O CRISTIANISMO ESOTÉRICO - AUDIÇÃO DO SERMÃO DA MONTANHA

O Cristianismo Esotérico - Audição do Sermão da Montanha

  Quadro de Carl Heinrich Bloch, 1890.

No Sermão da Montanha Jesus falou para uma multidão ou para o pequeno grupo de discípulos que O acompanhava? Se falou para uma multidão, como faz supor o Evangelho, como fez para ser ouvido por todos?

Diz Mateus (cap. 5:1, ver. 7:28 e 8:1) que Jesus, 'vendo as multidões', subiu a uma colina (Kurun Hattin) e assentando-se no alto, cercado por seus discípulos, começou a falar eles. Pronunciou ali o Seu mais famoso sermão.

Kurun Hattin não é propriamente uma montanha, mas um monte situado a SW do lago de Genesaré. O discurso ali pronunciado, entretanto, ficou conhecido como o 'Sermão da Montanha', marcando o início da Sua pregação.

Como é comum aos seres que possuem poder de síntese, Mateus não entra em detalhes quanto ao número de pessoas que compunham a multidão. A natureza do discurso de Jesus, entretanto, deixa presumir que Ele falou a muitas pessoas. Mas, pela forma como foi descrito o evento pelo discípulo, fica-se sem saber se o Mestre não teria procurado isolar-se para falar somente ao séquito dos Seus discípulos e seguidores mais próximos (futuros divulgadores dos Seus ensinamentos). 

Imaginando-se, porém, que as multidões que O seguiam teriam também subido a colina, acomodando-se em suas partes mais baixas, cabe perguntar para quantas pessoas exatamente teria falado Jesus? Se de fato era uma multidão, como Ele teria feito para ser ouvido por todos?

Em Kurun Hattin o vento sopra constantemente em todas as direções. Teria o Mestre se servido de um recurso de telepatia de massa ou teriam os Seus discípulos formado uma corrente de transmissão de voz? Este método, por várias razões, não parece ter sido provável.

Do ponto de vista moral, essa questão da audição do Sermão da Montanha não é relevante. Relevante é o conteúdo que a mensagem encerra, considerada a mais bela peça de oratória espiritual que a humanidade já produziu, e que até hoje serve de indelével farol para ela.  

Porém, como tudo teria de fato acontecido?

 

 

Exibições: 293

Responder esta

Respostas a este tópico

Pode ser uma alegoria. Ele pode ter dito aos seus discípulos e ter usado o Kurun Hattin, o local onde o vento sopra em todas as direções, como uma forma de dar a entender que as palavras e ensinamentos passados naquela ocasião deveriam se espalhar por todas as direções, como buscaram os evangelistas, pregando a Boa Nova. Jesus nessa ocasião estaria convidando seus seguidores a fazer o que a posteriori ficou conhecido como "evangelizar", dar testemunho dos ensinamentos do mestre.

Pensei nisso enquanto lia os primeiros parágrafos do seu post.

Makuiu Nzambi.

Paz, saúde e felicidade sempre!

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!