Você já pensou sobre qual é o objetivo da família, na terra? 
Afinal de contas, por que existe a família? 
Se Deus, que é o Criador de todas as coisas, criou a necessidade da vida em família, é porque ela tem uma finalidade importante para o progresso do Espírito. 
Vamos encontrar a resposta para essa questão, nos ensinamentos do maior Sábio de todos os tempos. 
Jesus recomendou que devemos amar o próximo como a nós mesmos. 
Assim, a família é essa escola onde podemos aprender a amar umas poucas pessoas para um dia amar a humanidade inteira. 
Deus, que é a inteligência suprema, sabe que no estágio evolutivo em que se encontra, o homem é incapaz de amar todos os seres humanos como a si mesmo. 
Por essa razão ele distribui as pessoas nessas pequenas escolas chamadas lares, para que aprendam o amor ao próximo mais próximo. 
É assim que em nossas múltiplas existências vamos aprendendo o amor, nas suas diversas facetas: amor de mãe para filho, de filho para mãe, de irmão para irmão, de avô para neto, de neto para avô, de tio para sobrinho, de sobrinho para tio, de esposo para esposa e assim por diante. 
E, quando conseguimos amar verdadeiramente um filho, por exemplo, nosso coração se enternece também pelos filhos alheios. 
Quando desenvolvemos profundo amor por uma avó ou pelos pais, toda vez que uma velhinha ou velhinho cruzar nosso caminho, sentiremos algum carinho, porque nos lembraremos dos nossos queridos velhos. 
Assim, os laços de afeto vão se formando, aos poucos, para que um dia possam se estender por toda a grande família humana. 
Considerando-se, ainda, a lei da reencarnação, ou seja, das várias existências no corpo físico, vamos solidificando esses laços de afetividade com um maior número de espíritos, que nascem sob o mesmo teto que nós. 
Dessa forma, nossa família espiritual se amplia e os laços de bem-querer se solidificam a cada nova possibilidade de convívio. 
Podemos constatar essa realidade no amor que nutrimos pelos amigos, que não fazem parte da parentela corporal, mas com os quais temos laços sólidos de afeição. 
Se o amor ao próximo é lei da vida, teremos, mais cedo ou mais tarde, que aprender esse amor. E nada mais lógico do que começar pelos familiares, que a sabedoria das leis divinas reuniu no mesmo lar. 
Portanto, viver em família é um grande desafio e ao mesmo tempo um importante aprendizado, pois o convívio diário nos dá oportunidade de limar as arestas com aqueles que por ventura tenhamos alguma diferença. 
Nascendo no mesmo reduto familiar é mais fácil superar as desafeições, pois os laços de sangue ainda se constituem num ponto forte a favor da tolerância e da convivência pacíficas. 
É por essa razão que existe a família: para que aprendamos a nos amar como verdadeiros irmãos, filhos do mesmo Criador. 
Pense nisso! 
Olhando a humanidade como uma grande família, todas as barreiras que separam os povos caem por terra, pois num outro país, numa outra raça, numa outra religião, pode estar alguém que já foi nosso parente consanguíneo ou nosso grande amigo numa existência física passada. 
Assim, se você entender que isso tudo faz sentido, comece a ver as pessoas que cruzam seu caminho com outros olhos. Com olhos de quem entende e atende a recomendação do Cristo: ame o próximo como a si mesmo.

***
Redação do Momento Espírita
Imagens: http://www.dailymail.co.uk

Exibições: 815

Responder esta

Respostas a este tópico

-  Constituição Federal de 88

Art. 226. A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.

§ 3º - Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.

Art. 1.514. O casamento se realiza no momento em que o homem e a mulher manifestam, perante o juiz, a sua vontade de estabelecer vínculo conjugal, e o juiz os declara casados.

Art. 1.723. É reconhecida como entidade familiar a união estável entre o homem e a mulher, configurada na convivência pública, contínua e duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição de família.

Romanos,13:13. “Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja.”

- 1 Coríntios 6:9-10 “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus?
Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.”

Considerando a importância da família, André Luiz  (em "Conduta Espírita") oferece um roteiro seguro visando melhores relacionamentos...

                                              PERANTE OS PARENTES
Desempenhar todos os justos deveres para com aqueles que lhe comungam as
teias da consanguinidade.
Os parentes são os marcos vivos das primeiras grandes responsabilidades do
Espírito encarnado.
Intensificar os recursos de afeto, compreensão e boa-vontade para os afins mais
próximos que não lhe compreendam os ideais.
O lar constitui cadinho redentor das almas endividadas.
Dilatar os laços da estima além do círculo da parentela.
A humanidade é a nossa grande família.
Acima de todas as injunções e contingências de cada dia, conservar a fidelidade aos
preceitos espíritas cristãos, sendo cônjuge generoso e melhor pai, filho dedicado e
companheiro benevolente.
Cada semelhante nosso é degrau de acesso à Vida Superior, se soubermos recebê-lo
por verdadeiro irmão.
Melhorar, sem desânimo, os contatos diretos e indiretos com os pais, irmãos, tios,
primos e demais parentes, nas lides do mundo, para que a Lei não venha a cobrar-lhe
novas e mais enérgicas experiências em encarnações próximas.
O cumprimento do dever, criado por nós mesmos, é lei do mundo interior a que não
poderemos fugir.
Imprimir em cada tarefa diária os sinais indeléveis da fé que nutre a vida, iniciando
todas as boas obras no âmbito estreito da parentela corpórea.
Temos, na família consanguínea, o teste permanente de nossas relações com a
Humanidade.


“Mas se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e
é pior do que o infiel.” — Paulo. (I TIMÓTEO, 5:8.)

_“se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisas abominável...” Levítico 20:13

 

Orlando Cardoso vc deveria se preocupar um poco com seus "conhecimentos" bíblicos. Não se esqueça que os assassinos de Cristo foram os maiores intérpretes dela. Que a parábola do Fariseu e o Publicano possa ter ser útil, em vez de mera leitura; que vc possa buscar fazer o que é certo em vez de dizer aos outros o que é errado. Lembre-se, ninguém responderá pelos erros de ninguém, tampouco gozará das recompensas alheias. Isso é apenas uma dica, o que vc faz ou deixa de fazer corre por sua conta...

Pao Nosso Liçao:94 - Sexo. – Emmanuel 105 – PÃO NOSSO (pelo Espírito Emmanuel) 

“Eu sei,  e  estou  certo  no  Senhor Jesus,  que  nenhuma coisa é de si mesma imunda a não ser para aquele que a tem por 

imunda.”  Paulo (Romanos, 14:14) 

Quando Paulo de Tarso escreveu esta observação aos romanos, referia­se à  alimentação que, na época, representava objeto de áridas discussões entre gentios e 

judeus.  Nos dias que passam, o ato de comer já não desperta polêmicas perigosas,  entretanto, podemos tomar o versículo e projetá­lo noutros setores de falsa opinião.  Vejamos o sexo, por exemplo. Nenhum departamento da atividade terrestre  sofre  maiores  aleives.  Fundamente  cego  de  espírito,  o  homem,  de  maneira geral, ainda não consegue descobrir aí um dos motivos mais sublimes de sua existência.  Realizações das mais belas, na luta planetária, quais sejam as da aproximação das  almas  na  paternidade  e  na  maternidade,  a  criação  e  a  reprodução  das  formas,  a  extensão  da  vida  e  preciosos  estímulos  ao  trabalho  e  à  regeneração  foram  proporcionadas  pelo  Senhor  às  criaturas,  por  intermédio  das  emoções  sexuais; todavia,  os  homens menoscabam  o  “lugar santo”,  povoando-­lhe  os  altares  com  os fantasmas do desregramento.  O sexo fez o lar e criou o nome de mãe, contudo, o egoísmo humano deu­ 

lhe em troca absurdas experimentações de animalidade, organizando para si mesmo  provações cruéis.  O Pai  ofereceu  o santuário  aos filhos, mas  a incompreensão se  constituiu  em oferta deles. É por isto que romances dolorosos e aflitivos se estendem, através  de todos os continentes da Terra.  Ainda assim, mergulhado em deploráveis desvios, pergunta o homem pela  educação sexual, exigindo­-lhe os programas. Sim, semelhantes programas poderão  ser úteis; todavia, apenas quando espalhar­se a santa noção da divindade do poder  criador, porque, enquanto houver imundície no coração de quem analise ou de quem  ensine, os métodos não passarão de coisas igualmente imundas.



Ronaldo Costa/O Arrebol Espírita disse:

                1 – Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim para destruí-los, mas para dar-lhes cumprimento. Porque em verdade vos digo que o céu e a Terra não passarão, até que não se cumpra tudo quanto está na lei, até o último jota e o último ponto. (Mateus, V: 17- 18)

Orlando Cardoso vc deveria se preocupar um poco com seus "conhecimentos" bíblicos. Não se esqueça que os assassinos de Cristo foram os maiores intérpretes dela. Que a parábola do Fariseu e o Publicano possa ter ser útil, em vez de mera leitura; que vc possa buscar fazer o que é certo em vez de dizer aos outros o que é errado. Lembre-se, ninguém responderá pelos erros de ninguém, tampouco gozará das recompensas alheias. Isso é apenas uma dica, o que vc faz ou deixa de fazer corre por sua conta...

Isso mesmo Orlando Cardoso, faça como Jesus, cumpra a lei e faça o que considera ser o certo (ou errado/lei de livre arbítrio) e não perca tempo querendo ensinar ou determinar o que os outros façam, por que isso não diminuirá em nada as consequências de teus erros e o céu também não te outorgou qualquer autoridade sobre teus irmãos, até porque vc não tem moral para isso, pode acreditar, estais muito longe da santidade que crer possuir, também és um criminoso. Busca corrigir os teus erros; essa, tão somente essa, é a tua obrigação. A única coisas de ti que pode servir para a humanidade serão os teus bons exemplos, a tua compaixão e a tua misericórdia, se os tiver.

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!