Qual sua visão sobre o ABORTO ? Ele é justificável em alguma situação ? Afinal, quando se pode considerar o início da vida ? Na concepção, após alguns meses de gravidez, depois do nascimento ? Qual a visão das religiões, da filosofia e da ciência ? Uma vez que muitas mulheres procuram clínicas e quase chegam a óbito, seria melhor legalizar ? Qual a sua opinião em particular ?

Tags: aborto, feto

Exibições: 5716

Responder esta

Respostas a este tópico

QUANDO MENINA,TINHA 17 PARA 18 ANOS ENGRAVIDEI DO MEU PRIMEIRO FILHO,FOI UM CAOS,POIS ISTO HÁ 35 ANOS ATRÁS, ENGRAVIDAR SOLTEIRA,ERA UM HORROR.MAS MESMO ASSIM, INSISTI COM MINHA FAMILIA,E ATE ME INDISPUS COM ALGUNS ELEMENTOS,POIS FUI RADICALMENTE CONTRA,E TIVE MEU FILHO.E SE FOSSE HOJE TAMBEM TERIA.PORTANTO SOU RADICALMENTE CONTRA.VEJAM BEM, PARA MIM.É CLARO QUE TEMOS HOJE,A QUESTÃO DE ALGUNS CASOS EXTREMOS,TIPO RISCO DA SAÚDE DA MÃE E DO BEBE,E OUTRAS SITUAÇÕES GRAVES.MAS MESMO ASSIM GENTE,ACREDITO QUE QUANDO ENGRAVIDAMOS,JÁ TEM UM ESPIRITO ALI,DESTINADO A REENCARNAR,E NÃO ME ACHO NO DIREITO DE CORTAR ESSA EXISTÊNCIA.

Porém a mãe que  assassinou o feto estaria criando um carma para si.  Era sua provação e fugiu.  Talvez sua grande chance nesta vida para resgatar um débito para com o ser abortado.  O carma não nos obriga a nada, ou não haveria livre arbítrio.   

Se uma criança fosse fruto de um estrupo, uma vez nascida seria justificavel assassiná-la?

Por que ainda dentro do útero poderíamos matá-la?  Porque assim não poderíamos ouvir seus gritos?

Boa noite!

Antes de mais quero dizer que ainda não consegui ler todas as intervenções, mas desejei deixar aqui a minha opinião! E reforço, é apenas a minha opinião! Não desejo culpar ou desculpar seja quem for, porque imagino que muitas mulheres o façam por um ato de grande desespero! Mas em Portugal, a realidade é um pouco diferente…mesmo assim não julgo ninguém!

Este é um tema extremamente sensível, onde muitas vezes a opinião muito própria choca com as ideologias religiosas!

No espiritismo só se aceita o aborto em caso de risco de vida para a mãe…mas mesmo aí, se fosse comigo, não sei se teria coragem de o fazer!

O aborto deixa na mulher marcas para toda a vida! Conheço alguns casos e é um verdadeiro tormento! Mesmo em caso de violação, eu não concordo, nem mesmo com a doação da criança para adopção! Quem somos nós para julgar ou pretender saber tudo o que nos está destinado? Não será que essa criança nos escolheu como mães por algum motivo? Não teremos uma grande missão com elas? Não precisarão elas de justamente nós para crescerem ou resgatarem algo? Não serão elas a nossa grande tábua de salvação e a nossa maior alegria e felicidade no futuro? O mesmo pergunto em relação aos outros casos que já foram escritos aqui: dificuldades económicas, famílias desestruturadas, etc. Penso que não cabe a nenhum de nós, seres humanos tão imperfeitos, questionar as decisões de Deus, pois Ele só nos dá e nos proporciona aquilo que nos faz evoluir, aquilo que nos faz crescer…aquilo que nos aproxima Dele! Como nos daria algo que não fosse para o nosso bem? Não é possível!

Em Portugal, infelizmente, o aborto é legal e pior do que isso, comparticipado pelo estado! Muitas mulheres adultas e muitas mulheres jovens e mesmo adolescentes são verdadeiramente inconscientes, porque têm sempre a solução do aborto. Mas antes de terem de recorrer ao aborto, há uma outra solução que iliba as pessoas de se precaverem! Também temos um comprimido que se chama “a pílula do dia seguinte”! Mesmo que não tenham cuidado nenhum, basta tomar aquele comprimido até 72h (penso eu) e pronto…já está. Diz-se que é a pílula abortiva. Se não der resultado qualquer hospital público pode fazer um aborto!

Na semana passada li uma notícia deliciosa num jornal; uma mãe encontrou a sua filha ao fim de 77 anos! Quando tinha 17 anos foi violada e engravidou. Os pais ao saberem enviaram-na para um centro que acolhia adolescentes nessa situação. A menina nasceu, mas a mãe nunca a viu e ela foi imediatamente entregue a um casal do qual a mãe nem o nome sabia! Demorou 77 anos, mas a mãe encontrou a filha! Com essa filha, ganhou uma família inteira! O curioso é que as duas são iguaizinhas! As duas ficaram super felizes com o reencontro, trocando mimos e flores! Um belo presente para adoçar a velhice de alguém, que passou uma vida angustiada por não saber o que era feito da filha! Independentemente de ter sido concebida num ato de violência, aquela mãe nunca desistiu!

E então…valeu a pena ou não? J No momento tudo pode parecer o fim do mundo…mas o tempo passa e as coisas tendem a resolver-se!

E esta frase…esta frase é linda: ''Se aceitarmos que uma mãe mate seu filho dentro do próprio ventre, como poderemos dizer às pessoas que não matem umas ás outras''  -  Madre Tereza de Calcutá.

 

Obrigada a todos

Bem-hajam

 

Temos no Brasil um sociedade inculta e despreparada em consequência da falta de escolaridade de seu povo.Por isso 50% do povo ganha 370reais! Em sociedades de maior cultura,  a questão do abortamento provocado é vista de outra maneira.A culpa das mulheres q optam por abortar é exclusivamente cultural: a sociedade com religiosidade exacerbada, coloca nos ombros dessas mulheres toda a culpa possível.Falem com mulheres q abortaram por inúmeras razões,de países diferentes da nossa inculta América Latina e verão q não há culpa nenhuma na consciência delas.( países europeus mto religiosos são iguais ao Brasil).Viajem e observem.Mas o q importa não é o q cada um pensa e sim q se descriminalize o abortamento aqui.A questão é de foro íntimo portanto nenhuma lei deverá penalizar mulheres q optaram por abortar.Só, e só ,ela deverá decidir pois é ela q carrega o embrião/feto.

Cara, Maria Helena Saad, diz em sua réplica para conversar com mulheres que optaram por abortar em países ditos 'cultos', alguns até embasados em legislação, contudo todas encarnadas... Procure, então, conversar com algumas (não precisa ser muitas, não!) que abortaram, seja de que país for, mas 'do lado de lá' - desencarnadas, e ouça o que elas têm a dizer sobre o ABORTO, que conselhos dariam às pretendentes; lembrando que a Vida Real, a do Espírito Imortal, não é aqui, não! neste plano transitório, e, sim, do lado de lá - o Plano Espiritual - onde as conseqüências de nossos atos, de fato pesam em nossa consciência !!!

Denizar,a pessoa é a mesma cá ou no mundo espiritual.Veja a pesquisa do Dr Hernani qdo ele mostra um suicida reencarnado como mulher,poucos anos depois de sua morte,como uma pessoa normal,sem traumas.Na visão dos espíritas essa pessoa deveria estar se martirizando em culpas,vivendo um inferno pelo ato cometido.Aqui e no mundo espiritual,nada é tão drástico qto pensam mtos espíritas.Aliás o mundo espiritaul é caótico,como disse alguém no jornal Abertura.Ao invés de discutirmos esse ponto, q é de foro íntimo pq não insistimos com a descriminalização do aborto no país?Bjão

Que tal também descriminarmos também o estupro, a pedofilia e o uso de álcool por motoristas?   Afinal o que tem de mais matar uma criancinha dentro do útero onde ela nem pode gritar?  Como disse alguém em algum jornal  é tudo tão caótico, não é mesmo?  Vamos jogar fora o bom senso, pois Deus criou um universo caótico. Salvem-se quem puder!  Não sei quem é o dr Hernani nem que jornal Abertura é esse, mas acho que qualquer um pode dizer ou escrever o que desejar, o que não necessariamente significa ser verdadeiro.

Maria Helena, existe a lei dos homens e a Lei de DEUS; vivemos, ainda, num mundo onde predomina o mal, porém (pelo menos nós espíritas!) não podemos perder o 'foco' no Bem!

É verdade: a culpa, o remorso, a consciência pesada, varia de pessoa a pessoa, mas, cedo ou tarde, independente de qualquer coisa, teremos que nos ajustar com as Leis Divinas - isto é tão certo quanto a morte física, e tão certo como TUDO no Universo é fruto de uma Inteligência Suprema, infinitamente Justa e Misericordiosa, que proporciona inúmeras oprtunidades para repararmos nossos erros.

Um abraço fraterno.

...o papel aceita qualquer coisa... precisa ver se quem o lê aceita o que nele está escrito...

Como dizem... quem tem boca fala o que quer... cabe a nós absorvermos ou não...

Acho incrível,  tanta maldade à solta nesse mundo, e tão poucos para combatê-la...

eu penso sempre assim... básico... AÇÃO gera uma REAÇÃO...

... portanto, penso antes de cometer qualquer ato que possa vir a me prejudicar espiritualmente...  acredito que nossa chance aqui está chegando ao final.... somos a raça mais teimosa que sobrou nesse planeta...

O estupro não é um assunto de foro íntimo, assim como não é de foro íntimo decidir dirigir bêbado ou molestar uma criança.  Por quê?  Porque envolve o sofrimento de outro ser.  O mesmo vale para o aborto.   A mulher pode decidir sobre o seu corpo, desde que o corpo seja o dela, não o de seu filho.  É outro corpo que ela está destruindo.  Um assassinato não deixa de ser um assassinato só porque o assassino não o assume.  

O mesmo vale para o pai, que deixa toda a responsabilidade sobre a mulher.  É cúmplice por omissão.  Isso quando não é o "pai"  que induz a mulher ao aborto.

É muito fácil afirmar que pessoas abortam sem culpa.  Mas quem trabalha com saúde pode ver as sequelas emocionais que muitas ex-mães apresentam.   E essa culpa já mostra algum grau de adiantamento. Com certeza existem muitos neste planeta que matam sem culpa.  A ausência de culpa não é sinal de progresso moral, nem em países desenvolvidos.

COM CERTEZA LUIS , CONCORDO PLENAMENTE COM VC... EM GÊNERO, NR. E GRAU...

tenho várias pessoas, que ajudo quanto a auto estima e depressão, e na maioria dos casos, estão escondidos abortos que só elas sabem que fizeram... e é onde que detona a parte emocional delas... muita culpa... e quando não as assumem tentam jogar para quem as levou a fazer...

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!