Allan Kardec, em O Evangelho Segundo o Espiritismo, diz que a felicidade não é deste mundo. O que se entende por felicidade? Se a felicidade não é deste mundo, devemos esperar o desencarne para usufruí-la? Não é possível desfrutá-la já?   

                                      


Exibições: 520

Responder esta

Respostas a este tópico

Para o Livro dos Espíritos existe uma medida comum de felicidade para todos os homens na face da Terra:  a posse do necessário, a consciência tranquila e a fé no futuro.

Em nenhum momento é dito que devamos "sofrer" neste mundo que hora estamos encarnados. A busca da felicidade é uma prova, um desafio e aprendizado para cada um. Quando encontramos um equilíbrio entre o TER E SER, procurando seguir as Leis Divinas, agindo com justiça e caridade, acredito que possamos desfrutar da felicidade neste mundo. Lembrando que a Felicidade é diferente para cada pessoa e vai depender dos nosso merecimentos e grau de evolução.

Desde pequeno, estudando a Doutrina, sempre me fiz essa pergunta..

"Não sofrer" não significa "Ser feliz"...

 

Mesmo tendo "a posse do necessário, a consciência tranquila e a fé no futuro", como ser realmente feliz quando você tem irmãos nas ruas, no frio, passando fome ?

 

Como ser feliz com tanta gente sendo massacrada em guerras, muitas vezes dentro do próprio país ?

 

Ser feliz, em um cenário desses, com irmãos ali, do seu lado, sofrendo horrores, não equivale a dizer : "que se dane que haja tanta gente sofrendo, o que importa é eu estar feliz !" ?

 

Ou seja, não é o cúmulo do egoísmo ?

No meu ponto de vista, acredito que uma vida de resignação diante das adversidades que a jornada terrena nos impõe, o caminhar com retidão respeitando nossos irmãos e se fazendo respeitar através de obras dignificantes, tudo isso colabora para que o nosso estado de espírito se encha de alegria e "felicidade". E essa "felicidade" é uma pequena prévia da Felicidade Maior que nos aguarda no além túmulo. Mas de nada adianta sentar e esperar essa tal Felicidade de braços cruzados vendo os acontecimentos passarem a sua revelia. Faz-se necessário, sim, preparar a nossa chegada do outro lado. Já reza a máxima: "A semeadura é opcional, mas a colheita é obrigatória..." Não pensem que o simples desencarnar os tornará santos da noite para o dia. É necessário fazer jus a essa Felicidade futura. Sendo assim, aquele que busca a Felicidade pelos caminhos apontados pelo nosso Mestre Jesus já o é. É o que eu, humildemente, acho... Paz no coração de todos vocês!!!

Então, precisamos estabelecer o que é felicidade? Se seguirmos esta linha, devemos nos recriminar por sermos saudáveis? Como termos saúde se há tantos enfermos? Como termos pernas e braços, se há tantos que não tem? Devemos passar fome também por que há milhares famintos no mundo?

Cada espírito reencarnou neste mundo de provas e expiações com uma missão e não nos cabe saber em que estágio de evolução estão e nem o que fizeram em outras encarnações para estarem passando por essa prova ou por essa dor. Não viemos aqui para resolver o problema do mundo inteiro. O nosso dever como cristão é estarmos preparados para ajudar e amparar da melhor forma possível aos irmãos necessitados. Só podemos fazer isso se estivermos fortalecidos fisicamente e espiritualmente. Ter a consciência do que é nosso dever e ter amor no coração para amenizar a dor dos que sofrem e poder fazer isso, para mim é motivo de felicidade. Se vivermos infelizes, só podemos levar infelicidade aos outros....

Quem tem como posse apenas o necessário, e deixa tudo o que lhe seria supérfluo preencher as necessidades dos outros, faz a mais eficiente militância contra a fome e a miséria.

A consciência permanece tranquila desde que não tenha  que sentir-se culpada pelos excessos que privariam outros de necessários, e desde que o ser  esteja fazendo o possível, dentro de suas possibilidades, para melhorar a ordem das coisas.

A fé no futuro é a convicção da evolução permanente onde o sofrimento é contingência transitória causada por erros cuja compreensão e correção pavimentam o limiar da felicidade.

Quem usa apenas o necessário; tem a consciência tranquila do dever em cumprimento; e trabalha com fé num futuro melhor, está muito, mas muito mesmo, longe do "cúmulo do egoísmo".

 

A questão não é salvar o mundo, óbvio... E nem se sentir mal por ser saudável, etc... A questão é estar feliz ao lado de pessoas que estão em total infelicidade. Sabendo que são seus irmãos...Isso é possível ? Ou isso é insensibilidade ?

Amigos, agradeço todos os comentários! São reflexões basadas no aprendizado da doutrina pela visão pessoal de cada um...

Não tenho como responder a todos... Trago então, para me auxiliar, a questão 920 do LE (ver as seguintes sobre o mesmo tema):

 920. O homem pode gozar na Terra uma felicidade completa?

      — Não, pois a vida lhe foi dada como prova ou expiação, mas dele depende abrandar os seus males e ser tão feliz, quanto se pode ser na Terra.

 

Daí, já podemos tirar uma base e pinçamos muito do que foi dito aqui.

Aquele que já tem consciência das leis de Deus, sabe que a passagem pela Terra é transitória, e que seu destino é alçar vôos mais alto. Sabe que a felicidade é relativa ao estágio evolutivo de cada um. Entende, como bem foi dito aqui, que não há como ser feliz sabendo que seu próximo sofre (vide exemplo de Bezerra de Menezes, que convidado a subir a planos mais elevados, declinou da honrosa oferta pois não podia se permitir viver em esferas mais abençoadas, sabendo que tantos necessitados sofriam miserálvelmente);

Entende ainda,  que, a consciência só pode "estar tranquila" se, no máximo de suas forças, praticar todo o bem que lhe está ao alcance das possibilidades.

Não devemos nos recriminar por sermos saudáveis (nunca, agradecer sempre)! mas devemos usar a saúde que dispomos para nos melhorarmos e levar aos outros a melhora que alcançarmos. Tudo que nos é concedido por Deus, é para crescermos enquanto individualidade, e para ser multiplicado para a coletividade.

Á medida que crescemos, em evolução moral, mais nossa consciência cresce; nossa fé se fortalece, e a caridade torna-se mais e mais um hábito. Quanto mais caminharmos no Bem, mais tranquilidade emocional e espiritual teremos, e menos as angústias e inquietações do dia a dia nos afetarão...

A felicidade está nas coisas simples da vida que todos nós temos e que são de graça!

Precisamos de muito pouco para sermos felizes.

A felicidade é relativa de acordo com a necessidade e evolução de cada ser humano. Devemos estar sempre atentos ao que realmente é importante para sermos felizes. Na maioria das escolhas / decisões que tomamos, esquecemos que estamos aqui na caminhada para felicidade. Esquecemos o longo prazo e pensamos no hoje e agora. Pensar no futuro não é somente pensar na nossa vida daqui a 30 anos, mas sim pensar em todas as existências que teremos ao longo de nossa vida.

 

Quanto mais elevados espiritualmente estivermos, estaremos contribuindo para a verdadeira felicidade.

Oi, Leonor. Vc colocou a seguinte frase:

"A felicidade é relativa de acordo com a necessidade e evolução de cada ser humano. Devemos estar sempre atentos ao que realmente é importante para sermos felizes."

Como nos foi dito pelos espíritos superiores no Evangelho Segundo o Espiritismo, a felicidade que podemos alcançar, aqui na Terra, é relativa a evolução de cada um, e à evolução do próprio orbe. 

Entretanto, e nesse caso tomando como base a sua frase, entendo que uma das principais ferramentas para alcançarmos essa felicidade, é o autoconhecimento. Nos conhecendo, e procurando nos melhorarmos como seres imortais, estamos cada vez mais semeando a felicidade que almejamos...

Obrigadinho, viu? Um abração!


Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!