Qual sua visão sobre o ABORTO ? Ele é justificável em alguma situação ? Afinal, quando se pode considerar o início da vida ? Na concepção, após alguns meses de gravidez, depois do nascimento ? Qual a visão das religiões, da filosofia e da ciência ? Uma vez que muitas mulheres procuram clínicas e quase chegam a óbito, seria melhor legalizar ? Qual a sua opinião em particular ?

Tags: aborto, feto

Exibições: 5862

Responder esta

Respostas a este tópico

Licença pra meter minha colher nesse caldo...

Concordo com Fábio. É como dizia nosso Mestre Jesus: "Vá e não peques mais."

Se a pessoa se arrepende, percebe que cometeu uma falta, busca saber o que é correto, e reformula sua maneira de pensar e agir, então já está no caminho do perdão de Deus, e da vítima do aborto. Mas tambem é importante sabermos nos conhecer e reconhecer nossas limitações; entender que fizemos o melhor que podíamos no estado de consciência que tínhamos...

Como na passagem da prostituta que é perdoada por Jesus. Ela é levada a entender que da forma como sua vida foi encaminhada, ela fez as escolhas de acordo com sua consciência e necessidades na época. Após o perdão de Jesus, ela compreende que estava em erro, e que não deve mais se prostituir. Reformula seu modo de vida. Não podia mudar o que foi. Mas podia escolher o que passaria a ser.

Um bjão, amigos.

Olá Querida!

Querida Sandra Regis,

 

Abaixo eu coloco suas palavras e depois as minhas para tentar entender um pouco mais o lado que não consigo entender de jeito nenhum: a legalização do aborto.

Por favor, não entenda como ARROGANCIA da minha parte, nem ache que eu falo com o ACHAR da verdade. De forma alguma. Mas eu não consegui ligar os pontos da forma como vc os colocou. e Senti a necessidade de me expressar como está abaixo.

 

Bom, eu não sei direito mas... para mim ''se não cabe censurar não seria o caso de deixarmos que as escolhas sejam feitas pelas pessoas envolvidas e não por regras sociais ditadas pelo homem?'' levando esse pensamento adiante, damos abertura para outros casos que envolvam vida e morte apenas para as pessoas envolvidas. E em outros casos onde ocorra o interrupção da vida, deixemos que os envolvidos se entendam e dispensamos as regras sociais ditadas pelos homens?

 

Não seria o caso de se oferecer condições saudáveis para que a mulher se recupere e possa retomar sua vida, até para repensar e refletir sobre suas ações não tão responsáveis? Se é um erro ou não, se é um "pecado" interromper uma gravidez impedindo o nascimento de um espírito, não está em nosso poder o julgamento pois a justiça se dará de acordo com o grau de culpabilidade e isso só a justiça divina ou natural poderá fazer

 Caso aconteça,sim, o certo seria ao meu ver dar condições de recuperação. Mas não entendo que ficar por isso mesmo, licitar a questão e então a ajuda e tão valido. As pessoas responsaveis pelas humanos no ventre e pelo aborto deveriam sofrer alguma restrição, para inibir o ato e seguindo adiante, aumentar a prevensão e diminuir aborto. Se isso não está em nosso poder de julgamento, oras, o que está. Estamos falando de vidas, de espiritos, de pessoas encarnadas e desencarnadas. Se deixarmos por conta somente da justiça divina, entendo que a coisa regride.

 

Nós ainda estamos muito arraigados aos valores judaico-cristãos e o "pecado" ainda faz parte da nossa cultura. Além disso, exitem as "estórias" narradas em romances, afirmando que os espíritos abortados se ligam às mães ou ao pai em sentimentos de ressentimento e dor, etc, etc. Mas isso não é regra e nem se pode tomar como padrão. Já recebemos, em nosso Centro Espírita Allan Kardec, de Santos, espíritos que deram testemunho de que lamentaram o fato mas que estão bem e seguem à espera de uma nova oportunidade. Sem dramas, sem vínculos expiatórios. Estamos arraigados a valores sim. Receber uma mensagem de que uns que foram abortados estão numa boa e outros estão ligados ao pai em sentimentos de ressentimento e dor não faz com que, ao meu ver, o ato seja melhor ou pior Se não tivessemos ligados a esses valores, estariamos ligados a que? Temos que estar e tanto é que estamos ligados. Não poderia ser de outra forma. A questão do pecado e das estorias não me faz diferenciar os fatos.

 

Até o momento entendo que a doutrina não abre espaços para assassinatos de pessoas dentro ou fora de barrigas. E sim deixa bem claro como devemos nos regras, nos educar para evitar problemas.

 

''Se aceitarmos que uma mãe mate seu filho dentro do próprio ventre, como poderemos dizer ás pessoas que não matem umas ás outras''  -  Madre Tereza de Calcutá.

 

Crianças crescendo vendo outras sendo mortas antes de nascer, podendo imaginar que isso poderia acontecer com elas e tendo o apoio do para caso aconteça, a recuperação abre espaço para o descuido quando a pratica do sexo. Isso pode ao meu ver, criar uma inversão de valores e dar um nós na importancia da vida para as proximas gerações.

Desculpe qualquer coisa e obrigado!

 

Fique com Deus

Apesar de já ter feito; hoje sou totalmente contra, pois acho que a vida começa na concepção e por isso sofro muito quando penso no passado.Antes eu não pensava assim, mas me aconteceram muitas coincidências que talvez não fosse o que parecia ser.

É um assunto delicado!

Cada um sabe de si, por isso existe o livre arbítrio!

Eu particularmente sou contra, no entanto, não posso responder por outra pessoa!

Cada um deve saber que haverão consequências sobre seus atos.

Bom Dia Henrique;

 

Aborto, ato mais infame que possa existir na Humanidade.A VIDA começa na concepção, pois há o ser que está sendo concebido, já está cumprindo as determinações Divinas.Não importa como foi gerado.O importante é a VIDA que se compromenteu antes da encarnação a cumprir suas missões, e cortar este vínculo, é loucura de uma vivência.O Código Penal no seu elenco informa quando ´pe possível o aborto, eu como advogada espiritualista, afirmo, não importa, nem que seja para resultar no desencarne da genitora.Assim estava acertado no plano astral.Minha Bisa-vó, desencarnou assim que deu a luz a minha avó.Jamais ela pensou em abortá-la.Assim deveria ser o entendimento da Humanidade.No estupro,  e dai? quando há adoções não sabemos quem são os pais.Eu tenho um dos meus filhos adotados, que afirmo, que o meu maior tesouro, não importa quem o gerou, mas o amor que zelo por ele.NASCER=COMPROMISSO DE VIDA!   

Aparecida, bom dia! desculpe lhe responder, mas não carregue a culpa.Você fez,pronto.Siga sua Vida.Quem está lhe respondendo é uma mulher, que me foi permitido saber da minha vida passada em sonhos,quantos abortos eu fiz.No entanto cara Amiga, ainda nasci sem querer ter filhos e afirmei ao meu marido antes de casarmos.No entanto, para engravidar foi muito difícil, e quando Minha Filha Maria Rita nasceu, sabia que pasaria pouco tempo conosco.Aos dois anos e meio, teve meningite, e nos meus braços entrou em coma.A dor é perene.Tenho mais outro filho.Porém Aparecida, vivo pela metade.Pois parte de mim está com o desencarne de Maria Rita.Masd nem todos serão julgados da mesma forma, a Divindade é sábia.Não nos culpemos dos atos que foram de momentos sabe lá as razões, mas vc teve a consciência.Fique na Paz.beijossss

Berenice, você diz que não importa se o filho foi gerado por estupro??

Qual seria sua reação ao saber que, por exemplo, sua filha estivesse grávida por estupro, ou grávida porque o pai/padrasto/tio, efim, a estivesse violentando?

Nunca fiz aborto e sou contra, mas também não coloco meus dedos nas feridas dos outros.

Mesmo sabendo das encarnações e desencarnações, enfim, nos processos pelos quais devemos passar, também temos ciência do livre arbítrio.

Julgar pessoas pelos seus erros é incorreto, uma vez que não sabemos o que causou aquela idéia, aquele ato... cada um age e responde por si...

Claro que concordo contigo sobre o fato de adoção...na minha família tivemos um caso de espera por anos por uma criança, mas, como em outros tantos casos, as famílias esperam por bebês e as crianças maiores vão ficando nos orfanatos, sem ter pra onde ir e quando atingem a maioridade, perdem completamente o rumo, não tem pra onde ir, nem o que comer... enfim....

Não me interprete a mal, não sou a favor do aborto. Sou a favor do livre arbítrio... não cabe a mim julgar o que é certo ou errado... cabe ao Nosso Pai saber o que fazer com aquela pessoa...

A única coisa que podemos fazer é amar ao próximo, mesmo com seus erros, defeitos, qualidades, enfim...

Parabéns pelo tema!!!! O aborto ainda é uma polemica no mundo, sendo eu espírita Kardecista de berço, creio que não há justificativa para se interromper a vida, principalmente de um ser incapaz de se defender, isso é uma covardia, um homicídio, e o que é pior, um homicídio planejado!!! Acredito que não haja nenhuma situação que deva justificar essa atitude, afinal Deus é maior, e se ele concedeu a oportunidade da vida a esse espírito, quem somos nós para interrompê-la???

Loren, eu fiz o cursoi de Direito e a única disciplina que me deixava com mal estar era Direito Penal.Tanto assi que aos dezessete anos ter que vivenciar algo que nunca suportei o direito, apenas fiz a poedido do meu querido avô.A área que atuo é família e defesa do consumidor.

Quanto a sua pergunta, mantenho a mesma resposta, mesmo sendo estupro de pai, padastro, deficiênte mental, para mim, o compromisso foi lá assumido, então deverá ser cumprido aqui neste Planeta Terra.é muito difícil conviver perante uma sociee, apenas eu lhe afirmo, sociedade apenas cobra e com maldade.Porém não estou na camada dos Espíritos Superiores.meu filho adotivo, aos três anos contei-lhe a verdade, pois a Humanidade é muito má.E conviver com mentiras, Não!o referencial deverá ser sempre a verdade, ela poderá causar um transtorno que não será para sempre a depender de como conduzir a situação.Nunca levei meu filho a psicólogo, pois quem sabe a forma de educá-lo sou eu.Queria até saber quem sejam os pais biológicos do meu Tesouro, mas impossível.Não por curiosodade, mas por uma necessidade de saúde, a célula tronco, mas não será possível.Observe que no comentário quer fiz com uma pessoa daqui que havia feito o aborto que se arrependeu, disse-lhe que esquecesse, passou, seguisse a vida, pois a reparação quem saberá mais tarde é ela que não se culpe, apenas ela terá o resgate desta vida.Ela saberá como conduzir pois o Criador nos dá forças para o momento de aflição.Viver e permanecer sem a culpa da Igreja Católica, pois nos impõe o pecado original!ue é pura mentira para celebrações de rituais.Amemos sim o próximo.Namastê!

 

Lindo Berenice!!!

Adorei sua resposta e concordo com você! Principalmente na parte em que dizes viver e permanecer sem a culpa da Igreja Católica, pois nos impõe o pecado original!Que é pura mentira para celebrações de rituais.

Concordo em gênero, número e grau...

A soceidade é má sim, age com maldade! Tu tens razão e respeito por demais a tua opinião em relação ao aborto!

Tenha um excelente final de semana e uma vida cheia de luz, porque sei que podes ajudar muitas pessoas com teus conhecimentos!

Olá...

Eu sou definitivamente contra o aborto, acredito que se previnir usando a camisinha, além de evitar varias doenças, evita um assassinato, no caso de estupro a situação é mais delicada, porém é uma vida ali tb, deixe nascer e permita a adoção.

Abraços a todos!!!!

 

Loren Querida, Amiga,agradeço a você por ter me compreendido, pois há colegas que ficam a comentar a respeito desta minha posição,  sigo o Ensinamento que foram sedimentados neste caminho de encarnação presente.Fazemos nós parte da Humanidade que não nos preocupamos com a sociedade, mas os princípios  da Espiritualidade pura, e não  a causa e o por que mas o SER na sua essência.Vamos permanecer semeando o AMOR, que é o Bem MAIOR que nos foi ofertado.Beijos Feliz Final de Semana!   

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!