Já vi amigos defenderem que o Espiritismo é Religião e apresentarem argumentos muito convincentes !

 

Mas, também já vi fortíssimos argumentos que defendem a tese contrária !

 

Afinal, o Espiritismo é ou não uma religião ?

 

Será que isso depende do que se entende por religião ?

 

Será que esse debate é realmente importante e nos leva a alguma mudança significativa quanto ao posicionamento do Espiritismo no mundo atual ?

 

Qual sua opinião sobre o assunto ?

Tags: espiritismo, religião

Exibições: 1073

Responder esta

Respostas a este tópico

olá

Sim, É !!!!

abs

pedrinho

Interessante tema.... Me prendi a questão da Religião, ou "religare"....

 

Existem muitas maneiras, criadas pelo homem, para se chegar à Deus. Uns acreditam nesse Deus que está fora, outros pensam ser parte Dele, parte de um Todo Universal. Contudo, todos os caminhos buscam o autoconhecimento? O "religare" é o autoconhecimento, creio eu, pois para se chegar a essa concepção é necessário esse "caminho". E essa "trilha ao divino" pode ser feita sob as mais diversas concepções, pq cada um vai se afinizar com determinada realidade. Todos os caminhos podem até levar-nos à Deus, mas qual a ideia real de Deus temos para chegarmos até ela? Será que é estática? Será que se transforma? Ou será que nem sabemos?

 

O Espiritismo nos traz uma visão científica sensacional, mas e a experiência? Até que ponto o conhecimento nos afasta ou nos aproxima de Deus ou da Religião em si? Depois de tantas perguntas, eu penso nas palavras de Osho:

 

“Por que terá o homem caído pelo conhecimento? Porque o conhecimento distancia, porque um conhecimento cria um “eu e tu”, porque o conhecimento cria um sujeito e um objeto, o conhecedor e o conhecido. (...) É por isso que quanto mais o homem torna-se culto, menos ele é religioso. Quanto mais instruído um homem, menor a possibilidade de ele se aproximar do todo”.

 

O Espiritismo é uma Ciência Matemática lindíssima. O nosso "religare" precisa ser?

esse artigo explica bem o assunto:

Por que Kardec não considerou o Espiritismo como uma Religião
http://www.espirito.org.br/portal/artigos/geae/porque-kardec-nao-co...

 

A socióloga Célia Arribas sustenta isso no vídeo indicado abaixo:

ESPIRITISMO - JO SOARES ENTREVISTA CELIA G ARRIBAS - AFINAL O ESPIRITISMO É UMA RELIGIÃO?
http://www.youtube.com/watch?v=pvm68kSZXOs

Pessoal, transcrevo o artigo indicado por Dercio Ribeiro :

"Por que Kardec não considerou o Espiritismo como uma Religião?

Carlos Alberto Ferreira

Kardec, sempre inspirado pelo Espírito de Verdade, na sua vasta obra, jamais considerou o espiritismo como uma religião.

E dizemos mesmo que existiu uma simbiose psíquica perfeita com o Espírito de Verdade, como poderemos ver nas suas "Obras Póstumas", na mensagem dos Espíritos de Setembro de 1863, onde poderemos ler: "... teu cérebro apreende as nossas inspirações com a facilidade com que tu mesmo as percebes. A nossa atuação, principalmente a do Espírito de Verdade, e constante sobre ti e tal que dela não podes esquivar-te." O Espírito de Verdade e o Codificador estavam demasiado conscientes dos graves prejuízos que as religiões realizaram na sociedade ao longo dos séculos. A carga psicológica negativa que exerciam na consciência das criaturas era demasiado pesada, escravizava as consciências em lugar de as libertar. As religiões estavam associadas a intolerância, a dominação e ao proselitismo que levou a muitas violências no esforço de impor aos outros as suas convicções, os seus dogmas de fé; estavam indelevelmente ligadas ao obscurantismo, aos privilégios (a "graça"), ao sobrenatural, ao milagre como derrogação das leis de Deus, as hierarquias sacerdotais que se arrogavam de representantes de Deus na Terra (sempre o "poder"); estavam impregnadas de rituais e outras praticas, quase sempre de caráter exterior; etc.

Todas essas crenças, praticas e estruturas são incompatíveis com a nova doutrina que e profundamente simples, racional e tolerante e que nos diz que a "Fé inabalável e somente aquela que pode encarar a razão, face a face, em todas as épocas da humanidade."

Allan Kardec, cinco meses antes do seu pensamento, proferiu na Sociedade Espírita de Paris um discurso em que nos disse por que razão o espiritismo não e uma nova religião. Desse discurso, que se poderá ler integralmente na "Revue", extraímos o seguinte extrato:

"Por que, então, declaramos que o Espiritismo não e uma religião? Porque não ha uma palavra para exprimir duas idéias diferentes, e que, na opinião geral, a palavra religião e inseparável da de culto; desperta exclusivamente uma idéia de forma, que o Espiritismo não tem. Se o Espiritismo se dissesse uma religião, o publico não veria ai senão uma nova edição, uma variante, se quiser, dos princípios absolutos em matéria de fé; uma casta sacerdotal com seu cortejo de hierarquias, de cerimônias e privilégios; não separaria das idéias de misticismo e dos abusos contra os quais tantas vezes se levantou a opinião publica. Não tendo o Espiritismo nenhum dos caracteres de uma religião, na acepção usual do vocábulo, não podia nem devia enfeitar-se com o titulo sobre cujo valor inevitavelmente se teria equivocado. Eis porque simplesmente se diz: doutrina filosófica e moral."

Nas suas "Obras Póstumas", Kardec diz-nos o seguinte: "O Espiritismo é uma doutrina filosófica espiritualista. Por isso toca forçosamente nas bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura. Mas não e uma religião constituída, visto não ter nem culto, nem rito, nem templo e, entre os seus adeptos, nenhum recebeu o titulo de sacerdote ou grão-sacerdote."

E mais, diz-nos que o espiritismo não e incompatível com a ciência, o que não acontece com as religiões: "O Espiritismo marcha de acordo com a Ciência no terreno da matéria: admite todas as verdades que ela comprova, mas onde terminam as investigações desta, prossegue as suas no terreno da espiritualidade."

Destas afirmações do Codificador tornamos a frisar, sempre escoradas no Espírito de Verdade que nunca o deixou de inspirar na sua missão, como já vimos podemos entender em definitivo porque o espiritismo não e mais uma religião e nem o centro espírita um templo religioso, mas sim a casa onde estudamos a doutrina espírita; onde socorremos os doentes da alma, exercitando assim a fraternidade; onde exercitamos a mediunidade de forma responsável, nomeadamente a serviço fraterno dos espíritos materializados e sofredores que necessitam ainda da palavra e ambientes humanos, para serem esclarecidos e amparados; onde, também, aprendemos a orar.

O centro espírita e a escola e o hospital da alma, ao mesmo tempo. O espírito Emmanuel diz-nos que "E a Universidade da alma, onde as lições de Jesus estão empenhadas em nossas mãos."

(Extrato do trabalho "Espiritismo: religião futura ou futuro das religiões", apresentado no II Congresso Nacional de Espiritismo em Portugal e enviado por José Lucas)

(Retirado do Boletim GEAE Número 274 de 06 de Janeiro de 1998)"

 

Pedrinho, dê uma lida no texto sugerido pelo Dercio, mais abaixo, e dê sua opinião...

Oi Henrique, tudo bem?

Se formos levar em consideração as palavras de Kardec, O espiritismo é uma Doutrina de triplice aspecto: Ciencia, filosofia com consequencias Morais, Essas Consequencias são baseados nos ensinamentos de Jesus, que por sua vez, não fundou nenhuma religião.

Nós ainda estamos presos a concenções que quase nos obriga a ser ou não ser alguma coisa. temos que torcer para um determinado time, e também temos que ter uma religião, senão seremos pagãos, (coisas do catolicismo)

Pra mim o espiritismo não é uma religião.

Um abraço.

oi meu amigo, vou te responder com um resumo de um curso que fiz....porque basicamente eu concordo com o que está escrito...

 

Espiritismo é religião?

Basicamente o Espiritismo é uma ciência, em função da metodologia adotada por Allan Kardec.
Sempre que alguém trabalha um conceito, estruturado sobre uma metodologia científica qualquer, esse trabalho tem, basicamente estrutura científica.
Allan Kardec através do tipo de questões que levantou, tipo de análise que apresentou, observação que desenvolveu, deu ao Espiritismo um caráter eminentemente científico.
 Allan Kardec era um homem acostumado às reflexões da ciência e aos seus processos - deu à proposta espírita uma dinâmica de caráter científico.
 
O ESPIRITISMO É UMA RELIGIÃO?

Não, não é. Usualmente define-se o Espiritismo como uma religião. Inclusive, em alguns locais, o Espiritismo é tratado como mais uma religião, a par de centenas de outras. Allan Kardec definiu o Espiritismo de forma bem clara e transparente. Se o Espiritismo fosse mais uma religião perderia o seu carácter Universalista e seria apenas mais uma, no meio de um milhar oriundas do cristianismo, e mais de três milhares provenientes de outras denominações religiosas.
 
O pensamento de Kardec é bem claro, pelo que não se entende muito bem, essa infeliz afirmativa.
 
Leiamos Kardec: (1) "Porque, então declaramos, que o Espiritismo não é uma religião?*
 
Porque não há uma palavra para exprimir duas ideias diferentes, e que, na opinião geral, a palavra religião é inseparável da de culto; desperta exclusivamente uma ideia de forma, que o Espiritismo não tem. Se o Espiritismo se dissesse uma religião, o público não veria aí senão uma nova edição, uma variante, se se quiser, dos princípios absolutos em matéria de fé; uma casta sacerdotal com seu cortejo de hierarquias, de cerimónias e de privilégios; não o separaria das ideias de misticismo e dos abusos contra os quais tantas vezes se levantou a opinião pública.
 
Não tendo o Espiritismo nenhum dos caracteres de uma religião, na acepção usual do vocábulo, não podia nem devia enfeitar-se com um título sobre cujo valor inevitavelmente se teria equivocado. Eis porque simplesmente se diz: doutrina filosófica e moral."*
 
Acreditamos que podemos amar profundamente o próximo e pôr em prática essa notável nobreza, aproximando-nos de Deus, através do crescimento interior de cada um, sem haver necessidade de se reduzir o Espiritismo a uma religião. Não devemos confundir moral com religião. A moral tem um sentido mais abrangente, mais Universalista, englobando todas as sensibilidades religiosas, sendo ela própria, uma disciplina da Filosofia. O conceito de religião é redutor limitando-se apenas a uma religião, é limitativa, absolutista, estática, e sendo a mais pura antítese, da lógica e do raciocínio.

O QUE É O ESPIRITISMO?

Mas afinal o que é o Espiritismo?(2): "O Espiritismo é, ao mesmo tempo, Ciência Experimental e Doutrina Filosófica. Como ciência prática, tem a sua essência nas relações que se podem estabelecer com os espíritos. Como filosofia, compreende todas as consequências morais decorrentes dessas relações. Pode ser definido assim: O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal."*.
 
Pelo que podemos constatar, Allan Kardec, numa definição límpida de Espiritismo não faz qualquer menção a ser uma religião. Será que o génio de Kardec se esqueceu? Vejamos...


QUAL O VERDADEIRO CARÁTER DO ESPIRITISMO?


Mais à frente no mesmo livro, podemos observar uma conversa de Allan Kardec com um padre, em que ambos estabelecem o seguinte diálogo(3):
 
"O sacerdote - Convenho em que, no que diz respeito às questões em geral, o Espiritismo é conforme às grandes verdades do Cristianismo. Mas... e aos dogmas? Não vai ele de encontro a certos princípios que a igreja ensina?
 
Allan Kardec - O Espiritismo é, antes de tudo, uma ciência, e não se ocupa com questões dogmáticas. Como ciência, e como todas as filosofias, tem consequências morais. Estas são boas ou más? Pode-se julgá-lo pelos princípios gerais que acabo de recordar. Algumas pessoas se equivocaram quanto ao verdadeiro caráter do Espiritismo. A questão é suficientemente séria e de molde a merecer uma explicação de nossa parte."*
 
Pelo que vimos acima, já podemos observar que o próprio Allan Kardec considera o Espiritismo como tendo consequências morais e não consequências religiosas como alguns pretendem. É tremendamente lógica e racional esta conclusão de Kardec; uma vez que o Espiritismo leva à nossa reforma moral, e não à nossa reforma religiosa, alertando mesmo para a gravidade de tal proposta.
 
Um pouco mais à frente, Kardec, ainda detalha mais esta questão...(4): "Melhor observado depois de sua divulgação, o Espiritismo faz luz sobre uma multidão de questões até hoje tidas como insolúveis ou mal compreendidas. Seu verdadeiro caráter é, pois, o de uma ciência e não de uma religião. A prova disso é que conta entre seus adeptos homens de todas as crenças (...)".*


RELIGAMENTO A DEUS OU "RELIGAÇÃO"...!?


Existem também algumas teorias sofistas, (partindo de uma premissa falsa) de que a palavra religião vem do latim religare que se considerarmos que o Espiritismo nos "religou" a Deus (o que é um autentico paradoxo, já que nunca estivemos separados do Criador), podemos chamar-lhe religião. Independentemente da etimologia ou semântica da palavra, vamos novamente ver o que Kardec diz a este respeito, ainda no mesmo livro (5):
 
"O sacerdote - O senhor faz não obstante, as invocações segundo uma formula religiosa?
 
Allan Kardec - Anima-nos, certamente, um sentimento de religioso, nas evocações e em nossas reuniões. Não existe, porem, uma formula sacramental. Para os Espíritos o pensamento é tudo; a forma não vale nada. Nós os invocamos em nome de Deus porque cremos em Deus e sabemos que nada se cumpre neste mundo sem a Sua permissão e porque se Deus não lhes permitisse vir, não viriam. (...) Isto tudo o que prova? QUE NÃO SOMOS ATEUS, O QUE DE NENHUM MODO IMPLICA EM QUE SEJAMOS RELIGIOSOS." *
 
Observa-se aqui que Allan Kardec é bem pragmático ao fazer a diferenciação entre NÃO SER ATEU e SER RELIGIOSO. Saber que Deus existe, é tão somente isso mesmo: não ser ateu.


QUEM DESEJA QUE O ESPIRITISMO SEJA MAIS UMA RELIGIÃO?

Opinião de Kardec sobre o tema: Espiritismo é religião?

Allan Kardec em:"Discurso de Abertura", de 2 de novembro de 1868,publicado na "Revue" de dezembro do mesmo ano:


 Primeiramente lembro o clássico artigo publicado na "Revista espírita" de dezembro de 1868, intitulado "O espiritismo é uma religião?", pois nesse texto, Kardec declara não ser o espiritismo uma religião, por não possuir os caracteres das religiões tradicionais,como as cerimônias e os sacerdotes.

 Todavia, afirma ele nesse mesmo texto: "o laço estabelecido por uma religião é um laço essencialmente moral, que liga os corações, que identifica os pensamentos, [...]. O efeito desse laço moral é o de estabelecer entre os que ele une, [...] a fraternidade e a solidariedade, a indulgência e a benevolência mútuas. [...] Se assim é, perguntarão, então o espiritismo é uma religião?

 Ora, sim, sem dúvida, senhores; no sentido filosófico, o espiritismo é uma religião". Kardec é bem claro em sua opinião ao possibilitar que o espiritismo seja considerado uma religião apenas em seu aspecto filosófico, ou seja, por reunir em torno de seus princípios filosóficos os homens numa congregação de fraternidade e benevolência, para então concluir, após a afirmativa acima:

"O espiritismo, não tendo nenhum dos caracteres duma religião, na acepção usual da palavra, não se poderia, nem deveria ornar-se de um título sobre o valor do qual, inevitavelmente, seria desprezado; eis porque ele se diz simplesmente: doutrina filosófica e moral".

Eis uma observação de Kardec, muito a propósito, na Revue Spirite de 1864, p. 199, com respeito à divulgação do Espiritismo como uma religião pelos doutores da Lei da era moderna:
 
"Quem primeiro proclamou que o Espiritismo era uma religião nova, com seu culto e seus sacerdotes, senão o clero? Onde se viu, até o presente, o culto e os sacerdotes do Espiritismo?
 
Se algum dia ele (Espiritismo*) se tornar uma religião, o CLERO é quem o terá provocado".*
 
Bem e finalizamos... o Espiritismo é a doutrina mais bela que pessoalmente temos conhecimento.
Referências
(1) "Revista Espírita", Ano XI, Dezembro 1868, vol. 12, - Discurso proferido pelo Sr. Allan Kardec na sessão anual comemorativa dos mortos na Sociedade de Paris, 1º de Novembro de 1868
(2) Kardec, Allan - O que é o Espiritismo -, Prólogo, pág. 12, LAKE
(3) Kardec, Allan - O que é o Espiritismo -, Cap. I, Terceiro Diálogo - O sacerdote, pág. 97, LAKE
(4) Kardec, Allan - O que é o Espiritismo -, Cap. I, Terceiro Diálogo - O sacerdote, pág. 98-99, LAKE
(5) Kardec, Allan - O que é o Espiritismo -, Cap. I, Terceiro Diálogo - O sacerdote, pág. 99-100, LAKE
(6) Almeida, Luiz de-CEPA

 

grande abraç0)

Leorena

 

 

EMMANUEL OBRA O CONSOLADOR PERGs 260,292 e 296:

"Podemos tomar o Espiritismo,simbolizado deste modo, como um triangulo de forças espirituais. A Ciencia e a Filosofia vinculam a Terra essa figura simbolica, porem, a religião é o angulo divino que liga ao céu.No seu aspecto científico e filosófico, a doutrina será sempre um campo nobre de investigações humanas, como outros movimentos coletivos, de natureza intelectual, que visam o aperfeiçoamento da Humanidade. No aspecto religioso, todavia, repousa a sua grandeza divina, por constituir a restauração do Evangelho de Jesus Cristo......em outra citação diz-nos Emmanuel:" Em Espiritismo a Ciência indaga, a Filosofia conclui e o Evanglho ilumina...A Ciencia e a Filosofia são os meios, o Evangelho é o fim"

p  q  mtos espíritas têm tanta necessidade de fazer a filosofia espírita como religião?

O q interessa de fato é a mudança comportamental causada pelos apreciadores e seguidores da filosofia espírita.Se tal ou qual filosofia ou religião não muda conceitos,comportamentos ,fazendo a sociedade melhor de se viver,para que serve?Abraços

Espetáculo, Henrique !!

Parabéns pela matéria.

E muito obrigado.

Olá amadinhos, vou na onda da Maria Helena.

 

O que realmente importa para agir no bem ?

O texto do Dercio está claríssimo. 

 

 Trago uma outra contribuição :

 

" A religiosidade é fruto do sentimento inato da existência de Deus, que o Espírito conserva ao encarnar. A diferença entre  ter  religiosidade e ser religioso é que o religioso acredita unicamente nas experiências que os outros disseram que tiveram com Deus, enquanto que aquele que cultiva a religiosidade desenvolve sua própria experiência com o Criador."                                                              (Do Livro : A Imensidão dos Sentidos - ditado por Hammed)

 

Penso que é isso que os estudos espíritas e espiritualistas nos convidam. Ao real sentido do "religare".

 

Beijocas :-)

Faço das palavras abaixo as minhas :

Segundo Allan Kardec, no seu principal livro - O Que é o Espiritismo -, a Codificação espírita é uma doutrina de caráter experimental cientifico e conseqüências filosóficas, encerrando uma parte religiosa, como garante a um padre, respondendo-o, no mesmo livro.

Carmen Imbassahy

http://www.espirito.org.br/portal/artigos/paulosns/o-espiritismo-eh...

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!