* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns - Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação - Leitura da Questão - Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 87-Enfermagem do Espírito)
Reunião pública de 2-12-60
Questão LM no. 254 inciso 6.


O nome dele era Luís.
Mas todos o chamavam apenas de “o Lula”.

Dos 4 irmãos, ele era, sem dúvida, o mais bonito.

Olhos castanhos claros, traços finos e uma farta cabeleira cor de mel, levemente cacheada, que vivia em desalinho.

Sempre inventava lindas histórias onde eu era o super herói e ele era algum personagem. Uma toalha amarrada no pescoço, qual uma capa, e íamos felizes navegar nos sonhos dele.

Os médicos diziam que, após o atropelamento pela kombi, a batida com o crânio no meio fio tinha disparado sua percepção dos sonhos. Realidade e fantasia se misturavam.

Então, junto com as lindas e heróicas aventuras, vieram também os psicotrópicos pesados, vieram as internações, os eletrochoques e as muitas lágrimas.
E eu ... eu não podia salvá-lo.

Mesmo entre tantas dificuldades, dores e confusões, todos o amavam muito.

E descobrimos isso intensamente quando, naquela manhã, ele saiu para um evento no grupo de escoteiros e foi atropelado mais uma vez, agora por um ônibus.

Ficamos todos em choque.
Foi a semana mais longa que minha família já viveu.
Uma semana de coma, de espera ansiosa e, por fim, do desencarne.
Um silêncio muito grande desceu sobre todos nós, onde eu não conseguia sequer chorar.

***

Para esta meditação, Emmanuel nos convida a perceber que, quando amamos alguém, queremos proteger o ente querido de todo mal, principalmente na hora do sofrimento.

Não admitimos que nada nem ninguém aumente a dor que ele já padece, seja com conversas indevidas, com qualquer maltrato ou com cobranças descabidas.

Agradeces para ele o auxílio e o respeito, o remédio e o silêncio ...“ — observa Emmanuel.

Porém, na hora do nosso contato com o plano espiritual, onde encontramos tantos irmãos em estado de deplorável sofrimento, o que fazemos?

Por que não conseguimos permanecer nesse mesmo estado de amor, de zelo e de proteção?

Em tais momentos, eles não precisam de nossas perguntas curiosas, de nossas repreensões morais, de nossas explicações sobre a Lei de Causa e Efeito, de nenhuma dessas torturas.

Curativo para alma é a nossa oração.
Amparemos com bondade, guardando o silêncio da discrição.

Afinal, é nosso irmão!
Vamos tratá-lo com o amor que desejaríamos para nós mesmos.

Arremata Emmanuel: “E o necessitado de hoje lembra-nos que é possível que sejamos nós o necessitado de amanhã.

==&==

Como era sua relação com sua família?

Veja em Seara dos Médiuns > 87-Irmão ou clique aqui!

Curiosidades: subjugação é igual a possessão?

http://estudandocomchicoxavier.wordpress.com/

Exibições: 625

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Laudicéa em 5 setembro 2012 às 20:07

Aprendo muito a cada dia. Muita paz e muita luz

Comentário de Inacio Queiroz em 24 agosto 2012 às 19:27
Olá Amigos,
Desde já agradeço os diversos elogios e incentivos.
Mérito todo da dupla Chico Xavier / Emmanuel, verdadeiras fontes das muitas idéias deste texto.

Precisamos libertar estas idéias e as muitas outras das estantes e prateleiras.

Abração,
Inacio
Comentário de Inacio Queiroz em 24 agosto 2012 às 19:23
Olá Carla,
A Doutrina Espírita nos explica que o lar é um ambiente de reencontro não só com espíritos afins, mas também com antigos desafetos com quem precisamos aprender o amor. Com o passado esquecido, tudo que fica são aqueles sentimentos estranhos que brotam quando a pessoa se aproxima e não sabemos bem o porquê deles.
Quando o sentimento é de muito amor e carinho, justificamos assim: Ora, eu amo porque é meu irmão / minha mãe / minha familia. E parece justificado. Mas quando o sentimento é de rancor, de indiferença, de inveja, seja nosso ou do outro, a gente fica sem saber como justificar. Só a reencarnação pode explicar as causa profundas aí envolvidas.
Assim, aproveitemos esta oportunidade para fazer nossa parte. Vamos amar esta pessoa de verdade, tratar com respeito e carinho no máximo da nossa possibilidade. Se a pessoa não retribui, o problema passou a ser só dela. A gente precisa realizar o nosso exercício e deixar que o tempo, o divino médico das almas, faça seu trabalho.
Difícil, né? Mas agradeça de ter esta chance. Tem espíritos procurando seus desafetos têm séculos, apenas para pedir perdão.
Abração e muita força.
Inacio
Comentário de Inacio Queiroz em 24 agosto 2012 às 19:12
Oi Patricia,
Meus sentimentos pelo desencarne do seu genro.
Depois que descobri a Doutrina Espírita, passei a perceber que nossa tristeza por quem parte é a mesma tristeza do presidiário que vê seu amigo de cela sendo libertado e se entristece por sua solidão.
Vamos nos alegrar pelo irmão que retorna à Pátria Espiritual após sua passagem, com ou sem resgates dolorosos, nessa grande escola que é a Terra.
Abração,
Inacio
Comentário de Inacio Queiroz em 24 agosto 2012 às 18:51
Olá Benoni,
Entendi seu questionamento e pensei também nisso enquanto lia o capítulo do Seara dos Médiuns.
Creio que Emmanuel levantou esta meditação para que vigiassemos onde está o limite entre o aprendizado proveitoso e a exploração curiosa e torturante.
Claro, se não fossem os questionamentos feitos por Kardec e pelos diversos médiuns, nem o LE nem o 'O Ceu e o Inferno' teriam vindo a público.
Mas imagina que todos os médiuns ficassem questionando os espíritos a cada contato? Muitas vezes, sem qualquer proveito, o momento de ajudar com discrição se perde em perguntas improdutivas.
Então cabe-nos perceber o tênue limite entre as duas situações. Talvez, apenas trabalhando as perguntas em reuniões direcionadas para este tipo de estudo.
Este foi um bom questionamento.
Obrigado,
Inacio
Comentário de Carla Jimenez em 24 agosto 2012 às 18:40

Gostaria de saber por que não tenho afeto pelos meus irmãos tenho 2 mas muito pouco intimidade...será q isso tbm não é do jeito q minha mãe nos criou?ou será q são outras coisas...vejo quando irmãos t^rm cúmplicidade fico triste pois meus irmão não me remete nada de sentimento....

Comentário de NADIA ZAIM PEREIRA em 24 agosto 2012 às 18:24

LINDO!

Comentário de Benoni Martins em 24 agosto 2012 às 18:07

Caro Inacio Queiroz, atualmente, os espíritas têm à sua disposição milhares de obras relatando detalhes da vida espiritual. Quantos teriam se detido a investigar as dificuldades encontradas pelo codificador, no meio do século 19, para elaborar perguntas aos Espíritos, concatenar as respostas dos Espíritos, obtidas por vários médiuns e com a massa de informações à mão, filtrá-la o suficiente, para que, codificando-a, lança-se ao futuro tão valiosas sementes? Digo sementes porque, rigorosamente, todos os livros que hoje constituem a literatura espírita propriamente dita, isto é, pós-Kardec, nele têm respaldo, dele guardam as premissas - mormente, quando quando a ação se desenrola no plano espiritual.

Comentário de Patrícia da Silva Souza em 24 agosto 2012 às 17:58

Acabei de perder meu genro, pai de meu neto de uma forma muito violenta...

Que Deus o abençoe!

André Machado Vasconcelos tenha muita LUZ E PAZ!

Comentário de Ala SIRBU em 24 agosto 2012 às 17:30

Lindo,adorei!!!

 

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!