A Justiça Divina e o MENDIGO que se TORNOU REI ?!

             Há muito tempo, compareceram no Tribunal Divino dois homens recém chegados da Terra.

        Um trazia o sinal da muleta em que se apoiara.

        Outro mostrava as marcas da coroa que usara na cabeça.

        Os dois fariam prova de humildade para voltarem ao mundo ou seguirem  além...

        Colocados, um a um, na balança, o mendigo acusou enorme peso. Estava ainda preso de lutas inferiores.

        O rei, no entanto, revelava grande leveza. Poderia viajar em demanda aos Planos mais altos.

        Inconformado, o mendigo reclamou acintoso:

        - Onde está a Justiça Divina? Fui mendigo, paupérrimo, enquanto ele... Enquanto ele era rei... passei fome, muitas vezes o vi no banquete farto. Eu esmolava na rua, avistando-o na carruagem. Conheci a nudez, vendo-o sob manto dourado... Vivi entre os últimos, ao passo que ele sempre aparecia como o primeiro entre os primeiros...

        O rei baixou a cabeça, humilhado, em silêncio...

        Mas o examinador sereno, que representava o Senhor, falou persuasivo:

        - Viste-o na mesa farta, mas não lhe percebeste os sacrifícios ao comer por obrigação social.  Notaste o carro; entretanto não lhe observaste o coração agoniado de dor, ante os problemas dos súditos a que devia assistência. Fitaste-o sob dourado manto, nos dias de festas populares; todavia, não lhe contemplaste as chagas de sofrimento moral, diante das questões insolúveis... Conheceste-o entre os maiorais da Terra; entretanto, não sabes quantos punhais de hipocrisia e de ingratidão trazia cravados no peito, embora fosse obrigado a sorrir... Além disso, na posição de soberano, podia ferir e não feriu, humilhar não humilhou a ninguém, prejudicar e não prejudicou, desertar e não desertou... Na situação de mendigo, não passaste por semelhantes problemas de tentação

        Diante do companheiro triste, o ex-monarca recebeu passaporte, para a ascensão sublime.

        Sozinho e em lágrimas, perguntou, então o ex-mendigo:

        - E AGORA ???

        O ministro angélico abraçou-o, sensibilizado, e informou:

        - Agora, renascerás na Terra e serás também rei.

"Contos desta doutra vida"-  Irmão X. Psicografia Chico Xavier.

        

      

        

        

Exibições: 1073

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de adão de araujo em 6 maio 2013 às 9:53

Parabéns presada amiga Edite de Lima e Silva, muito correto  o seu comentário. Abraços e grato por sua leitura..

Comentário de Edite de Lima e Silva em 5 maio 2013 às 21:13

Temos grandes chances de crescer, e muitas vezes esperdiçamos estas chances que são dádivas de Deus! Não devemos olhar somente o brilho do outro e sim as chagas ele trás consigo e não vemos....

Comentário de adão de araujo em 13 abril 2013 às 23:10
"Tudo e' uma experiencia transitoria". Grande verdade amigo Gilmar de Almeida. Abra¢os.
Comentário de gilmar de almeida em 12 abril 2013 às 16:25

Não inveje a posição que os outros ocupam na vida,valorize a sua,pois tudo é uma experiencia transitoria.

 

Comentário de adão de araujo em 8 abril 2013 às 17:07

Oi Lais. Muito grato por sua gentileza. Abraços, para você minha irmã.

Comentário de Lais Araújo em 8 abril 2013 às 15:00

LINDO TEXTO.....

 

Comentário de adão de araujo em 7 abril 2013 às 23:02
"Visto atentamente vamos nos identificar com os protagonistas". Grande verdade amigo Mauricio. Abra¢os fraternos.
Comentário de adão de araujo em 6 abril 2013 às 20:06

Oi Margarida: História verdadeira, Margarida;  verdadeira pelo menos no que se refere ao orgulho deste seu amigo.

Um abraço fraterno para você e muito grato por sua leitura.

Comentário de Margarida Maria Madruga em 6 abril 2013 às 19:11

Bonita história. Obrigada.

Comentário de adão de araujo em 6 abril 2013 às 18:52
Verdade, Helena, geralmente os casos relatados apontam os poderosos como sendo os mais orgulhosos mas, nem sempre e assim...
Abra¢os fraternais para voce.

© 2022   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!