Informação

Mãezinhas de Luto

Esse Grupo destina-se a aproximar mãezinhas, queridas, que perderam seus filhos e para que outros participantes publiquem textos, imagens e vídeos de conforto emocional / espiritual

Local: Espirit Book
Membros: 125
Última atividade: 24 Abr, 2018

Fórum de discussão

DEIXO MEU TESTEMUNHO - SUELY DOS ANJOS

Iniciado por Suely dos Anjos. Última resposta de Suely Claudete V.D.Almeida 13 Jul, 2015. 2 Respostas

DEIXO MEU TESTEMUNHO Nasci espírita, ou seja, todo meu conhecimento,assim como dediquei…Continuar

Tags: deixo, meu, testemunho

CAUSAS DAS MORTES PREMATURAS * CRIANÇAS NO MUNDO ESPIRITUAL

Iniciado por Alvaro dos Santos. Última resposta de sueli rodrigues 16 Out, 2014. 1 Resposta

 Como explicar a situação da criança, cuja vida material se interrompe?…Continuar

Tags: andré, emmanuel, luiz, xavier, cândido

Saudades de minha irmazinha querida, vai fazer 6meses que ela foi ao encontro de " jesus".

Iniciado por Neuma Maria de Almeida 8 Ago, 2014. 0 Respostas

Eu sei que vc tem consideraçao por sua mae , mas tenha mais um pouco de tolera^ncia para com ela , pois esta' mais velha do que vc e precisa ter mais paciencia., pr' naoh se ter remorso depois, nao…Continuar

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Mãezinhas de Luto para adicionar comentários!

Comentário de Djalma Araujo Almeida em 18 outubro 2015 às 9:44

OFERTAS DE AMOR

Meimei

Mãezinha.

Enquanto o mundo te adorna a presença com legendas sublimes, abrilhantando-te o nome,quis trazer-te a homenagem de meu reconhecimento e de meu carinho, segundo as dimensõesde tua bondade, e te rememorei os sacrifícios...

Revi, Mãezinha, as tuas noites longas, junto de mim, quando a febre me atormentava no berço. Anjo transformado em mulher, erguias as mãos para o Céu e o que falavas com Deus me caía no rosto em forma de lágrimas!.. Tornei a encontrar-te os braços acolhedores, festejando- me o retorno à saúde, com a doçura de teus beijos.

E, vida em fora, o pensamento recuou para lembrar-te...

Com a retina da memória, contemplei-te os lábios pacientes, ensinando-me a pronunciar as preces da infância; e, nesses lábios inesquecíveis, fitei os sorrisos de júbilo, quando me deste os primeiros livros da escola.

Depois, acompanhei-te, passo a passo, o calvário de renúncia em que me levantaste para a vida.

Quantas vezes me abraçaste, trocando bênçãos por aflições, não conseguiria contar...

Quantas vezes e ocultastes e no sofrimento para que a alegria não me fugisse, realmente, não sei....

Passou o tempo e, hoje, de alma enternecida, anseio debalde surpreender as palavras com que algo te venha a dizer de meu agradecimento; entretanto, eu que desejaria medir o meu preito de afeto pelo tamanho de teu devotamento, posso apenas calcular a extensão de meu débito para contigo, a repetir que te amo e que em ti possuo o meu tesouro do Céu.

Perdoa, Mãezinha, se nada tenho para dedicar-te, senão as pérolas do meu pranto de gratidão, iluminadas pelas orações que endereço a Deus por tua felicidade. E, se te posso entregar algo mais, deixa que te oferte o meu próprio coração, neste livro de ternura, por dádiva singela de minha confiança e carinho, num ramalhete de amor.

Meimei

Uberaba, 1 de março de 1.971

Comentário de Alvaro dos Santos em 17 outubro 2015 às 16:52

Comentário de Djalma Araujo Almeida em 4 outubro 2015 às 16:58

Mãezinha, porque se transforma em luto se és mãezinha de luz? Quantas vezes chorou? Quantas aflições suportastes ,não é verdade? Hoje me tenho ido, mas ontem foi você que veio. Permaneces aqui. Continuas querendo chorar. Mas porque tudo isso se a senhora esteve sempre ao meu lado? Quantas encarnações estivemos juntos. Quantas vezes você foi minha mãe e eu teu filho ou filha. Quantas vezes fui teu esposo ou mesmo teu pai. Vamos nos acostumando em idas e vindas . Um dia mamãe, estaremos juntos ,não importa a condição ,mas quando isso acontecer saberemos muitas verdades que devido a nossa falta de experiência nos diversos planos não compreendemos ainda como funciona a lei de divida da criação. Uma coisa é certa, todos os dias estou a te consolar. Meus avós ,tios ,primos e até amigos vibram por mim e por você. A minha alegria é imensurável. É muita alegria para um pingo de gente como eu. Nessa nova realidade, estou aqui. Aqui e ai. sempre que posso tenho autorização para te beijar, para te abraçar ,para te acariciar. Principalmente na parte da noite quando você sai do seu corpo. É assim que a coisa acontece. Eles estão rindo de mim , estão dizendo que é assim que o processo acontece. Você não lembra mas de vez em quando consegue lembrar que estive te beijando ou te orientando algo. O certo mãezinha é que estou mais vivo do que você e vocês possam imaginar. Não há como negar ou duvidar, mas entenda que somos eternos somos os mesmo de ontem e seremos os mesmos movidos pelos sentimentos de amor. Tenha calma e paciência ,pois tudo passa. Não se preocupem ,pois antes que eu retorne estarei a te esperar ,pois foi assim que nos foi orientado. Quando estiveres orando ,pense em mim. Quando estiveres cheia de alegria ,pense em mim ,pois estou compartilhando de tuas alegrias. Quando estiveres como todos nas noites de natal saiba que estarei do teu lado e de nossos familiares e amigos. Ninguém se acaba mamãe ,apenas mudamos de lugar. aqui ,agora tudo é felicidade. É diferente dai. Por isso, quero que saiba o quanto nos amamos e o quanto Deus é bom para com todos nós. Muito obrigado por tudo . Muito obrigado por existires . Muito obrigado pelas preces ,pois me ajudou muito. Aqui eu também faço preces para você e todos que estão ao teu lado. Que nosso paizinho do céu nos ilumine e sempre . Não esqueça do mestre Jesus. Como foi sua vida aqui na terra. Não esqueça do sofrimento de nossa mãe Maria. Hoje mãezinha ,ela transborda amor  sobre todas as moradas do Paizinho do Céu. Olhe para ela e veja a sua luz de alegria. Fé e esperança . Te amo!!!

Comentário de Alvaro dos Santos em 5 agosto 2015 às 0:20

Comentário de Alvaro dos Santos em 26 julho 2015 às 23:54

ORAÇÃO PELAS MÃES QUE PERDERAM SEUS FILHOS 

Comentário de Alvaro dos Santos em 1 março 2015 às 19:26

Comentário de Alvaro dos Santos em 14 fevereiro 2015 às 19:29

Comentário de ana maria teodoro massuci em 22 janeiro 2015 às 19:26

Carta às mães que perderam seus filhos


Mãezinha querida…Seu coração está em pedaços…
Não há dor maior do que a perda de um filho…
Aprendemos a amá-los de uma forma tão grandiosa,tão completa,que não conseguimos mais enxergar o mundo sem a sua presença ao nosso lado.
Descobrimos um tipo de amor que nos faz crescer e nos faz amar a vida como nunca antes havíamos amado.
E subitamente são levados…Aos poucos meses,nos primeiros anos…Ou um pouco mais tarde. Levados de nosso regaço através da morte tão cruel.
Mãezinha querida…Seu coração pede consolo,pede uma razão para continuar vivendo…
E esta razão estará sempre em seu amor por eles.
Primeiramente pelo amor aos que ficaram e respiram também o ar de seu amar:filhinhos,esposo,pais,amigos queridos.
Mas também pelo amor aos que partiram porque,mãezinha querida,eles continuam a existir e a amá-la como antes o faziam.
A morte não mata o Espírito e também não mata o amor.
“Um pai,uma mãe,nunca deveriam enterrar seus filhos”–diz o pensamento popular,fazendo menção à ordem natural da vida para os que deveriam partir antes.
Porém,a verdade é que você não enterrou seu filhinho,mãe:o que ali foi deixado sob a terra era apenas sua vestimenta corporal para esta breve encarnação.
Seu filho,sua filha continuam existindo. E todo amor que construíram no aconchego de seu lar não foi perdido:será a semente de um novo amanhã,quando voltarão a se encontrar.
Os planos maiores do Universo –ainda desconhecidos por nós –definiram que precisavam ir mais cedo,por razões especiais.
Voltaram para a verdadeira vida,o mundo espiritual,onde estão recebendo todo auxílio necessário para que sejam bem recepcionados em sua nova realidade.
Deus está com seus filhos nos braços,mãezinha. Segura-os através de seus tantos trabalhadores do bem, que estão encarregados de receber as almas após a desencarnação.
Você não perdeu seus filhos,embora a realidade pareça mostrar isso diariamente,pelo buraco que suas ausências na Terra deixaram.
Não…Você não perdeu seus filhos. A desencarnação é apenas o final de uma etapa e começo de outra.
Não perdemos as pessoas,assim como não se perde o amor semeado no coração.
Quando a saudade apertar e o ar parecer faltar,lembre,mãezinha,dos momentos felizes com eles,lembre de abraçá-los com carinho em suas orações aos céus.
Eles receberão seu abraço e ficarão felizes por saber que em sua alma não há revolta,não há ódio ou rancor,há apenas a natural e saudável saudade.
Através da oração você poderá manter um contato constante com eles,pois a prece une os”dois mundos”.
Diga que os ama muito,que sente falta,é certo,e que é este amor que lhe sustenta os dias na Terra,esperando o sonhado momento do reencontro.
Mãezinha querida…Você não está sozinha neste momento difícil:Deus está com você. Conte com Ele.
Redação do Momento Espírita.

Comentário de Isaura Nascimento Silva em 16 janeiro 2015 às 19:41

Temos que dar todo amor para a pessoa que nos colocou no mundo a mão, porque um dia não vamos ter ela do nosso lado, e vamos sentir sua falta, eu não tenho mais a minha mãe e sinto muito a falta dela, gostaria que ela estivesse ão meu lado, para conversar, mais não tenho

Porisso quem tem dedique a sua vida para ela.

Comentário de Celso Augusto Torrano em 28 dezembro 2014 às 8:17

Eu gostaria de ter uma orientação, a respeito da Alienação parental, que é uma morte inventada. Separei-me, pois não me entendia com minha ex-esposa, ela queria tiranizar, impor tudo de sua forma, e usava minha filha como moeda de troca, para conseguir casar, comprar casa, etc. Agora foi embora para longe, uns 300km e levou minha filha, como forma de me matar para ela, e como se eu morresse. Gostaria de um apoio.

 

Membros (124)

 
 
 

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!