O singificado maior das crises

Texto completo: http://eradoespirito.blogspot.com.br/2014/09/o-singificado-maior-da...

Centro de gerenciamento de crises: Não estou certo de que "todo mundo morre" é um bom plano emergencial.
Não há crer, no entanto, que todo sofrimento suportado neste 
mundo denote a existência de uma determinada falta. 
Muitas vezes são simples provas buscadas pelo Espírito 
para concluir a sua depuração e apressar o seu progresso. 
Assim, a expiação serve sempre de prova, mas 
nem sempre a prova é uma expiação.(...) 
(A. Kardec, ESE, Cap. 5, 
"Bem aventurados os aflitos", Parágrafo 9. 
Uma crise sempre revela uma consequência de algo que não foi feito direito antes ou de ação tomada no passado erroneamente. Sofremos a consequência do passado que vive em nós porque somos seu produto. Sabemos pelos Espíritos que nossas ações hoje têm dois objetivos: o de resolver problemas e atuar sobre acontecimentos presentes, resultando em ganhos ou prejuízos morais e financeiros imediatos, assim como atuar no futuro, onde colheremos sistematicamente ganhos ou prejuízos. 
...
Devemos assim considerar as crises como respostas da conjuntura, do “Universo” ou do ambiente às ações que nele operamos. Muitos contra-argumentarão dizendo que se sofre injustamente na vida mesmo sem nada fazer. Porém, “não agir” também é uma espécie de ação e do tipo negativo. Quem quer que espere nada sofrer por não agir certamente sofrerá. As leis maiores esperam que exerçamos ações que permitam, no futuro, a colheita certa. Assim, aquele que esbanja dinheiro e fortuna muitas vezes é obrigado a enfrentar com a falta; o que excessivamente acumula dinheiro é obrigado a lidar com situações que não se resolvem com o dinheiro; o que desafia a saúde se defronta com a doença; o que nada faz tem que se virar para continuar vivo. Mas, não necessariamente o que se enfrenta está ligado à ação negativa feita no passado. O Universo nos empurra para frente todas as vezes que faceamos uma situação nova, tenha ela origem no passado ou não. À conta dos débitos acumulados se somam as lições ainda a serem aprendidas. Portanto, há que se lutar sempre.

Exibições: 417

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de sueli rodrigues em 12 setembro 2014 às 16:49

muito bom texto .

Comentário de nilza reis ribeiro de paiva melo em 11 setembro 2014 às 20:04

Importante:  "à conta dos débitos acumulados se somam as lições a  serem aprendidas, ainda" . Portanto, agradeçamos a oportunidade do aprendizado e "vamos em frente..."

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!