Copio abaixo o que acabei de postar no blog:

+++++++++++++

Olá a todas/os,

Gostaria de chamar a sua atenção para meu último artigo:

LIBERDADE, IGUALDADE, FRATERNIDADE: PASSADO, PRESENTE, FUTURO

que está em

www.ime.usp.br/~vwsetzer/liberdade-igualdade-fraternidade.html

Copio aqui o início dele:

---

A tríade "liberdade, igualdade, fraternidade" tornou-se popular com a Revolução Francesa; Robespierre propôs em 1790 que ela fosse escrita nos uniformes da Guarda Nacional e em todas as bandeiras. Em 1848 esse lema foi definido na constituição francesa como constituindo um princípio da república, e aparece nas constituições de 1946 e 1958. Ela teve várias variações, como "união, força, virtude", usada em lojas maçônicas, ou "liberdade, segurança, propriedade", "liberdade, unidade, igualdade" etc. Durante a ocupação nazista foi substituída por "trabalho, família, pátria". Mas foi a sua forma conhecida hoje que se tornou um lema da França, adotado inclusive em outros países, como na constituição hindu de 1950. O primeiro artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos contém essa tríade: "Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade."

É interessante notar que esses três ideais tornaram-se movimentos sociais ao longo da história. Antes de abordarmos esse aspecto em cada um, é importante caracterizar como ele é entendido neste texto.

---

Como sempre, aguardo suas críticas e sugestões.

aaaaaaaaaaaaaa, VWS.

Tags: fraternidade, igualdade, liberdade

Exibições: 1412

Responder esta

Respostas a este tópico

Estimado Amigo Valdemar.

Venho seguindo os seus artigos . Sem dúvida é uma pessoa muito informada, criteriosa , e consistente .

Quanto ao seu artigo , só posso dizer . Concordo.

Muitos parabéns. Muito obrigado

Olá, Fernando,

Obrigado pelo incentivo. É sempre bom saber que alguém aproveita o esforço que se despende.

Estou escrevendo um novo artigo, "O que é uma boa teoria", onde aproveito para falar de teorias materialistas e espiritualistas (pixando as primeiras, obviamente...).

Veja mais artigos em meu site,

http://www.ime.usp.br/~vwsetzer/

aaaaaaaaaaaaaaaaa, VWS.

Olá a todas/os,

Para uma versão em inglês de meu artigo, ver

http://www.ime.usp.br/~vwsetzer/liberty-equality-fraternity.html

aaaaaaaaaaaaa, VWS.

Saudações.

Gostei muito do seu artigo, fui lendo, "pinçando" algumas frases que pra mim são chaves no seu texto. Notei, na minha concepção, não sei se de sua parte intencionais, que são visões quem vem de encontro com movimentos que no fundo tiveram influencia na própria revolução francesa, como a maçonaria e a rosa-cruz. Interessante que a base destes dois movimentos é a certeza "filosófica" de um Eu superior. 

"Nenhuma pessoa moderna deveria contentar-se em seguir mandamentos, dogmas, leis e regras sociais sem compreender sua razão de ser e reconhecer sua validade." 

Esta frase vem de encontro com o senso crítico, que é algo que ainda está se desenvolvendo na humanidade em termos globais. O interessante que não é algo novo, mas que ainda está longe de ser generalizado. A própria igualdade de direitos pode levar a uma maior difusão cultural da humanidade ajudando nesse processo. 

"Todos os Eus Superiores, apesar de serem diferentes, são da mesma natureza, e constituem a verdadeira essência de cada ser humano. Talvez seja a percepção intuitiva deles que levou ao universalismo que está se manifestando fortemente nos últimos tempos."

É o conceito de mônada, ou a essência última do espírito, a centelha. A intuição, para muitos cientistas, principalmente estudiosos da mente, é algo real como que um sentido, para alguns o "sexto sentido" não é ficção e nem misticismo, e há demonstrações teórico-racionais deste fato. A intuição é que levou alguns a prever que "no futuro haverá apenas uma religião, a fraternidade." Este Eu superior é a base do universalismo, não apenas como movimento de globalização, mas principalmente como maneira de enxergar, de pensar a existência, as interações sociais e com o meio, o universo. O holismo vai deixar de ser uma visão considerada excêntrica. Completo com uma frase sua: "Parece-me que o futuro nos reserva o desenvolvimento do terceiro ideal da Revolução Francesa: a fraternidade."

"No entanto, ainda falta muito para acharmos que quem não ajuda os outros não é uma pessoa moderna, do presente." 

Concordo plenamente, interessante que vem de encontro com a teoria da transição planetária, onde estamos vivendo extremos sociais, o encontro dos opostos, despertar de alguns junto ao caos da ignorância que bera ao instinto puramente animal. Lembra o pendulo hermético. 

"...o mais importante (é) a prática do amor altruísta. Uma pessoa que o pratica deveria ser considerada como sendo cristã, independente de seguir uma religião que não se diz cristã." 

Muitas religiões ditas "cristãs" usam este título por colocar a "entidade" Jesus como um servo de "pastores", que se submete a troca de favores. Nada poderia estar mais longe do conceito de Cristo. O Cristo é um estado do ser, um processo evolutivo, neste estado o amor altruísta, incondicional é algo natural. O exercício leva ao hábito e o hábito molda o espírito. Essa foi a mensagem de Jesus, o Cristo, exercite o amor fraterno e "salve" seu espírito da "trevas" indo ao encontro da "luz" ( tomemos aqui os termos salvação, trevas e luz pela simbologia, sem adentrar em discussão de crença ou da vida após a morte). 

"Note-se que o desenvolvimento do egoísmo foi uma necessidade para a humanidade. Sem ele, não teríamos desenvolvido a percepção da própria individualidade, e portanto a autoconsciência."  Grande verdade, diria até que o desenvolvimento do ego foi necessário, e o egoísmo é a supervalorização do mesmo em detrimento do Eu. 

"O próprio sistema capitalista baseia-se na afirmação de Adam Smith em seu livro "The Wealth of Nations" ("A Riqueza das Nações", de 1776), de que a satisfação do egoísmo e da ambição pessoais iria fazer surgir uma "mão invisível" que distribuiria as riquezas e traria a felicidade geral." Talvez essa frase seja algo profético a longo prazo, onde o próprio sistema capitalista entraria em colapso devido a sua insustentabilidade social, ocasionada principalmente pela sua ausência de valores éticos e morais, e por impossibilitar a real igualdade e ignorar a fraternidade. Só o tempo dirá. 

"É ajudando os outros que se cria a mentalidade e o gosto pelo exercício da fraternidade, do mesmo modo que é pelo contato com o sofrimento que se desenvolve o sentimento de compaixão." É o exercício que leva ao hábito, que torna no futuro isso algo natural, cotidiano. 

"Portanto, para abrirmos o caminho para um futuro com um sentimento de fraternidade universal devemos passar inicialmente pela suplantação daquilo que considero o maior mal da humanidade atual: a concepção materialista, fisicalista, do universo e do ser humano." Creio que este processo é um despertar, é algo esotérico, que acho difícil ser conquistado pelo "caminho de Darwin"; em uma sociedade livre, igualitária e fraterna o campo para o menos favorecido culturalmente e moralmente disseminar seus genes é maior, é o que temos visto hoje no Brasil, por exemplo. Quem escolhe nossos líderes? Quem são os nossos líderes? Façamos um comparativo com décadas atrás do ponto de vista intelectual, moral, cultural. Pela lógica, este despertar de consciência apenas pode ocorrer de forma coletiva se acontecer de forma individual, mas se existir apenas a vida linear atual, estaremos a merce da teoria darwinista, mas a humanidade está seguindo um caminho que pela lógica não pode ser o de Darwin. Porque? Se por teoria, admitirmos a possibilidade da existência do espírito e da evolução contínua e cíclica, podemos explicar o porque da evolução da humanidade. Caso contrário teremos que admitir que Hitler estava certo. 

"Estou propondo que se abandone a concepção materialista partindo de um espírito verdadeiramente científico, sem preconceitos, com busca de compreensão, transmissão conceitual de conhecimentos e pesquisa consciente. Isso já existe."  A filosofia castrou a si mesma quando admitiu que apenas o método cartesiano teria validade como ciência, deixando a metafísica pautada na pura lógica como algo de menos importância, ou mesma vista com maus olhos, o materialismo comprovado empiricamente é a única verdade. Hoje a razão, movida por uma intuição que tem origem no próprio Eu, busca transcender e a "liberdade" de expressão, de pensamento vem abrindo caminho para tal. A busca do Si-mesmo da psiquiatria analítica de Jung nunca esteve tão evidente. O materialismo já se prova como ineficiente como teoria, mesmo porque a física já sabe que matéria como era entendida a pouco tempo atrás nem existe, e muitas das leis que eles consideravam imutáveis, caíram por terra, com a descoberta de conceitos como a matéria e energia escura e sua interação com a "matéria palpável". Quando o senso crítico prevalecer vai se provar o que o espírito imortal longe de ser uma crença mística, é algo racional e lógico.

Obrigado pela oportunidade de reflexão.

Paz e luz.  

PAZ E MENTE ABERTA! APRENDER DIA  ADIA

LIBERDADE - LIVRE ARBITRIO

IGUALDADE - SOMOS IGUAIS PERANTE A DEUS E AOS HOMENS

FRATERNIDADE - SOMOS IRMÃOS; É DEVER NOSSO AJUDAR AOS OUTROS, "AMAI VOS UNS AOS OUTROS, COMO EU VOS AMEI".

 

 

 

 

Olá a todas/os,

Cledson, obrigadíssimo por ter selecionado algumas frases de meu artigo e tê-las comentado. Muitas vezes eu penso em desisitir de participar do EB por encontrar muito poucas discussões sérias, e por minhas contribuições em geral serem ignoradas -- provavelmente por que elas exigem um bocado de esforço mental.

Você escreveu: 'Muitas religiões ditas "cristãs" usam este título por colocar a "entidade" Jesus como um servo de "pastores", que se submete a troca de favores.'  Aproveito a menção para chamar a atenção para a tragédia que foi para a humanidade ter-se confundido Jesus com o Cristo. Este incorporou-se nos corpos inferiores (físico e não físicos) de Jesus, cujo Eu Superior o tinha abandonado pouco antes, durante o batismo no Jordão. Por isso os evangelhos de João (o mais esotérico deles) e o de Marcos começam nesse ponto. Vejam só, o papa atual (por sinal, uma personalidade admirável; estou acabando de ler seu livro com o rabino Skorka) é "jesuíta", quando o correto teria sido a sua seita denominar-se "crística".

Cledson: "em uma sociedade livre, igualitária e fraterna o campo para o menos favorecido culturalmente e moralmente disseminar seus genes é maior, é o que temos visto hoje no Brasil, por exemplo." Cuidado, Cledson. A ciência materialista só reconhece em cada indivíduo a influência genética e a do meio ambiente. Nós espiritualistas podemos admitir a existência do Eu Superior individual, que influencia tanto o desenvolvimento físico quanto o anímico. Obviamente, uma educação ou até uma alimentação falhas podem prejudicar o processo de encarnação desse Eu nos corpos inferiores (que leva ao redor de 21 anos, por isso havia a tradição de se dar maioridade civil nessa idade), de modo que na idade adulta ele não possa se manifestar como devia em seu carma. Por outro lado, muitas vezes esse Eu supera todas as dificuldades e consegue se desenvolver e ajudar toda uma comunidade ou mesmo a humanidade. Assim, eu não daria tanta ênfase aos genes (que também são importantes) como você aparentemente deu, Cledson.

"Quando o senso crítico prevalecer vai se provar o que o espírito imortal longe de ser uma crença mística, é algo racional e lógico." Cledson, eu acho que não dá para provar materialmente que o espírito existe. Parece-me que há um grande mistério aí: se fosse possível provar fisicamente que o espírito existe ou não existe, não teríamos a liberdade de adotar o que denomino de "hipótese existencial fundamental": justamente admitir que o espírito existe ou não. Até as antigas tradições tiveram que desaparecer para caírmos profundamente na matéria e podermos sair dela em liberdade; por exemplo, como já abordei em outro tópico do EB, o conceito de reencarnação tinha que desaparecer. Agora, livres de tradições e lembranças, podemos admitir em liberdade que a reencarnação existe ou não.

aaaaaaaaaaaaaaaa, VWS.

Ao meu ver sem a tríade: Liberdade,Igualdade e Fraternidade,aos meus princípios a mais importantenunca deixaremos de ser seres sempre em aprendizado,sem crescermos,pois não praticamos a máxima do CRISTO: Amai-vos uns aos outros como EU VOS AMEI. Gostei muito do seu artigo e tenho aprendido muito com os seus artigos. Muita PAZ E LUZ.

Saudações fraternas. 

Como já disse, sou que agradeço a disposição em escrever suas reflexões e dividi-las conosco dando-nos a oportunidade de refletirmos sobre estes temas cruciais para os buscadores de Si-mesmo.

 ..."em uma sociedade livre, igualitária e fraterna o campo para o menos favorecido culturalmente e moralmente disseminar seus genes é maior... Aqui, talvez tenha me expressado não tão claramente, mas é preciso pegar o parágrafo todo para entrar no contexto que eu queria. Veja que eu disse que "se" a evolução fosse como a teoria da evolução de Darwin, ou seja, aquelas que conseguem passar seus genes à frente prevalecem dentro da evolução da espécie, não estaríamos caminhando para a igualdade e fraternidade, mas o que vemos é uma evolução MORAL contínua da humanidade, o que prova que para o ser humano a coisa vai além da genética. 

Acredito que a partir do momento que a ciência conseguir entender melhor a energia escura e estes conceitos de "matéria abstrata"  que vem de encontro com a teria da relatividade de Einstein, o envoltório "semi-material" que envolve o espírito poderá ser percebido, juntamente com as energias etéricas, nossa aura... E sobre a lógica, quando o senso crítico prevalecer, algo que seja válido por lógica, precisa ser levado em consideração mesmo que apenas como potencialidade. Concordo ainda com você que é preciso que se desperte para estes temas individualmente para que eles prevaleçam coletivamente, e como se diz, cada um com o seu tempo e sua história. Paz e luz.  

Olá a todas/os,

Eliza, obrigado por seu incentivo de 7/5/13. Quem sabe você pode aproveitar algo de meus artigos em meu site,

http://www.ime.usp.br/~vwsetzer

especialmente os da seção Espiritualidade.

Cledson escreveu em 7/5: 'Acredito que a partir do momento que a ciência conseguir entender melhor a energia escura e estes conceitos de "matéria abstrata"  que vem de encontro com a teria da relatividade de Einstein, o envoltório "semi-material" que envolve o espírito poderá ser percebido, juntamente com as energias etéricas, nossa aura...'

Sei que vários espiritas encaram o persepírito como sendo "semimaterial". Indo à origem,  por exemplo, falando dele, "O espírito é envolvido por uma substância vaporosa ... para que ele possa elevar-se na atmosfera ... o seu invólucro semimaterial (Livro dos Espíritos, pergs. 93-94); "O perespírito ... é tomado do meio ambiente, do fluido universal; contém ao mesmo tempo eletricidade, fuido magnético, e até um certo ponto, a própria matéria inerte (perg. 257).

Acontece, Cledson, que não vejo sentido em algo ser "semimaterial". Ou é material, e está portanto sujeito às "leis" e condições físicas, ou não é material e não está sujeito a elas. Eletricidade, magnetismo, são fenômenos físicos, sujeitos às leis físicas. "Elevar-se na atmosfera!" é um fenômeno puramente físico.

O corpo etérico de plantas, animais e seres humanos não tem nada, absolutamente nada de físico. Ele que é responsável, nas plantas, pela forma orgânica característica de cada espécie e por todos os processos vitais. Sem ele, os seres vivos não seriam vivos e teriam ou uma forma cristalina ou amorfa, como todos os minerais. Se não fosse pela sua atuação sobre o corpo físico, este ficaria totalmente sujeito às forças físicas e se decomporia, que é o que acontece na morte; morreu, pronto, começa a decompor. Como ele não é físico, Cledson, jamais poderá ser detectado fisicamente. Pode-se detectar o resultado da atuação dele nos corpos físicos, como por exemplo a simetria de nossas orelhas, a forma de uma Costela de Adão (monstera deliciosa), preservadas maravilhosamente durante o seu crescimento etc. Mas não se pode detectar algo não físico fisicamente. Já repeti aqui no EB n vezes que, ao se pensar sobre o mundo espiritual, deve-se abandonar o pensamento físico.

aaaaaaaaaaaaa, VWS.

Caro Waldemar:
Adorei seu artigo, desses que fazem a gente parar e pensar um pouco. Acredito que a fraternidade vira assim como a liberdade e a igualdade através daqueles que se conscientizando da mesma, se esforcem para implanta-lá no dia a dia. A humanidade já da sinais de que pode ser solidaria, mas nesse aspecto concordo com você que esses sinais ainda são muito tímidos. Principalmente porque os meios de comunicação ainda estão na mão dos egoístas, gananciosos que nao tem consciência de quanto um mundo fraterno seria melhor para todos.
Muito obrigado pelo artigo, visitarei outros artigos seus depois.
Abraços fraternos.

Olá a todas/os,

Raymundo,

Que ótimo que você gostou de meu artigo. Agora veja em meu site outros artigos na seção Espiritualidade e veja se gosta também:

http://www.ime.usp.br/~vwsetzer

Quanto à fraternidade, como eu escrevi, acho que ela não se desesnvolverá "naturalmente", dependerá de um esforço consciente dos seres humanos. Quanto ao egoísmo e à ambição, não são só os meios de comunicação. Toda a nossa sociedade, especialmente a economia no capitalismo selvagem, está imbuída de egoísmo e ambição. A fraternidade só pode ser exercida por meio de um amor altruísta, que é justamente o oposto do egoísmo. O amor altruísta só pode vir de nosso espírito, nosso Eu Superior. O egoísmo vem de nossa animalidade, nosso eu inferior (que engloba nossa alma).

aaaaaaaaaaaaa, VWS.

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!