"Auto-de-Fé" de BARCELONA, a QUEIMA de LIVROS ESPÍRITAS que acabaram ajudando na DIVULGAÇÃO da DOUTRINA !

 

Na Revista Espírita de dezembro de 1861, há a narração do tenebroso "Auto-de-fé de Barcelona" (Espanha), pelo qual, em 9 de outubro de 1861, justamente no local onde eram executados os criminosos condenados a pena de morte, a Inquisição espanhola, representada por um padre paramentado com trajes sacerdotais próprios para o ato, tendo numa das mãos um cruz e na outra uma tocha, queimou em praça pública centenas de livros espíritas.

   

Entre os livros estavam: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O que é o Espiritismo?, todos de Allan Kardec; coleções da Revue Spiritualiste, redigida por Piérat; "Fragmento de Sonata", ditado pelo Espírito Mozart ao médium Bryon-Dorgeval; "Carta de um católico sobre o Espiritismo", pelo doutor Grand, ditada por ela mesma a Ermance Dufaux, de 14 anos de idade; e, por fim, "A realidade dos Espíritos demonstrada pela escrita direta", do barão de Guldennstubbe.

   

O século não mais comportava tão bizarra quão ridícula cena, mas a praça estava atravancada por multidão que a tudo assistia, espantada...

    

Para não alongar no assunto, menciono apenas uma frase de Allan Kardec: "Se examinarmos este processo sob o ponto de vista de suas consequências, desde logo vemos que todos são unânimes em dizer que nada podia ter sido mais útil para o Espiritismo".

   

E como foi! No mundo todo, mentes se agitaram e buscaram avidamente conhecer o conteúdo de tão "pernicioso material" destruído naquelas "chamas salvadoras"...

Exibições: 1289

Tags: !, Auto-de-Fé, BARCELONA, DIVULGAÇÃO, DOUTRINA, ESPÍRITAS, LIVROS, QUEIMA, a, acabaram, Mais...ajudando, da, de, na, que

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Laura Rebinski em 22 março 2012 às 11:42

Esse episódio  contribuiu positivamente para a divulgação da doutrina. Só temos a  agradecer. Abraços fraternos a  todos.

Comentário de cristovam aguiar pimenta em 22 março 2012 às 10:26

as labaredas de fogo que queimaram os livros, ato de um bispo de posições sectárias,ortodoxa e brutal, serviram mais ainda para divulgar o espiritismo no mundo, o infeliz bispo, quando chegou no mundo maior, foi "frito " pelo remorso, arrependimento e tristeza imensa de ter cometido ato tão insano, ele teve uma recompensa maravilhosa, belissíma, justamente em ter se arrependido, em uma mensagem, ele incorporado em um médium ele narra o sofrimento que estava passando.

Comentário de Gilse Norma Bretas Carvalho em 22 março 2012 às 9:51

Que "coincidência"! Acabei de ler um livro que fala sobre isto: "Verdades que o tempo não apaga". Sobre um grupo de médicos e seus amigos que traduziam algumas partes do evangelho e distribuíam dentro de pães e mantimentos por toda Espanha e adjacências durante o período da Inquisição. Foram pessoas de coragem e muita fé que ajudaram a difundir a doutrina de reencarnação e amor de Jesus.

Comentário de Izidro Pinto Lins Caldas em 22 março 2012 às 9:42

Foi ótimo, hoje com certeza nossa Doutrina está avançando pois contra fatos não existem argumentos.

Comentário de Vanessa Mendes Cunha em 22 março 2012 às 9:41

Se eu fosse uma desavisada na época, eu pensaria: pq que o cara tá queimando isso ???? Ele não tem mais o que fazer não ???? o que tanto isso perturba o padre ???? 

Comentário de Henrique em 22 março 2012 às 9:27

foi uma ótima ação de marketing, sem querer, claro !

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!