegou ao destino levando consigo as aquisições feitas durante a viagem terrena. A vida jamais se interrompe nem oferece mudanças espetaculares, pois a natureza não dá saltos. Cada um leva sua carga de vícios e virtudes, de afetos e desafetos, até que se resolva por desfazer-se do que julgar desnecessário.

 

A vida é feita de partidas e chegadas. De idas e vindas. Assim, o que para uns parece ser a partida, para outros é a chegada. Um dia partimos do mundo espiritual na direção do mundo físico; noutro partimos daqui para o espiritual, num constante ir e vir, como viajores da imortalidade que somos todos nós.

 

Victor Hugo

(Extraído do livro "A Reencarnação Através dos Séculos")

 

Exibições: 615

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Jorge Latorre Herrera em 24 julho 2013 às 15:50

que maravilhoso é  o papai deus

Comentário de Oriana Ruiz em 23 julho 2013 às 21:51

* muito linda essa mensagem, vou compartilhar com alguém que justamente, na quinta feira passada teve a tristeza de perder a mãe...eu sei que vai reconfortar, agradecida pelo que me consta, porque justamente esse mês de Julho meu pai estará fazendo um ano que se foi, saudades deles...e essa mensagem tão linda me fez refletir e muito...agradecida ...*

Comentário de luiz carlos lomba em 23 julho 2013 às 19:05

Lindíssimo! Verdadeiro! Emocionante....

Comentário de HILDA SOARES em 23 julho 2013 às 18:47
Quando Lemos textos como este sentimos saudade e alento, pensando nos entes queridos, que partiram como um veleiro.
Bjs a todos
Comentário de Inácia Adelaide Schuchter em 23 julho 2013 às 18:33

texto maravilhoso!!!!

Que todos nós possamos extrair seus ensinamentos com muito proveito.

Comentário de beatriz aparecida cardoso em 23 julho 2013 às 18:24

OTIMO

Comentário de Rose Régis em 23 julho 2013 às 18:19

Nossa, esse livro deve ser muito bom !!!

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!