O dia das mães, é uma data especial (ainda que para uma mãe depois que um filho nasce, dia das mães é todo dia).

 

 

É quando tiramos um tempo para dedicar única e exclusivamente àquela que nos criou, que nos cuidou quando ficávamos doentes, nos corrigia os defeitos e nos orientava no camin

ho correto. Mas para alguns, é um dia muito difícil. Para aqueles cuja mãe já não está mais presente, para aqueles que nunca conheceram sua mãe, e também para aqueles que nunca tiveram uma relação de carinho e amor com a mãe. Afinal, estamos em um planeta de provas e expiações... muitas vezes, encarnamos ao lado de espíritos com quem temos as maiores dificuldades, para ver se com a convivência aprendemos a superar essas dificuldades, e a transformá-las em amor.

 Para estes, deixo a frase do nosso querido Chico:

" Tu escolhes, recolhes, eleges,
atrais, buscas, expulsas, modificas tudo
aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave
de teus atos e atitudes...
São as fontes de atração e repulsão
na tua jornada vivência."

 

E que todos possam, nesse dia das mães, agradecer o menor gesto de carinho que haja recebido... Grande abraço a todos!

 

 

Exibições: 270

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Marta Valéria em 9 maio 2011 às 9:02

Difícil ou amoroso, mas o contato com o mundo começa aqui. Agradeço pelo espírito que aceitou ser a minha mãe. Querida Sonia, onde estiver, obrigada!

Comentário de Inacio Queiroz em 8 maio 2011 às 16:00

Linda mensagem, amor!

Eu desconheço as tristezas de não se ter uma mãe amorosa.

Minha mãe pode não ter sido a pessoa mais carinhosa do mundo, mas sempre tinha um presente ou um mimo pra gente.

Mas, nos atendimentos fraternos no CEU e nos atendimentos do CVV, encontramos inúmeras pessoas vivendo este drama de desamor e sabemos por empatia como é duro.

Li uma vez que o chamado amor de mãe foi um conceito inventado pela classe médica no ínício do século XIX quando se percebeu que a mortalidade infantil reduzia nas famílias onde as mães realmente amavam seus filhos. É sabido que o amor paternal e maternal não fazia parte das relações familiares do século XVIII e daí para trás, uma vez que o casamento apenas unia fortunas e só se cobrava do casal o respeito um pelo outro.

Vivemos numa nova época onde o amor faz parte do conceito de família.

Mas não é algo orgânico ou obrigatório, É cultivado, é construido, faz parte do patrimônio de paz e bondade que os pais conseguiram aquinhoar com seus esforços nas esteiras dos séculos e que os filhos têm ressonância por suas aquisições também.

Se conseguirmos amá-los e sermos amados, fomos abençoados.

Se não conseguirmos, eis nossa oportunidade de crescimento, esquecendo que aquele espírito foi um algoz, foi um competidor, foi um patrão ou alguém ingrato, e o vendo apenas como está agora: nossa mãe, nosso pai, nosso filho ou filha.

Nos diz o Budismo: já foram tantas reencarnações nos caminhos do crescimento que praticamente todos que conhecemos já foram nossa mãe alguma vez. Portanto, tratemos a todos que encontrar com o amor, com a compaixão de um filho perante sua mãe.

Feliz dia das Mães para todos. E pra vc, muitos beijos....

© 2021   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!