O GRANDE ARCANO

Introdução

Tenho comentado aqui na Rede que Deus não é uma entidade, mas o númeno universal. Não adianta dizermos que Ele é infinito se pensamos nele como algo parecido a um homem com seus atributos divinizados. Deus é o Grande Arcano!

Amiúde, verifico com certa tristeza que as criaturas, com raras exceções, continuam aferradas ao conceito de uma divindade antropomórfica, embuçada em algum lugar do universo infinito. Não tão longe quanto os 'quasars' e nem tão perto como a Lua, mas sempre distante, nunca aqui na Terra.

Essa imagem causa perturbação e, estimulada por séculos de antropomorfismo, não é fácil de ser removida, só podendo ser extinta por uma nova concepção da Deidade que as disciplinas iniciáticas idôneas proporcionam. A distância é apenas psicológica.

O conceito antropomórfico de Deus tem travado substancialmente, ao longo do tempo, as melhores possibilidades de progresso humano, inclusive impedindo a eclosão da fraternidade universal, que deve ser embasada no desenvolvimento da consciência grupal e não individual. É uma obrigação de todo aspirante à Verdade construir sua fé baseada na força da sua inteligência e na luz do seu coração.  

No sentido esotérico, arcano é tudo aquilo cuja compreensão está oculta, mas cuja ação é perceptível à observação. Eis por que a visualização do Plano da Inteligência Suprema para a evolução do Homem há de contribuir para acelerar naturalmente o desenvolvimento do estudante gnóstico, considerando-se que a mudança de pensamento influencia a forma de agir.

A Teosofia, a Antroposofia e a Biopsicoenergética, para citar apenas três das principais multidisciplinas com enfoque no assunto, aplicam-se a decodificar para os interessados as leis que presidem a existência, a constituição e o objetivo do ser humano no presente universo. O Espiritismo, também, levantando o véu de muitas questões morais e espirituais, uma vez considerado como  Iniciação, contribui, em plano vestibular, da mesma forma para esse fim.   

Do Absoluto ao Homem

Do Absoluto ao Homem é um texto teosófico que debuxa, de forma simples, a obra da Criação, dando ensejo à abertura de vários debates instrutivos. Para mim, é um poema místico, de rara beleza, que tenho a satisfação de reproduzir abaixo.

"Do Absoluto, do Infinito, d'Aquilo em que tudo se contém, nada se sabe no grau em que nos encontramos, a não ser que Ele existe. Nada se pode dizer que não seja uma limitação e, por isso mesmo, inexata. Inumeráveis universos estão nele contidos e em cada universo sistemas solares incalculáveis!"

"Cada sistema solar é a expressão de um Ser poderoso, que chamamos Logos, a Palavra de Deus ou a Divindade Solar. Em Seu sistema Ele é Aquilo que os homens designam pela palavra Deus. Ele o penetra com Sua Vida e nada há que não seja Ele nesse sistema. E para nós manifesta-se tanto nos astros que o constituem como na pequena partícula de matéria que conhecemos".

"Entretanto, existe acima e fora de Seu sistema, vivendo uma existência prodigiosa entre os Seus Pares. Uma sagrada escritura oriental assim se expressa: - "Tendo penetrado este universo inteiro com um fragmento de Mim-Próprio, nele habito!"

"De Sua vida superior tudo se ignora, porém, o estudo dos planos inferiores de Sua manifestação fornece algumas informações sobre o fragmento de Sua vida que anima o Seu sistema. Sem vê-lo, pode-se, todavia, constatar o efeito de Seu poderio em ação. De Sua própria substância criou Ele este sistema prodigioso".

"E nós, que fazemos parte deste sistema, evoluímos dos fragmentos de Sua vida, centelhas de Seu fogo divino. Dele todos viemos e para Ele voltaremos!"

"Nenhum clarividente pode ser ateu; a evidência do contrário é formidável". 

 Texto de Charles Webster Leadbeater.

 AS TRÊS VERDADES

 As ‘Três Verdades’ encontram-se no capítulo VIII do livro ‘O Idílio do Lótus Branco’, de Mabel Collins (Editora Pensamento), onde se lê:

 “Há três verdades que são absolutas e não podem ficar perdidas, mas podem  permanecer em silêncio por falta de quem as proclame.

 I)      A Alma do Homem é imortal e o seu futuro é o de uma coisa cujo crescimento  e esplendor não têm limites.

 II)     O Princípio que dá a vida mora em nós e fora de nós; é imortal e eternamente  benfazejo; não pode ser visto, nem ouvido, nem sentido pelo olfato; mas pode ser  percebido por todo homem ou mulher desejoso de percebê-Lo.

 III)   Cada Homem é o seu absoluto legislador; o dispensador para si de sua glória  ou obscuridade; o decretador de sua vida; o árbitro de sua  recompensa ou de seu  castigo.

 Estas Verdades, grandes como a própria Vida, são, porém, simples como a mente  do mais simples dos seres humanos.

Alimentai com elas os famintos !

CONCLUSÃO

 Percebe-se que a Adoração é a primeira lei do universo; a Imanência a sua  sustentação; e a Justiça ou Equilíbrio o caminho para a Perfeição. Compreender    isto, certamente, comporta uma Iniciação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exibições: 433

Respostas a este tópico

Olá a todas/os,

O texto O GRANDE ARCANO - Texto sobre Antroposofia publicado por Nizomar Sampaio Barros NÃO É UM TEXTO ANTROPOSÓFICO! Por favor, eu pediria que neste grupo de estudo só se publicasse material antroposófico ou se discutisse material e questões antroposóficas. Outros assuntos deveriam ser postados em outros locais ou grupos.

Vou comentar apenas dois trechinhos que já mostram que o texto não é antroposófico (há vários outros trechos com essa característica):

1. "...eclosão da fraternidade universal, que deve ser embasada no desenvolvimento da consciência grupal e não individual"

Do ponto de vista antroposófico, a humanidade já passou da época em que a consciência grupal era válida, como por exemplo a consciência tribal ou mesmo da polis na antiga Grécia (Esparta x Atenas, por exemplo).  Hoje em dia, não é mais. Temos que desenvolver a consciência absolutamente individual, mas voltada para a humanidade, e com isso vai se realizar a fraternidade -- a partir de cada indivíduo, mesmo atuando por meio de uma comunidade.

2. "I)      A Alma do Homem é imortal e o seu futuro é o de uma coisa cujo crescimento  e esplendor não têm limites.

Do ponto de vista antroposófico, a alma não é imortal. O que é imortal é o espírito individual, o Eu Superior de cada um. Para uma distinção entre alma e espírito, e entender por que a primeira não é imortal, estude-se por exemplo meu texto

Uma introdução antroposófica à constituição humana.

Finalmente, notem como o texto não é voltado para a compreensão, tendo assim um enfoque contrário aos textos antroposóficos.

aaaaaaaaaaaaa, VWS.

RSS

© 2020   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!