PARAPSICOLOGIA, o que é, o que estuda ?

paranormalidade

Parapsicologia é o processo científico de investigação dos fenômenos inabituais, de ordem psíquica e psico-fisiológica. Popularmente, os fenômenos parapsicológicos básicos são categorizados da seguinte forma:

Telepatia: Comunicação direta de mente para mente.

Precognição: Também chamada de premonição. Obtenção de informações sobre eventos futuros, em que a informação não possa ter sido inferida através de meios normais. Muitas pessoas relatam sonhos que parecem ser precognitivos.

Clarividência: Algumas vezes chamada de visão à distância; obtenção de informação sobre eventos em localizações distantes, ou seja, além da possibilidade de apreensão sensorial normal.

ESP: Percepção extra-sensorial um termo geral que designa a obtenção de informações sobre eventos que se encontram além da possibilidade de percepção sensorial normal. Esse termo inclui a telepatia, a clarividência e a precognição.

Psicocinesia: Também conhecida como PK, é a interação mental direta com objetos físicos, animados ou inanimados.

Bio-PK: Interações mentais diretas com sistemas vivos.

EPM (Experiência próxima da morte): a experiência relatada por aqueles que reviveram de uma quase-morte. Freqüentemente se refere a uma experiência profunda que abrange sentimentos de paz, experiências fora-do-corpo, visão de luzes e outros fenômenos.

EFC (Experiência fora-do-corpo): a experiência de se sentir separado do corpo, freqüentemente acompanhada por percepções visuais, como se a pessoa estivesse acima do corpo físico.

Reencarnação: Relatos, tipicamente infantis, de aparente lembrança de vidas anteriores.

Assombração: Fenômeno repetitivo que se diz estar associado a uma localização em particular e que inclui aparições, sons, movimentos de objetos e outros efeitos.

Poltergeist: Fenômenos psicocinéticos (PK) de grandes proporções, freqüentemente atribuídos aos espíritos, mas que são compreendidos atualmente como sendo produzidos por pessoas vivas, freqüentemente adolescentes.

Psi: Um termo neutro para designar os fenômenos parapsicológicos. “Psi” e “parapsicológico” também são usados como adjetivos sinônimos.

Os fenômenos aparentemente inexplicáveis produzidos pela mente são estudados pela parapsicologia e denominados fenômenos parapsicológicos. Estes são exteriorizados pelo subconsciente através de um dos cinco sentidos ou até mesmo através da nossa própria energia. Tudo o que criamos em nossa mente estamos na verdade programando o nosso Subconsciente e este por sua vez atrai as oportunidades para o que foi programado tornar-se realidade. O que plantamos em nossa mente com certeza colheremos mais tarde. E esta é a grande descoberta que a Parapsicologia moderna veio nos trazer. O subconsciente move toda a nossa realidade, portanto muito cuidado com o que você programa em sua mente através dos pensamentos e emoções. É uma disciplina científica, mas não propriamente uma ciência, pois o seu lugar científico é nos quadros da Psicologia. Os próprios fundadores da moderna Parapsicologia sustentam a sua natureza dependente, embora reconhecendo a necessidade de sua autonomia transitória. É necessário compreendermos isso para não atribuirmos à nova disciplina numa posição excepcional no plano do conhecimento, e sobretudo para não lhe darmos um sentido ou um caráter misterioso. O que Rhine (pesquisador de fenômenos parapsicológicos) revelou até agora, com segurança, é que há uma força ‘extrafísica’ que atua sobre todos nós, sem a participação dos sentidos. Essa força existe. É real. Incontestável. Mas totalmente misteriosa quanto à natureza, à origem. Quando alguém se diz apoiado na parapsicologia para justificar contatos extraterrestres, levitação, reencarnação, aparecimento de espíritos, telecinésia, telepatia ou qualquer fenômeno deste tipo, está tentando obter um endosso que a parapsicologia não lhe dá. A Parapsicologia não estuda tudo o que parece paranormal ou incomum, por exemplo, ela não estuda os Ufos, ocultismo, etc. A Parapsicologia também não é sinônimo de astrologia, alquimia, feitiçaria, etc. Paranormais, videntes, místicos, mágicos, hipnólogos e terapeutas alternativos entre outros, freqüentemente se auto denominam parapsicólogos, o que de fato, não são. A Parapsicologia permanece polêmica ainda hoje, mesmo com resultados substanciais, persuasivos e cientificamente aceitáveis, por três razões principais:

 1ª) A mídia e grande parte do público freqüentemente confunde Parapsicologia com crenças sensacionais e não científicas e histórias sobre “o paranormal”. A difusão dessas idéias confusas tem levado muitos cientistas a simplesmente rejeitar o campo como sendo indigno de estudo sério e, assim, pensam que não valeria a pena gastar seu tempo para examinar a evidência existente.

2ª) Mesmo que alguém procure estudar a evidência, muitos dos trabalhos persuasivos estão publicados em revistas profissionais especializadas que têm uma circulação limitada. Essas revistas podem ser encontradas nas bibliotecas das grandes universidades mas, em muitos casos, os estudantes devem procurar reedições e relatórios técnicos dos autores.

3ª) Algumas pessoas têm medo de que psi possa ser existir de verdade. O medo da psi surge, por exemplo, porque as pessoas pensam o seguinte:

1. A psi está associada a forças diabólicas, à mágia e à bruxaria.

2. A psi sugere a perda dos limites normais do ego.

3. As pessoas podem ser capazes de ler sua mente e saberem que você, secretamente (ou inconscientemente), alimenta pensamentos sexuais, agressivos ou coisas piores.

4. Se você fala sobre psi, as pessoas podem pensar que você está louco(a).

5. Se você pensa que vivencia fenômenos psi, talvez você esteja louco(a).

6. Antes de você completar seis anos de idade, seus pais desaprovaram suas pequenas demonstrações de telepatia.

7. Refletir sobre psi nos leva a uma mentalidade supersticiosa medieval que, por sua vez, irá manter uma corrente crescente de pensamentos primitivos e perigosos.

8. Com a ESP você pode saber coisas que você não quer saber sobre você e sobre outras pessoas – isto é, acidentes que estão por acontecer e coisas que você preferiria não ter a responsabilidade de sabê-las.

9. Se isso (8) acontece com você, especialmente se você é uma criança, há uma tendência de que você se sinta responsável pelo que fato que você previu.

10. A psi pode interferir nos processos humanos normais de separação e desenvolvimento do ego. Portanto, nós planejamos estratégias sutis para a inibição cultural.

11. Se você for um telepata, como vai distinguir seus próprios pensamentos dos pensamentos dos outros? Talvez isto leve a doenças mentais.

12. Muitas pessoas têm um traço auto-destrutivo de personalidade. Que danos poderiam ocorrer se a psi fosse usada a serviço desse fator? Jule Eisenbud escreveu sobre isto em seu livro: “A Parapsicologia e o Inconsciente”.

13. Se psi existe, quais das minhas crenças terei que abandonar?

14. Se psi existe, isto significa que um agente psi (pessoa que tem habilidades psi, popularmente chamado de “paranormal”) poderia me ver enquanto eu estivesse usando o banheiro?

15. Se psi existe, então talvez eu não possa me isolar tão facilmente da dor e do sofrimento do mundo.

Os fantasmas são reais?

O ponto de vista que prevalece hoje em dia é de que os misteriosos efeitos físicos atribuidos historicamente aos fantasmas (espíritos desencarnados), tais como movimento de objetos, sons estranhos, odores enigmáticos e falha no equipamento elétrico, são, na verdade, fenômenos poltergeist (veja abaixo). As aparições que ocorrem sem o acompanhamento de efeitos físicos são consideradas efeitos psicológicos normais (i.e., alucinações) ou possivelmente uma aquisição de informação genuinamente mediada por psi.

Os poltergeists são reais?

Os poltergeists (em alemão, “espíritos barulhentos”) geralmente se manifestam na forma de estranhos efeitos elétricos e movimentos inexplicáveis de objetos. Em certa época, pensava-se que esses fenômenos ocorriam devido à ação de fantasmas, mas depois de décadas de investigação por parte de pesaquisadores, e mais notavelmente por William G. Roll, a evidência agora sugere que os poltergeists são efeitos psicocinéticos (PK) produzidos por um ou mais indivíduos, geralmente adolescentes problemáticos.

A mediunidade é real?

A “canalização” consiste na alegação de que o espírito de alguém que morreu, ou alguma outra entidade não física, pode falar ou agir através de uma pessoa sensitiva. No final do século XIX, a isto deu-se o nome de mediunidade. Semelhantes alegações de comunicação com espíritos dos mortos podem ser encontradas ao longo da história e em outras culturas. Embora alguns dos materiais supostamente canalizados por espíritos dos mortos ou por seres de outro mundo não tenham nenhum sentido, outras obras têm inspirado um grande número de pessoas e servem como fonte contínua de esclarecimento. Religiões reveladas e algumas experiências visionárias são exemplos de versões de informações canalizadas. Porém, se as informações provêm de uma fonte paranormal genuína ou do inconsciente do canalizador ou médium, é um assunto que provoca debates infindos.

Os efeitos psicocinéticos (PK) de grandes proporções, como a levitação, são reais?

Ao longo da história há muitos relatos de eventos espetaculares, tais como a levitação de indivíduos, pessoas santas que materializam objetos no ar e pessoas que são capazes de mover, entortar ou quebrar objetos sem tocá-los. Infelizmente, em muitos casos, as pessoas que alegam poder fazer essas coisas querem ganhar dinheiro com suas “habilidades”. Devido ao fato de o potencial de fraude ser elevado, e ser relativamente fácil criar efeitos convincentes que imitam rigorosamente os efeitos paranormais (com técnicas fraudulentas), as evidências fidedignas para esses efeitos psicocinéticos de grandes proporções são muito pequenas. Há alguns poucos casos de aparente movimentação de pequenos objetos.

Os interessados em Parapsicologia devem compreender, antes de qualquer coisa, que uma disciplina científica não comporta exibições de tipo teatral. O verdadeiro parapsicólogo, ou simplesmente o verdadeiro estudante de Parapsicologia, jamais se apresentará num programa de televisão ou num salão para dar espetáculos de ilusionismo e malabarismo ou para tentar as conhecidas “demonstrações” de telepatia pelo método de esquina de rua. A Parapsicologia se fundamenta na pesquisa científica de laboratório, arduamente realizada, com todos os rigores necessários do controle científico, obtendo resultados que são submetidos a tratamento matemático para que possam ser legitimamente avaliados. Fora disso, o que temos é simples empirismo, charlatanismo ou ingenuidade.

Espiritualidade, Amor e Psicologia Weblog



style="display:block"
data-ad-client="ca-pub-6231129105751953"
data-ad-slot="4278584621"
data-ad-format="autorelaxed">

Exibições: 588

Tags: ?, PARAPSICOLOGIA, estuda, o, que, é

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de nilza reis ribeiro de paiva melo em 11 outubro 2016 às 20:58

Interessante explicação.

© 2021   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!