A cada dia ao abrirmos os olhos depois de uma reconfortante noite de sono, podemos constatar a maior benção que Deus poderia nos ofertar: A benção da vida, mas poucos de nós dá valor a esta preciosidade. 
Na correria do dia a dia, em busca de conforto material, não conseguimos ver o quanto a vida é bela.
Deixamos de apreciar a beleza da natureza que tão amorosamente nos é cedida pela Providência Divina, ao nos preocuparmos com recursos financeiros que nos dão estabilidade material e prazeres momentâneos.
Em nosso equivocado conceito do que é viver e ser feliz, deixamos de alimentar nosso espírito.
Para muitos torna-se piegas e ultrapassado se preocupar com a questão espiritual.
Assim levamos a vida: nascemos, crescemos, envelhecemos e no final de nossa existência sofremos e tememos a morte.
Nos questionamos enfim, depois de tanto tempo perdido, o que nos espera após a morte.
Descobrimos tarde demais que não vivemos e sim passamos pela vida.
Bens materiais, prazeres ilusórios e momentâneos nos trazem a falsa percepção do que é a felicidade.
E esta felicidade não sendo real, acaba no instante em que precisarmos dar o testemunho da fé e da confiança que temos no Pai da Vida.
Culpamos a Deus por nossos infortúnios, nos questionando da existência de uma Divindade Maior.
Filhos ingratos que somos não percebemos que colhemos o que plantamos.Não admitimos que todo o sofrimento e dor pelo qual passamos é responsabilidade de nossa inércia e de nossa falta de fé.
Preferimos fechar os olhos para o ensinamento que Jesus nos trouxe há mais de dois mil anos, ao nos mostrar que a felicidade está em amar ao próximo como a si mesmo.
Egoístas que somos preferimos deixar para o futuro um aprendizado que necessitamos realizar hoje. 
Pensando apenas em nosso próprio bem estar, não nos preocupamos em olhar para nosso irmão do caminho, procurando amá-lo com a capacidade que trazemos em nosso espírito.
Solidariedade e fraternidade são palavras que passam longe de nosso dia a dia.
Que importa olhar o próximo com amor, se podemos amar a nós mesmos?
Que importa ajudar um irmão necessitado se podemos nos preocupar com nossa própria existência?
Este é um ledo engano que tarde demais descobrimos ser conceitos errôneos.
A consequência de tanto egoísmo nota-se nas infindáveis doenças da atualidade.
Tristeza, depressão, stress, ansiedade, problemas de ordens físicas, entre tantos outros distúrbios emocionais acompanham o ser humano em seu dia a dia, e este é o resultado de apenas passar pela vida.
Muitos buscam a fórmula da felicidade procurando um sentido real para a vida e sofrem sentindo-se injustiçados e abandonados.
Jamais estamos desamparados pela Espiritualidade Maior e por nossos protetores espirituais.
Mesmo nos momentos em que nos recusamos a senitr a presença destes abnegados companheiros, eles estão ao nosso lado, apenas aguardando o momento de abrirmos os olhos para a verdadeira vida.
Viver plenamente é deixar o egoísmo de lado para se preocupar com o companheiro de jornada, além de si mesmo.
E Deus a cada dia nos dá esta oportunidade ao nos conceder a benção da vida.
Os ensinamentos que Jesus nos deixou não são ultrapassados e a cada dia o Universo nos faz vivenciar situações que podemos exemplificar o seu Evangelho.
Você está em busca da felicidade?
Arregace as mangas procurando trabalhar em prol de seu semelhante.
Não passe apenas pela vida, viva intensamente, amando, perdoando e compreendendo que todos somos filhos de Deus, passíveis de erros.
Observe a vida e o próximo com os olhos do amor, para que suas ações e atitudes o presenteie com um futuro iluminado e abençoado para conquistar a paz e felicidade que busca. 

Por: Rita Ramos Cordeiro

Exibições: 38

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!