"O espírita chora escondido. Depois, lava o rosto e vai atender a multidão sorrindo." 


Mais de uma vez me recordo. Na infância, quando eu reclamava de alguma dor e como se costuma dizer fazia corpo mole para não cumprir alguma tarefa, escutava a história outra vez.


Certa vez, a dor veio visitar a Terra. Vestiu-se de forma adequada e chegou a uma casa pobre. Havia crianças, uma mulher cansada de tantos afazeres e um homem marcado pelas horas de trabalho exaustivo.


A dor gostou do lugar e se aninhou no dedão do pé direito daquele pai de família. Naquele dia, quase noite, ele se recolheu e nem deu muita atenção para a tal da dor porque o cansaço era maior do que ela.
Mal despertou a madrugada o homem acordou, pulou da cama e começou a se preparar para sair.
Não desejando despertar as crianças e a esposa, ele se ergueu no escuro e logo bateu o dedão num brinquedo esquecido no chão.
Ai, disse ele baixinho. Ui, que dor!
Acariciou o dedo dolorido com a mão calosa e enfiou o pé no calçado. A dor lhe deu uma espetada. Afinal, ela não estava gostando nada de ficar ali, apertada.
O homem, responsável, saiu mancando. O dedo latejava. Ele sentiu a dor diminuir um pouco quando tirou o pé do calçado, no trajeto que fez de ônibus.
Contudo, logo mais chegou ao destino. Calçou o sapato e andou.
Assim foi o dia inteiro. A dor reclamando, o homem sentindo mas dizendo: Eu preciso continuar. Não posso perder este emprego. Meus filhos dependem de mim.
E tudo acontecia. Ora o dedão topava na quina de um móvel, ora o sapato apertava mais, ora...
A noite surpreendeu o homem na labuta, suando, trabalhando. A dor já não aguentava mais.
E, quando ao ir para casa, o dedão topou numa pedra do caminho, foi o fim. A dor ficou muito zangada e disse: Vou embora. Este homem não sabe me tratar bem.


E lá se foi. Perto dali, ela encontrou uma casa muito bonita, confortável e entrou.
Um homem estava largado no sofá da sala, assistindo televisão. A dor gostou de tudo que viu e se instalou no dedão do pé.
Ai, gritou ele. Que coisa esquisita. Que dor terrível!
Já providenciou uma almofada para acomodar o pé. Ao recolher-se para dormir, enfaixou o local e no dia seguinte, fez repouso.
E no outro, e no outro.
A dor adorou aquele tratamento vip e tomou uma resolução: Não saio mais daqui!


                                          * * *
Quando a história terminava, eu já sabia que teria que dar conta das minhas responsabilidades.
Era a forma de minha mãe me ensinar que eu devia ser forte; que pequenas dores deviam ser suportadas e de forma alguma serem motivo para não se cumprir as obrigações.
Essa atitude serviu para me tornar alguém com maior capacidade de suportar reveses e dificuldades.
Quando tudo parecia conspirar contra mim e eu tinha vontade de desistir, lembrava da história da dor. E retomava a luta.


                                           * * *
A dor física é sempre sinal de que algo não está bem no organismo. O bom senso nos diz que se deve procurar auxílio médico para a adequada verificação do que seja, antes que o mal avance.
No entanto, pequenos incômodos levam algumas pessoas, por vezes, a logo optarem por ausências na atividade profissional e descumprimento de suas obrigações.
São desculpas, fugas com vistas a se furtar ao dever.
Pensemos nisso e não nos permitamos entregar por pequenas coisas.
Afinal, quem aprende a bem administrar pequenas questões físicas angaria fortaleza moral para eventuais dificuldades orgânicas graves que possa vir a ter e, mesmo, fortalecimento para as dores morais que tenha que enfrentar.

"Função sublime tem a dor: submeter a rebeldia e alçar o espírito, dignificando-o e fazendo-o ressarcir as misérias anteriormente a outros impostas."

(Manoel Philomeno de Miranda)


Exibições: 2231

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de claudie lopes em 11 abril 2012 às 20:23

Queridas Alessandra e Angela...

Obrigada pelo carinho! Sejam sempre bem vindas, e fiquem com Deus!!

Um grande bjo!!

                             

Comentário de Albana Lucia Azevedo em 10 abril 2012 às 19:29

Obrigado Denizar, vou tentar plantá-los, quem sabe agora não consiga. Assim que conseguir uma flor lhe envio. Abraços e Obrigada pela lembrança.

Comentário de angela carneiro da cunha@globo.c em 10 abril 2012 às 19:07

parabéns pelo texto escolhido,emoção não depende da religião.a perda de alguém muito querido,vc.chora, fica triste, os psicologos chamam de luto.A DIOUTRINA ESPÌRITA, faz dar um bom conhecimento,junto c/oração,

vai te trazendo paz..PRECISA DE ESTUDO DA DOUTRINA.CHORAR NÃO É NÂO SER ESPÍRITA,PRECISAMOS ENTENDER PORQUE PERDEMOS ALGUÉM QUERIDO TEM CONHECIMENTO QUE EXPLIQUE.NESTE CASO PRECE É NOSSA GRANDE ARMA.

Comentário de Alessandra Modesto em 1 abril 2012 às 19:47

Que graça!! Adorei! Parabéns!

Comentário de Denizar Ventura Regis em 27 março 2012 às 12:48

Para você, Albana: http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC1671264-452...

Um grande abraço fraterno,

Denizar.

Comentário de Albana Lucia Azevedo em 27 março 2012 às 10:14

Obrigada irmão, é realmente um lindo campo de Girassóis. Engraçado que já fiz de tudo para plantar aqui em casa e  não consegui. \\\\\Muita Paz em nossos Corações. Beijo Grande. 

Comentário de claudie lopes em 26 março 2012 às 23:50

José Mangerona, meu amigo que a luz do Amado Jesus possa aliviar as consciências aflitas, e trazer paz a os corações...Grande abraço!

                               

Comentário de Jose Mangerona Neto em 26 março 2012 às 23:28

 

Alo Meus Jovens,Quando a noite chega é um momento de muita apreenção,dentro de mim,creia, O DESESPERO  que sinto durante o dia, a noite se apresenta bem mais acentuada , com o apoio da ffamiilia e ajuda dos amigos procuramos  o apóio que necesstimos.MAS SE ESTAMOS MEDICADOS ?, medimos a´diabete, anlizamos nossa pressão tudo em perfeito estado e colocamos nossa cabeça sobre o travesseiro e qual não é nosso surpreza ao acorfar  qualquer hora podemos acordar e bruscamnete em plena madrugada vemos a nossa mão em busca do enturupitor para vemos a luz da lampáda á me clarear,.creia busco a luz do sol para aliviar minha atenção,mas pudera´, são cinco horas da manha, ele naturalmente  devera chegar para levar a escuridão da noite..angustia e desespero não tenho pra ónde correr á não ser a´presensa da fámilia ''QUANTO VALE UMA FÁMILIA? desespero e desorientação tudo bem quietinho dentro do meu ser.sem poder coloar a´margem de  meu Eu . inicio ums caninhada desgovernada á procurar da luz ,pois os raios de sol aparente é o amigo mais procurado par ofertar ´me á paz  que desejo.e procuro analizar o meu dia anterior Porque/ DEIXEI DE COMPRIR OS MEUS  COMPROMISSO DO DIA DIA E A´VOZ DA CONCIEÇA ACUSA QUE FIZETE DE BEM HOJE? na FAMILIA. nO SEU AMBIENTE DE TRABALHO, SA SOCIDADE? Dizem que se QUE SE CONSELHO FOSSE BOM DEVERIA SER  VENDIDO E NÃO DADO, MAS COMO AMIGO DEVO SUGERIR QUE NÃO FAZAIS COMO EU DEIXAR AS OPURTUNIDADES DE FAZER O BEM PASSAREM DESPERCEBIDAS EU AGORA EM UM MINUTO DE LUCIDEZ POSSO LHE SUGERIR, AJUDE A QUEM PUDERES Á MENDICO,POBRES, RICO DESEDADOS DA TERRA,TA´LVEZ ESTARAS AJUDANDO A´UM DE SEUS ENTES QUERIDOS DO PASSADO,NÃO MUITO DISTANTE, DOENTES MENDIGOS, DROGADOS,BENETENCIARIA LOTADAS Á PROCURA DE AMOR.....LEMBRO DA MENSAGEM DO JOVEM CHICO XAVIER Á RECEBER UMA DAS MAIS BELAS LIÇÕS DE EMMANUEL AO VER SEU PROTEGIDO DEITADO SOB A CAMA DO HSPITAL COM O FÍSICO EM ESTADO DEPLORAVÉL, SÃO SE CONTEVE E POIS-SE  A´LASTIMAR,;;;;;;PORQUE... PORQUE MEU DEUs...?? ESTAVA TÃO EVOLVIDO QUE NEM NOTOU A PRESENÇA DE   'EMANNUEL' Á LHE DIZER  PORQUE TODO ESSE ESTARDALHASO TODO,,,VC SE DESESPERA COM O DOENTE DO LEITO A SUA DIREITA  E O DOENTE A SUA ESQUERDA TAMÉM NÃO É SEIU IRMÃO/ O MEDINGO DEVE SER ABRAÇA DO COMO IRMÃO PARA ISSO OS RAIOS DE SOL DA MANHAM NATURALMENTE DEVERÃO LANÇAR SEU RAIOS SOBRE, COMO A NÓS DIZER.... MEU IRMÃO CUIDE DE SUA DOR, MAS NAÕ ESQUEÇA DE AJUDAR, AQUELE QUE SOFRE CALADO, COLADINHO AO ENVAGELHO DE JESUSS. .....QUANDO A NOITE APARECE AGARRO -ME AO EVANGELHO DE JESUS. PEDINDO QUE ELE ME ENOLVA EM SUA  LUZ....Abroaços Freternos Mangerona

Comentário de Denizar Ventura Regis em 26 março 2012 às 23:22

Especialmente para você, Albana:

Comentário de claudie lopes em 26 março 2012 às 21:04

Eu comprei uma roseira há pouco, no vaso...estamos nos conhecendo...rsrsrs..

Não sei ainda se ela vai gostar da minha companhia...Estou tentando...

Eu tb adoro girassol...Uma vez ganhei um buquê lindo, de girassóis, de presente...Dura tanto!!

Valeu, Albana, um bjão!!

© 2022   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!