Bom, se eu acredito que Deus é a causa primária de todas as coisas, não possuo espaço para crer que Maria é sua mãe, ainda que queira tê-lo! Mas claro que também preciso é que fundamente minha fé na razão, porque fé sem razão não é fé, mas intransigência, radicalismo.

Para começar, Jesus foi o único ser perfeito que já pisou nesta Terra de aprendizagens, de missão e expiação (escola espiritual). Todos os demais, incluindo Eu e Você, vão das mais baixas esferas da ignorância às mais altas esferas da sabedoria; dos piores defeitos da maldade as melhores virtudes da bondade: “Eu vos afirmo que dentre os nascidos de mulher não há um ser humano maior do que João. Todavia, o menor no Reino de Deus é maior do que ele”.- Lucas c7v28.

Segundo informações da espiritualidade, Maria não era, e nem ainda é, um espírito perfeito, mas, segundo os mesmos, ela está a um “passo” de alcançar Jesus, ou seja, de tornar-se perfeita como ele. Claro que quando dizem um “passo” estão usando nossa linguagem para que possamos fazer uma ideia, porque para a eternidade um “passo” pode significar bilênios, quadriênios... Agora, ainda para efeito de comparação, a distância existente entre Ela e nós, o elemento para comparação já não seria mais o “passo”, mas a luz.

As pessoas acreditam que para um espírito ser bom é preciso ser perfeito, mas a verdade é ao contrário, para o espírito ser perfeito é que precisa ser bom: “Mas todos nós, que com a face descoberta contemplamos, como por meio de um material espelhado, a glória do Senhor, conforme a sua imagem estamos sendo transformados com glória crescente, na mesma imagem que vem do Senhor, que é o Espírito. O apóstolo é fiel ao ministério.” - II Coríntios c3v18.

Maria, apesar de não ser perfeita ainda, já alcançou graus elevadíssimos de pureza, por isso jamais faria algo de mal, mas ainda assim poderia cometer erros por não ser ainda perfeita. Se, por exemplo, fosse dado à Maria a missão confiada a Jesus, de salvar o “mundo”, seria possível que falha-se. Que por medo ou fraqueza (jamais por maldade) fizesse o que Jesus não fez, por ser perfeito e infalível!

Assim sendo, Maria não é a “Mãe de Deus”, mas irmã tanto de Jesus quanto nossa, porque todos somos criaturas, filhos e servos do Senhor, como disse o mestre divino:“Sou servo como você e seus irmãos, os profetas, e como os que guardam as palavras deste livro.” Apocalipse c21v8.

No mais, Maria é tudo o que diz a Oração:

É cheia de graça, porque é serva do Senhor e o senhor é sempre com ela; 
É bendita, digo que não só entre as mulheres mas também entre os homens, porque ninguém está a sua altura; 
É bendito o fruto que por meio dela veio ao mundo, porque é perfeito; 
É Santa, porque cumpre as leis de Deus e o ama; 
Como missionária divina, roga por nós, visita-nos na perdição, tanto antes quanto depois de nossa morte. Enfim!...

Maria é simbolo de amor, e como símbolo é também nossa mãe santíssima. É digna e merecedora de nossa reverência e de todas as nossas homenagens, como todos aqueles que em missão divina provaram o quanto nos amam. Devemos-lhes ao menos gratidão: “Dê a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.” -Jesus. Honrar a Maria é também honrar a Deus, porque nosso Pai se glorifica na glória de sua criação!

Portanto, não há nenhuma necessidade de mudar a oração de Maria, apenas num pequeno detalhe:

“Ave Maria cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois Vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, 'IRMÃ DE JESUS', rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amém."

***

(a)  RONALDO COSTA (O Arrebol Espírita)
http://rsdurantdart.blogspot.com.br

Exibições: 182

Responder esta

Respostas a este tópico

Boa Tarde meus amigos.
Nossa querida mãezinha é a Mãe de todos nós. Espírito elevado que nos acaricia com seu profundo amor incondicional, nos amando e perdoando como toda mãe sempre faz à seus filhos.
Abraço fraterno a todos.

Por que não "mãe de Jesus", em vez de irmã de Jesus?! Ficaria mais escorreito. Não há de se crer de forma inquestionável que o evangelho de Lucas não tenha sofrido adulteração, para atribuir a Jesus a aura deífica que o Imperador Constantino I desejava para substituir Júpiter nos altares romanos. 

Sabemos que Deus não tem mãe. Que existe por Si mesmo, é eterno, não tem forma e nem identidade, sendo a Consciência Suprema, a Lei Universal a expressar-se por cada um de seus filhos que alcançaram as alturas cósmicas. 

O grande erro está nas pessoas não se desapegarem da missão humana (corpórea) entre Maria e Jesus, como mãe e filho. As pessoas esquecem que tal missão já ficou para trás e que hoje, ambos,  são espíritos; e como espíritos nada mais são que irmãos.

ABRAÇOS FRATERNOS!


Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!