USP comprova: Energia liberada pelas mãos tem o poder de curar

Link da pesquisa da USP : 

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5160/tde-23092014-14521...

Um estudo desenvolvido recentemente pela USP (Universidade de São Paulo), em conjunto com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), comprova que a energia liberada pelas mãos tem o poder de curar qualquer tipo de mal estar. O trabalho foi elaborado devido às técnicas manuais já conhecidas na sociedade, caso do Johrei, utilizada pela igreja Messiânica do Brasil e ao mesmo tempo semelhante à de religiões como o espiritismo, que pratica o chamado “passe”. 

Todo o processo de desenvolvimento dessa pesquisa nasceu em 2000, como tema de mestrado do pesquisador Ricardo Monezi, na Faculdade de Medicina da USP. Ele teve a iniciativa de investigar quais seriam os possíveis efeitos da prática de imposição das mãos. “Este interesse veio de uma vivência própria, onde o Reiki (técnica) já havia me ajudado, na adolescência, a sair de uma crise de depressão”, afirmou Monezi, que hoje é pesquisador da Unifesp.

Segundo o cientista, durante seu mestrado foram investigado os efeitos da imposição em camundongos, nos quais foi possível observar um notável ganho de potencial das células de defesa contra células que ficam os tumores. “Agora, no meu doutorado que está sendo finalizado na Unifesp, estudamos não apenas os efeitos fisiológicos, mas também os psicológicos”, completou. 


A constatação no estudo de que a imposição de mãos libera energia capaz de produzir bem-estar foi possível porque a ciência atual ainda não possui uma precisão exata sobre esse efeitos. “A ciência chama estas energias de ‘energias sutis’, e também considera que o espaço onde elas estão inseridas esteja próximo às frequências eletromagnéticas de baixo nível”, explicou. 

As sensações proporcionadas por essas práticas analisadas por Monezi foram a redução da percepção de tensão, do stress e de sintomas relacionados a ansiedade e depressão. “O interessante é que este tipo de imposição oferece a sensação de relaxamento e plenitude. E além de garantir mais energia e disposição.” 

Neste estudo do mestrado foram utilizados 60 ratos. Já no doutorado foram avaliados 44 idosos com queixas de stress.
O processo de desenvolvimento para realizar este doutorado foi finalizado no primeiro semestre deste ano. Mas a Unifesp está prestes a iniciar novas investigações a respeito dos efeitos do Reiki e práticas semelhantes a partir de abril do ano que vem.


http://estudandocomchicoxavier.wordpress.com/

Exibições: 800897

Tags: Energia, USP, comprova:, curar, de, liberada, mãos, o, pelas, poder, Mais...tem

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de FRANCESCO ANDRADE em 1 março 2018 às 17:39

TEMOS QUE CONSIDERAR QUE A IMPOSIÇÃO DAS MÃOS, PARA QUE SURTA EFEITOS, INDEPENDENDE DA RELIGIÃO DA PESSOA QUE APLICA. ISTO, JÁ ERA APLICADO NA CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA , A MAIS DE 5.000 ANOS ATRÁS. ERRÔNEAMENTE É CITADO UM MONGE BUDISTA COMO SEU CRIADOR ( O TEXTO SE ORIGINA EM ALGO PUBLICADO NA WIKIPÉDIA). A TÉCNICA CITADA É O REIKI...E CONSTA COMO TENDO SIDO CRIADA EM 1920. TRATA-SE APENAS DE UMA TÉCNICA CRIADA, MAS, O PROCESSO É O MESMO EM TODAS AS APLICAÇÕES QUE CONHECEMOS. SUA EFICÁCIA, INDEPENDE DE RECONHECIMENTO DA CIÊNCIA CONTEMPORÂNEA. É UM ERRO USAR A WIKIPÉDIA COMO FONTE ABSOLUTA, POIS ALÍ OS TEXTOS SÃO COLOCADOS PUBLICAMENTE POR SIMPATIZANTES E NÃO, POR CONHECEDORES DE FATO. ACONTECE, QUE OUTROS SÃO CITADOS COMO USUÁRIOS DA APLICAÇÃO DESTA TÉCNICA DE CURA, MAS NÃO SÃO CITADOS.

Comentário de Domingos Giordani em 27 fevereiro 2018 às 15:58

Caro Denis Bueno, 

Segue o link para o trabalho de mestrado mencionado na notícia:

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5160/tde-23092014-14521...

abraços

Comentário de Denis F Bueno em 27 fevereiro 2018 às 14:23

Querida pagina. informo q simpatizo com ideais espiritas, budistas e xamanicos e gostaria de fazer uma critica construtiva sobre essa publicação. vcs simplesmente colocam a noticia: USP comprova passe mas vocês não divulgam a publicação do pesquisador da USP. nos deixando sem acesso ao artigo cientifico muito menos em compreender qual a metodologia ao qual essa pesquisa foi desenvolvida e concluída. quando vcs fazem isso vcs perdem a credibilidade de sua noticia pois não apontam o estudo. como saberemos se a noticia é falsa ou verdadeira??? obs: não estou duvidando do passe ou do Reike estou apenas solicitando a publicação do artigo publicado pelo pesquisador da USP

Comentário de Sergio Alves de Almeida em 26 fevereiro 2018 às 17:20

Como terapeuta, mestre em Reiki, tenho observado em meus pacientes muitos resultados positivos, sejam psicológicos, físicos, emocionais com uma evolução extraordinária. O Reiki, em conjunto com tratamentos médicos alopatas ou homeopatas, acelera os resultados de cura. Todas instituições medicas deveriam adotar como acompanhamento complementar ao tratamento de cura, a aplicação do Reiki, para qualquer tipo de patologia.

Comentário de jose carlos lang em 7 novembro 2016 às 9:57

Sou Reikiano e tenho obtido excelentes resultados com aplicação de reiky inclusive a distancia.

Comentário de Luiz Alberto Pereira Correia em 27 maio 2016 às 12:13
Sou da igreja Messiânica mundial Ministro JhoRei já vi muitos milagres a través do JhoRei...
Comentário de Demerval Mendes Ferreira em 24 novembro 2015 às 6:25

O mestre Jesus de Nazaré usou e abusou desse método, foi em suas viagens pelo oriente que ele assimilou seu uso. Que nós outros possamos mesmo com atraso retomar nossos estudos contemplativos e nos interar com o "Ser" que abarca toda e qualquer energia, porque o estress nada mais é que o efeito da inconformidade.

-Shalom Adonai!!!

Comentário de Antonio Carlos Menchon Felcar em 2 setembro 2015 às 13:12

É um bom começo um pesquisador trabalhar ciência e espiritismo. No entanto, convido o nobre amigo pesquisador a pesquisar o poder do pensamento (Evangelho Segundo o Espiritismo - dois ultimos capítulos, sobre potencia do pensamento, fé, prece), mais Fluido Vital, ou Fluido Magnético ou Fluido Animal nas obras básicas de Allan Kardec, mais Aura material (produto da energia provinda da movimentação dos átomos e suas partículas), mais a aura espiritual. Nosso grupo de pesquisa não usa nenhuma técnica material de mãos ou equivalentes, uma vez que isso é totalmente desnecessário e apenas simbólico. Com a força do pensamento, manipulamos os fluidos vitais que juntando-se à Fé e aos amigos espirituais cura-se, leva a pessoa à leveza e suavidade do corpo, etc. O uso das mãos é um indicador de efeito  hipnótico material e passageiro, não real. A manipulação fluídica  com o Pensamento e a Vontade é curadora. A modificação psíquica resultante gera vários efeitos sobre o perispírito, como expansibilidade, coloração, ponderabilidade, sensações de bem estar) e muitos outros atributos. Sobre os animais o resultado é produzido pela vontade e pela manipulação flúídica sobre a matéria.

Comentário de Nilza Garcia em 25 abril 2015 às 2:39

USP comprova: 

argumentum ad verecundiam ou argumentum magister dixit é uma expressão em latim que significa apelo à autoridade ou argumento de autoridade, é uma falácia lógica que apela para a palavra de alguma autoridade a fim de validar o argumento. Este raciocínio é absurdo quando a conclusão se baseia exclusivamente na credibilidade do autor da proposição e não nas razões que ele apresentou para sustentá-la.

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Argumentum_ad_verecundiam

Comentário de caique tora em 21 abril 2015 às 8:29


A USP comprovou mesmo a cura com a energia das mãos?


Estudo científico feito por uma instituição conceituada em São Paulo teria comprovado a eficácia da cura através da energia das mãos! Será que isso é verdade?

A notícia da descoberta feita por um estudo desenvolvido pela Universidade de São Paulo (USP) foi inúmeras vezes compartilhada nas redes sociais, além de ser publicada em vários sites e blogs.

De acordo com o texto, a USP em conjunto com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) teria comprovado que a energia liberada pelas mãos teria o poder de curar qualquer tipo de doença! A notícia ainda explica que o trabalho de desenvolvimento dessa pesquisa nasceu de uma tese de mestrado de um pesquisador na Faculdade de Medicina da USP e que foram investigados os possíveis efeitos da prática de imposição das mãos, chamada de Reiki.

O cientista, de acordo com o texto que se espalha pela web, afirmou ter investigado os efeitos da imposição em camundongos, nos quais foi possível observar um notável ganho de potencial das células de defesa contra células que ficam os tumores.

Será que essa notícia é real?


Verdadeiro ou falso?

Apesar do texto afirmar que a descoberta é recente, a notícia não é nova! Circula há anos pela web e, volta e meia, aparece novamente na timeline das redes sociais, além de ser exaustivamente republicada em diversos sites e blogs.

Como já falamos aqui no E-farsas centenas de vezes, as chances de um boato se espalhar aumentam muito se ele não for datado. Como a descoberta foi feita “recentemente”, quem entrar em contato com o texto em 2015, por exemplo, pode achar que se trata de uma notícia nova, e repassar adiante.

Uma rápida busca através do Google e veremos que existem textos semelhantes a esse publicados em 2005…

Além disso, a “reportagem” vincula a “descoberta” a entidades de renome (no caso, a USP e a Unifesp), dando a entender que ambas universidades validaram o estudo. Isso faz com que o leitor tenda a acreditar ainda mais no que está lendo, sem questionar muito.

Origem

Tudo começou em 2003, quando o então mestrando Ricardo Monezi apresentou uma dissertação de Mestrado na Universidade de São Paulo sobre um estudo feito por ele a respeito de técnicas de imposição de mãos (reiki) em camundongos que, de acordo com esse seu estudo, tiveram um aumento na resistência imunológica e chegando a dobrar a sua capacidade de reconhecer e destruir células cancerígenas.

No trabalho, Monezi explica, erroneamente, que animais são imunes ao efeito placebo e que o resultado do seu trabalho só comprovaria que o reiki funciona mesmo:

“O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”

Logo no início de sua dissertação, Monezi já faz uma afirmação falsa, pois já foi comprovado que animais também estão sujeitos a efeitos similares ao placebo, como podemos ver aquiaquiaquiaqui e aqui. Também foram feitos alguns estudos em diversos países, como na Grã Bretanha por exemplo, sobre o efeito placebo e foram usados animais, conforme explicou a BBC.

Falhas na metodologia

Além disso, a metodologia usada por Monezi não respeitou os testes de duplo-cegos (onde tanto o  animal quanto administrador não sabem quem está aplicando o reiki ou não).

Outras falhas no estudo feito pelo mestrando são a observação seletiva e a tendência à confirmação, onde o pesquisador fica “torcendo” e dando uma “ajudinha” para que suas suposições deem certo (muitas vezes, até de forma inconsciente). Tudo isso influencia no resultado de qualquer estudo.

Já mostramos aqui no E-farsas o caso de um estudante colegial que tentou provar que a água fervid.... Na época, mostramos que até o simples fato do testador querer que sua hipótese se confirme já pode interferir no resultado.

Esse excelente artigo do Bule Voador, de 2012, aponta várias falhas na metodologia da dissertação entregue por Monezi à USP. Dentre elas, citamos algumas abaixo:

  • O tamanho amostral utilizado (20 indivíduos/grupo) foi pequeno o suficiente para que flutuações estatísticas pudessem ser significativas;
  • não há nenhuma referência a medidas para prevenir contaminação cruzada das amostras;
  • O autor falhou em corrigir seus valores de significância para múltiplas hipóteses.
  • O trabalho testa uma grande quantidade de hipóteses mal-definidas, frisa aquelas onde anomalias foram observadas, e busca – na discussão final, a posteriori da execução dos experimentos – ajustar quaisquer conjecturas às observações, o que é uma prática falaciosa de análise conhecida como caça por anomalias; 

A Ciência não comprova definitivamente

O verbo “comprovar” é meio perigoso de ser usado na ciência, pois nunca se prova definitivamente uma teoria científica. O legal da ciência é que ela é, ao contrário de certos dogmas seculares, autocorretiva – o que significa que teorias científicas com suas hipóteses  são refutadas (ou corroboradas) constantemente por diversos cientistas no mundo todo.

Quando uma hipótese é refutada ela dá lugar a novas teorias (ou a mesma teoria é melhorada), até que seja corroborada. Isso é feito através de testes, cálculos, ensaios… Tudo deve ser provado e explicado de forma que possa ser reproduzido por outros cientistas em qualquer parte do mundo e os resultados obtidos devem ser os mesmos.

O título da matéria que se espalha pela web a cada ano e usa frases de impacto como “USP comprova” já vem com dois erros: Um, dizendo que a USP comprovou (e, como sabemos, nunca podemos comprovar definitivamente, na ciência), e o outro erro – como falamos lá no começo desse artigo – foi o uso da falácia do apelo à de autoridade (dando a entender que, “se a USP disse, quem sou eu pra contestar”).

A tese do mestrando foi entregue à banca examinadora da USP e não foi publicada em nenhuma revista científica brasileira ou estrangeira (aqui no Brasil, somente a revista Galileu parece ter se interessado pelo assunto). Isso quer dizer que a ciência parece não ter se interessado pelo trabalho que a USP teria aprovado!

Uma descoberta dessa seria um grande avanço na área médica! Imagine que há uma energia solta espalhada pelo ar (energia essa, invisível e indetectável por nenhum aparelho conhecido pelo homem até agora) e, com apenas uma imposição de mãos, essa energia reconheceria a doença que o paciente tem e “sozinha” curaria a enfermidade!

Seria uma enorme economia em equipamentos, remédios, anos de estudo da medicina… É claro que muitos conspiracionistas podem alegar que a máfia da indústria farmacêutica não deixa trabalhos como esse se espalhar, com medo da falência, mas acredite: Se a cura pela imposição de mãos fosse possível, muitas empresas já teriam ganhado rios de dinheiro criando aparelhos para potencializar tais energias (se bem que tem muitos charlatães que ganham uma grana com falsas promessas de curas milagrosas).

  • Como funciona essa tal energia invisível, insípida, inodora e indetectável?
  • Como ela age no organismo?
  • Qualquer pessoa pode curar outras pessoas?
  • O reiki pode curar qualquer doença? Pode curar uma cárie, por exemplo?

reiki ou a técnica da cura através da imposição de mãos foi criado em 1922 pelo monge budista japonês Mikao Usui. De lá para cá, não há nenhum estudo científico que conseguiu provar que esse tipo de tratamento possui alguma eficácia na cura de nenhuma doença (além do efeito placebo, é claro).

Conclusão

A USP não comprovou que a cura através da imposição de mãos funcione. Na verdade, esse boato surgiu de uma dissertação de mestrado de um aluno da Universidade de São Paulo, que não se confirmou. Não há nenhum problema em ser tratado através do reiki. Só não abandone os tratamentos convencionais para se tratar apenas com essas simpatias!

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!