Insultos ao Islamismo : LIBERDADE DE EXPRESSÃO É LIBERDADE DE OFENSA?

Antes de começar, quero deixar claro que também faço coro a todas as vozes dos movimentos de defesa da liberdade de expressão e dos direitos individuais da pessoa humana.

Há quase 20 anos atrás uma imagem de vídeo, que foi matéria de informação exaustiva na imprensa internacional, chocou o país. Na imagem via-se um sacerdote religioso chutando a imagem de Nossa Senhora de Aparecida para ensinar seus fies de que se tratava apenas de uma imagem de escultura feita de gesso que não merecia respeito algum. No dia seguinte o país estava em polvorosa pela atitude do religioso. Vários templos de sua fé foram violados. Líderes e seguidores católicos protestaram, recebendo apoio de outras religiões que lhes foram solidários... Enfim!

Não tinha aquele irmão o direito de livre expressão para ensinar sua fé? Quando chutava a imagem (que é de gesso) e dizia que por ser de gesso não merecia crédito não estava ele usando o direito de livre expressão? Acaso não temos o direito de acreditar em que bem entendermos?...

Sim! Temos o direito de acreditar em que bem entendermos, e até de manifestar isso, o que não temos é o direito de desrespeitar a fé alheia e nem seus objetos de culto. Direito de expressão não é direito de ofensa, como disse um líder muçulmano; com toda razão!

Estamos vivenciando hoje no mundo um grande movimento de Liberdade de Expressão (eu mesmo já dei minha singela contribuição) em razão do ataque terrorista que vitimou os jornalistas franceses que publicaram charges do profeta Maomé, mas estamos esquecendo uma coisa, e a liberdade religiosa?

Diferente de Jesus – retratado branco de olhos azuis (causa de protesto da comunidade negra, e com razão, uma vez que ninguém pode provar que Jesus não tenha sido negro, gordo, feio, ou careca como eu e você), Maomé não é cultuado por imagem, mas apenas pela memória. Para os mulçumanos retratar Maomé é uma ofensa. Então por que não os respeitam? Por que tanto insistem em ilustrá-lo? Meu Deus, qual a razão disso?... Por que em vez de sua imagem não ilustram suas mensagens, seus belos ensinamentos?...

Curiosamente, falando aqui do Brasil, para muitos é uma ofensa dois homens se beijarem em público. Por quê? Qual o problema de dois homens, ou mulheres, expressarem suas opções sexuais, como fazem os héteros? Há quem diga: “influenciam as crianças.” Se duas pessoas do mesmo sexo influenciam as crianças por se beijarem temos de rever mais nossas liberdades. Devemos lutar pela unicidade religiosa, partidária, futebolistica... Contra os bares, o fumo em público, cenas de sexo na TV, e até castrar os animais por copularem em público (também).

A liberdade de um termina onde começa a do outro. Não há liberdade sem limite, tudo tem limite. O direito absoluto só a deus pertence! É isso que precisa ser discutido, os limites da liberdade de expressão. Sem limite até a democracia vacila, porque democracia sem limite vira anarquia.

Temos sim de defender a liberdade de expressão, mas a liberdade de expressão que não ofende a liberdade religiosa; que por sua vez deve respeitar a liberdade sexual.

Isso é apenas o que penso, é meu ponto de vista, ninguém precisa concordar comigo, peço apenas que respeite. Porque se tem quem desrespeite os direitos alheios tem também quem desrespeite a paz.



***
Ah! Se você se ofendeu com as imagem de Jesus com uma arma na mão, ilustrando esta postagem, não fui eu quem a expus na internet, foi alguém com Liberdade de Expressão.

(a) RONALDO COSTA (O Arrebol Espírita)
https://www.facebook.com/durantdart

Exibições: 988

Responder esta

Respostas a este tópico

"FALATÓRIO" e "HOJE AINDA" são duas mensagens que trarão aos irmãos que a lerem grandes aprendizagens.

Eis os links, é só clicar: 

FALATÓRIO: http://www.espiritbook.com.br/profiles/blogs/falat-rio

HOJE AINDA: http://www.espiritbook.com.br/profiles/blogs/hoje-ainda-1

Que Deus os abençoem!

Ronaldo Costa/ O Arrebol Espírita

https://www.facebook.com/durantdart

Boa noite a todos!

Penso que neste debate falamos para muitos que não se manifestam e não somente para nós mesmos que debatemos. Portanto, dou-me ao trabalho de replicar ao Ronaldo e Waldemar que estamos abordando um tema de natureza moral e não a conduta de pessoas.   

Eu disse que o homossexualismo, que, para mim, qualquer que seja a sua causa, é um desvio comportamental sexual, é uma aberração e não propriamente a pessoa humana. O exemplo citado pelo Ronaldo de que um desvio sexual foi induzido por um assédio obsidente, comandado nas trevas por um certo Dr. Teofrastus, contribui para explicar a causa de um fenômeno isolado, no caso uma expiação, o resultado de uma culpa por abuso da energia sexual em outras vidas, mas não para a justificar o desvio comportamental como coisa natural.

Ronaldo não percebeu que, tratando-se de uma expiação, o Espírito obsessor, obviamente, não estava fazendo o Bem, mas, encaminhando a sua vítima para o Mal, com o objetivo de atrasá-lo espiritualmente, criando-lhe terrível obstáculo mental. O grande problema está na inoculação do vírus mental nas consciências inexperientes.

Como estudante teosofista, sei que há em cada ser humano, por pior que seja o seu caráter, um Espírito em processo de evolução, que, entretanto, pode desorientar-se. Combato o homossexualismo e a ameaça de expansão deste comportamento nocivo estimulada por leis humanas equivocadas e a omissão de muitos, e não propriamente o homossexual.

Rudolf Steiner, o fundador da antroposofia, pode ter escrito 350 volumes, como disse o Waldemar. Tudo bem. Contribuiu para enriquecer o conhecimento humano em muitas áreas, mas não encerra a sabedoria absoluta. O duplo etérico, por exemplo, o corpo eletromagnético não é espiritual, mas material, constituído por moléculas das subdivisões superiores do plano físico. Está sendo desenvolvido para substituir o corpo denso no futuro (ainda remoto).Todavia, não é este o tema que está em debate.

Concordo que não é o ser humano que devemos combater, mas, os vícios, a maldade e a imoralidade que contaminam uma sociedade.  Discernir o Bem do Mal não é julgar, é mostrar consciência da Lei. Julgar, como diz Emmanuel, cuja sapiência admiro, é negar oportunidade de arrependimento aos que caem, sofrem e esperam a compreensão da bondade alheia.

Discernir não é exibir rigidez moral. Todavia, não é também compactuar, por excessiva leniência, com vícios e atitudes comprometedoras da sã moral, sob o pretexto de praticar a caridade. Em muitos casos, na verdade, esta pede o silêncio obsequioso, mas nunca a conivência ou a indiferença com movimentos tendenciosos da amoralidade. A este respeito, o silêncio deve estar revestido de austeridade e circunspecção.

No coração de cada discípulo tendente ao Bem deve estar o ideal da união cósmica com o Criador. Jesus chamou a alguns escribas e fariseus de hipócritas. Por que não poderia fazer isso?! Não os estava julgando, mas admoestando-os, porque tinha autoridade moral para isso. Agora, sem filigranas teológicas, dir-se-á por acaso que não expulsou os comerciantes que enxovalhavam o pátio do Templo porque era incapaz de irar-se e porque eles ali estavam estabelecidos legalmente por pagarem impostos ao Sinédrio?

É necessário compreender os arquétipos mentais do pensamento crístico para acessar a Verdade. Ensinou Jesus que não veio destruir a Lei ou os Profetas, mas cumpri-los. Respeitou a Torah e reformou alguns ensinamentos de Moisés. Obviamente que a Torah faz parte do Cristianismo e, assim, o Levítico, 18:22 (“não se deite com um homem, como se fosse com mulher, pois é uma abominação") está correto.  O mesmo inferindo-se em relação ao lesbianismo.

Que a paz esteja com todos.

Nizomar

 

 Concordo com você, Eliane.

 Devemos refletir antes de agir:Será que a minha atitude vai ofender o meu próximo?

 Afinal, a minha liberdade termina onde começa a do outro.

 Devemos vibrar para que este acontecimento não repercura na forma de mais violência. Já temos notícia de que mulheres muçulmanas estão sendo agredidas e elas nada tem a ver com o que aconteceu.

Muita paz para todos!

eliane maria borges disse:

           Também penso da mesma forma, porque as pessoas ao invés de estar criticando os outros ,não procuram promover tudo que Moisés , Jesus, Maomé, Buda , Ghandi  e tantos outros homens de paz anônimos quiseram ao seu modo falar aos homens, de amor, paz, justiça e fraternidade entre todas as criaturas. Gente será que essas pessoas não sabem o valor da paz, harmonia  e o amor ao próximo. Vamos viver em paz, isso sim. Vamos exercer o amor em nossos corações....



JANAINA VIEIRA RANGEL disse:

Gente, e o que é que eles fazem, qdo impõem essa crença a todos, em vários territórios em que fazem guerra em nome do Pai, onde ou vc adere a crença deles ou simplesmente morre????? Estou extremamente chocada! Não generalizo, estamos falando dos extremistas, que estão manchando o princípio do Islã.
Lembro-me bem da ocasião da infeliz atitude do pastor, chutando a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Mas não me lembro de nenhum católico desgovernado, sair promovendo chacinas, em protesto a tal ato.
Me desculpem, mas a indignação me atordoa e peço a DEUS, q acalme essa animosidade q toma nossos espíritos, diante de fatos tão complexos, com tantos "senãos" e "porquês".   
desculpe me Janaima , mais religião alguma matou mais seres humanos do que o catolicismo na história, lembra se das cruzadas, das guerras santas, das pessoas queimadas vivas, só por interesse  financeiro, sim porque quando tal coisa acontecia  os bens passavam para a igreja e quantas injustiças e atrocidades foram cometidas com cientista para impedir a evolução da ciência e isso ninguém pode me desmentir, como no caso de Copernico, e tantos outros, quanto a homosexualidade, sei que o espírito não tem sexo, não quero dizer com isso que está certo, muitos deles vem para tentarem resistir a pederastia, isso encaro também como uma prova , mais infelizmente muitos irmãos recaem no erro, outros ainda guardam na memoria viva do seu perispirito a sua ultima encarnação, acho que religião alguma  deva ser levada ao extremismo, isso porque acredito que todas levam a um fim, o da evolução espiritual do homem, mais infelizmente alguns ainda teimam em resolver tudo na base da violência infelizmente e contam com a mídia para espalhar esse veneno para o mundo inteiro, mais acredito em Um Deus  único e supremo, bom e justo e seu filho o meu amado Mestre Jesus Cristo, sei que estamos passando por uma transição e embora muitas coisas ruins estejam para acontecer , no fim o bem prevalecerá e todos terão sua chance de recomeçar e repensar seus atos, cabe a nós orarmos para o pai  e emitirmos bons pensamentos ao mundo para que isso tudo seja o menos sofrivel possivel. Fica na paz de Jesus e como ele vamos tentar usar o que ele nos deixou , o dom do perdão e da caridade para com todos...


Cleber, talvez V. não esteja acompanhando o debate desde o início. Não é a figura humana que se está discutindo, mas o vício, a anomalia, a degeneração da energia sexual, que pode causar transtorno na cadeia cromossômica e afetar a evolução racial, bem como a presunção de alguns de aceitar este comportamento como normal.

Como eu já disse aqui várias vezes, meu amigo, para um clarividente não há possibilidade de equívoco. A transferência de circuitos do chakra genésico para outros centros do duplo etérico é uma trágica metamorfose, que traz consequências imprevisíveis para a espiritualidade.  

O problema do homossexualismo, tanto o masculino como o feminino, precisa ser estudado à fundo, com o aporte do conhecimento das leis metafísicas de constituição do ser humano, a fim de que não tentemos por nós mesmos fazer leis morais inapropriadas, mas, sim, verificar a forma de corrigir o erro.  

Justo uma minoria bulhenta não se conforma em viver isoladamente suas discrepâncias e tenta vulgarizar o seu comportamento anômalo. É como se fizéssemos a apologia dos palavrões e de todas as drogas. Discordo completamente disso. E por isso 'não subo no muro'.

Cleber da Silva Floriano disse:

E quanto a liberdade sexual dos outros(também sou  hétero),se duas pessoas do mesmo sexo se gostam e com isso não "vulgarizam" a relação,deixemo-os em paz com suas "provas".Quem tem conhecimentos espíritas,sabe que o espírito usa várias vestimentas(corpos materiais) ao longo da jornada evolutiva.
 

Eis a questão meu irmão, porque em minha postagem também não é de "vício", "anomalia", "degeneração da energia sexual, em que falo; mas da liberdade responsável (plenitude do livre arbítrio), onde ninguém deve interferir nos direitos dos outros...

Quanto a sua afirmação: "...para um clarividente não há possibilidade de equívoco.", tenho a lhe lembrar que infalível (perfeito) só existe um!...


Nizomar Sampaio Barros disse:


Cleber, talvez V. não esteja acompanhando o debate desde o início. Não é a figura humana que se está discutindo, mas o vício, a anomalia, a degeneração da energia sexual, que pode causar transtorno na cadeia cromossômica e afetar a evolução racial, bem como a presunção de alguns de aceitar este comportamento como normal.

Como eu já disse aqui várias vezes, meu amigo, para um clarividente não há possibilidade de equívoco. A transferência de circuitos do chakra genésico para outros centros do duplo etérico é uma trágica metamorfose, que traz consequências imprevisíveis para a espiritualidade.  

O problema do homossexualismo, tanto o masculino como o feminino, precisa ser estudado à fundo, com o aporte do conhecimento das leis metafísicas de constituição do ser humano, a fim de que não tentemos por nós mesmos fazer leis morais inapropriadas, mas, sim, verificar a forma de corrigir o erro.  

Justo uma minoria bulhenta não se conforma em viver isoladamente suas discrepâncias e tenta vulgarizar o seu comportamento anômalo. É como se fizéssemos a apologia dos palavrões e de todas as drogas. Discordo completamente disso. E por isso 'não subo no muro'.

Cleber da Silva Floriano disse:

E quanto a liberdade sexual dos outros(também sou  hétero),se duas pessoas do mesmo sexo se gostam e com isso não "vulgarizam" a relação,deixemo-os em paz com suas "provas".Quem tem conhecimentos espíritas,sabe que o espírito usa várias vestimentas(corpos materiais) ao longo da jornada evolutiva.
 

Ronaldo, lamento dizer que sua réplica não se ajusta ao que eu disse, pois falei justamente daquilo que V. sugere que não falei. 'Liberdade responsável' para justificar discrepâncias sexuais é sofisma. Vivemos em sociedade e não isoladamente como ermitões. E, logo, nosso comportamento influi sobre a egrégora local e humana em geral, tonando-a mais positiva ou menos positiva. Não é outra hoje a razão da apatia que se observa em milhões de pessoas diante do avanço do erro., pois tudo passa a ser justificado com o duvidoso 'direito do livre-arbítrio'.

Livre-arbítrio, porém, não é a pessoa fazer tudo o que quer, sem levar em consideração o resultado de suas ações É liberdade de escolha, mas não torna certa uma decisão errada. Por que tergiversar, quando o próprio Cristo afirmou:  "- Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha" (Lucas 11:23)?.

Não sei como V. consegue ver afirmação de perfectibilidade quando digo não haver dúvidas para o que vê um clarividente. Estou apenas afirmando, não estou pedindo para V. crer. Se não crê, talvez um dia vá crer quando virem os seus próprios olhos.

Presunção de perfectibilidade é loucura ou fantasia no estágio em que atualmente  nos encontramos. Discernimento, porém, é forma de aprendizado. Não há ninguém perfeito, mas o nosso paradigma evolutivo consiste, inegavelmente, em discernir os antípodas morais e não mostrar indiferença ou, mesmo veladamente, fazer apologia do erro.

Ao que eu saiba, Ronaldo, nem Cristo arrogou-se a perfeição, mas não podemos escorar-nos nisso para justificar desregramentos e inclinações para o Mal. Perfeição é um ideal que se coloca além da imaginação humana, somente cabível na essência do Uno, que ainda é Incognoscível para nós. Como eu poderia ter, então, tal presunção?!

Ora, Ronaldo, não de pode negar o que os olhos claramente vêem. Eu não posso dizer que o vermelho é azul ou que a escuridão é luz. Como me foi permitido ver no Astral o resultado maligno dos distúrbios sexuais, que, por comedimento, esquivo-me de descrever aqui, concluo que não foi para satisfazer qualquer curiosidade, mas, sem dúvida, para divulgar quando isto fosse possível.

Assim, agradeço a sua colaboração, que permitiu esta possibilidade. 

Nizomar



Ronaldo Costa/O Arrebol Espírita disse:

Eis a questão meu irmão, porque em minha postagem também não é de "vício", "anomalia", "degeneração da energia sexual, em que falo; mas da liberdade responsável (plenitude do livre arbítrio), onde ninguém deve interferir nos direitos dos outros...

Quanto a sua afirmação: "...para um clarividente não há possibilidade de equívoco.", tenho a lhe lembrar que infalível (perfeito) só existe um!...


Nizomar Sampaio Barros disse:


Cleber, talvez V. não esteja acompanhando o debate desde o início. Não é a figura humana que se está discutindo, mas o vício, a anomalia, a degeneração da energia sexual, que pode causar transtorno na cadeia cromossômica e afetar a evolução racial, bem como a presunção de alguns de aceitar este comportamento como normal.

Como eu já disse aqui várias vezes, meu amigo, para um clarividente não há possibilidade de equívoco. A transferência de circuitos do chakra genésico para outros centros do duplo etérico é uma trágica metamorfose, que traz consequências imprevisíveis para a espiritualidade.  

O problema do homossexualismo, tanto o masculino como o feminino, precisa ser estudado à fundo, com o aporte do conhecimento das leis metafísicas de constituição do ser humano, a fim de que não tentemos por nós mesmos fazer leis morais inapropriadas, mas, sim, verificar a forma de corrigir o erro.  

Justo uma minoria bulhenta não se conforma em viver isoladamente suas discrepâncias e tenta vulgarizar o seu comportamento anômalo. É como se fizéssemos a apologia dos palavrões e de todas as drogas. Discordo completamente disso. E por isso 'não subo no muro'.

Cleber da Silva Floriano disse:

E quanto a liberdade sexual dos outros(também sou  hétero),se duas pessoas do mesmo sexo se gostam e com isso não "vulgarizam" a relação,deixemo-os em paz com suas "provas".Quem tem conhecimentos espíritas,sabe que o espírito usa várias vestimentas(corpos materiais) ao longo da jornada evolutiva.
 

Correto, Orlando! Nem seria preciso basear-se em Paulo para se perceber tratar-se de torpezas. Mas, Paulo é um Mestre, o maior dos discípulos de Jesus, e a sua autoridade moral é inquestionável. Por que será que algumas pessoas agora insistem no infausto trabalho de querer reformular as leis morais com seus próprios e duvidosos códigos de ética?!   

Irmãos, que tanto se baseiam nas letras, para encerrar este debate, vou deixar para vocês as letras:

ALERTA AOS ESPÍRITAS!

Irmãos e irmãs, o que vale no Espiritismo é o que você faça dos conhecimentos que for adquirindo nele. O resto – acredite –, não conta muito.
Quando desencarnei, ninguém queria saber qual era o meu nome, endereço, tampouco os títulos que eu possuía – aliás, ninguém queria saber nada de mim, nem me perguntava coisa alguma.
A minha consciência é que, insistentemente, me pedia contas.
A bem dizer, a minha condição de espírita nada significava, e nem significa até hoje.
Sem a intenção de ser redundante, o que vale é o valor – o seu valor pessoal, sem rótulos, ou faixas, de qualquer espécie.
Deste Outro Lado, a única coisa capaz de lhe valer é o seu currículo – o seu currículo de bondade! Porque, no fundo, é isto que irá proporcionar a você alguma réstia de luz, para que, mesmo caminhando na escuridão, consiga evitar o abismo...
Não cometa a tolice de imaginar que, na Vida de além-túmulo, o espírita possa ser tratado com deferência. Privilégio, ou o famoso “jeitinho” brasileiro, é algo que por aqui não existe!
Chico Xavier dizia, e com razão, que os espíritas estavam desencarnando mal – estavam, e, em geral, ainda estão!
Sinceramente, o único predicado que eu invejo numa pessoa, seja ela qual for, é a bondade! Depois que a gente larga a carcaça, para quem é realmente bom, aqui todas as portas se abrem, e todos os caminhos se desimpedem! Em vez de ele pedir audiência com os anjos, são os anjos que pedem audiência com ele!...
Por isto, eis o conselho que lhe dou: teorize menos, e procure servir mais!
O mundo é um caldeirão que ainda vai continuar fervendo durante muito tempo... É possível que você vá desencarnar e tornar a reencarnar, nele encontrando amanhã quase tudo como está agora.
De uma encarnação a outra, o espírito melhora muito pouco... A evolução, para quem não se conscientiza, acontece quase que a passo de lesma – dessas que deixam o seu rastro gosmento no chão!
Não creia ser diferente.
Não estou querendo desanimar a quem seja, mas, se você se interessa pela Verdade, ei-la aqui de maneira nua e crua.
“Nosso Lar”, a colônia espiritual que muita gente na Terra almeja habitar, tem muito mais católicos, protestantes, umbandistas, e até mais ateus, do que espíritas...
Não, não se creia o suprassumo, porque você não o é!
Como é que eu posso dizer isto?! Ser espírita é só acréscimo de responsabilidade espiritual – nada mais do que isto. O que nós já sabemos é mais que suficiente para que, pelos nossos erros, a nossa consciência nos penitencie por muitas e muitas encarnações.
Conheço muita gente que não quer saber o que a gente sabe só para não ter que responder pelo que respondemos, ou responderemos.
Deixe, pois, de professar o Espiritismo como quem toca um clube de futebol, ou um partido político.
Enquanto é tempo, pare de fazer “guerra santa” – contra os outros, e contra os próprios companheiros que você considera equivocados!
Guardião da Doutrina, você?! Ora! Aceite os meus pêsames...
Cuide-se, porque a morte lá vem chegando, e ela é uma locomotiva, que, para atropelá-lo, não pedirá licença!...

***
Médium Carlos Bacelli.
Espírito Inácio Ferreira 
- Uberaba – MG, 22 de julho de 2013.

(a) RONALDO COSTA (O Arrebol Espírita)
http://rsdurantdart.blogspot.com.br

Nizomar Sampaio Barros disse:

Correto, Orlando! Nem seria preciso basear-se em Paulo para se perceber tratar-se de torpezas. Mas, Paulo é um Mestre, o maior dos discípulos de Jesus, e a sua autoridade moral é inquestionável. Por que será que algumas pessoas agora insistem no infausto trabalho de querer reformular as leis morais com seus próprios e duvidosos códigos de ética?!   

Também, pretendo encerrar por aqui esta discussão, mas, antes, destaquei estas duas passagens da psicografia de Carlos Bacelli para comentar:   

" A evolução, para quem não se conscientiza, acontece quase que a passo de lesma – dessas que deixam o seu rastro gosmento no chão!"

" Ser espírita é só acréscimo de responsabilidade espiritual – nada mais do que isto. O que nós já sabemos é mais que suficiente para que, pelos nossos erros, a nossa consciência nos penitencie por muitas e muitas encarnações."

Pode-se deduzir que o Espírito Inácio Ferreira está falando de sua experiência particular e de acodo com o grau de consciência que já alcançou. Quem pensa que, ao desencarnar, será foco de alguma atenção somente por ter sido espírita, realmente está enganado. Mas... quem disse isso aqui? Não vi em parte alguma. 'Nosso Lar' é uma das muitas colônias espirituais que existem no astral terreno, nem a maior nem a mais desenvolvida, mas a que se ajusta à psicologia dos abrigados. A vida astral se desdobra ainda muito além do plano dessas colônias. E existem muitos planos acima do Astral. 

Se quem não tem consciência progride 'a passos de lesma', então de que outro modo pode-se alcançar consciência mais rapidamente se não estudando, procurando entender as leis da matéria e da espiritualidade a fim de aplicá-las ao progresso moral e espiritual na vida?!  Entendi que o Espírito quis dizer que não basta apenas falar, sendo necessário praticar.  Tudo bem, isto é verdade, pois ou se adquire consciência pela dor ou pelo estudo.. Estudar, portanto, não é 'teorizar'.  É conscientizar-se, avançar no conhecimento. Aliás, não é isto o que encarece o Espírito da Verdade?

Ser espírita, por conseguinte, 'não é só acréscimo de responsabilidade'. Sem dúvida que comporta mais obrigações, mas, é também um passo à frente na evolução, uma vez que todo conhecimento esotérico desdobra possibilidades que, no astral, não comportam as mentes afinadas com a ortodoxia religiosa. A visão do Espírito não é nada encorajadora, parecendo mais a de uma consciência atormentada pela culpa.   

Ninguém aqui, ao que me pareça, está fazendo 'guerra santa', mas debatendo. Estaria Jesus guerreando quando censurava os escribas e os fariseus ou calava a boca dos saduceus? Estaria o Mestre discriminando quando aconselhou os discípulos a não entrarem nas cidades dos samaritanos para pregar o evangelho?!

Por que tergiversar? Vamos raciocinar! 

Ronaldo Costa/O Arrebol Espírita disse:

Irmãos, que tanto se baseiam nas letras, para encerrar este debate, vou deixar para vocês as letras:

ALERTA AOS ESPÍRITAS!

Irmãos e irmãs, o que vale no Espiritismo é o que você faça dos conhecimentos que for adquirindo nele. O resto – acredite –, não conta muito.
Quando desencarnei, ninguém queria saber qual era o meu nome, endereço, tampouco os títulos que eu possuía – aliás, ninguém queria saber nada de mim, nem me perguntava coisa alguma.
A minha consciência é que, insistentemente, me pedia contas.
A bem dizer, a minha condição de espírita nada significava, e nem significa até hoje.
Sem a intenção de ser redundante, o que vale é o valor – o seu valor pessoal, sem rótulos, ou faixas, de qualquer espécie.
Deste Outro Lado, a única coisa capaz de lhe valer é o seu currículo – o seu currículo de bondade! Porque, no fundo, é isto que irá proporcionar a você alguma réstia de luz, para que, mesmo caminhando na escuridão, consiga evitar o abismo...
Não cometa a tolice de imaginar que, na Vida de além-túmulo, o espírita possa ser tratado com deferência. Privilégio, ou o famoso “jeitinho” brasileiro, é algo que por aqui não existe!
Chico Xavier dizia, e com razão, que os espíritas estavam desencarnando mal – estavam, e, em geral, ainda estão!
Sinceramente, o único predicado que eu invejo numa pessoa, seja ela qual for, é a bondade! Depois que a gente larga a carcaça, para quem é realmente bom, aqui todas as portas se abrem, e todos os caminhos se desimpedem! Em vez de ele pedir audiência com os anjos, são os anjos que pedem audiência com ele!...
Por isto, eis o conselho que lhe dou: teorize menos, e procure servir mais!
O mundo é um caldeirão que ainda vai continuar fervendo durante muito tempo... É possível que você vá desencarnar e tornar a reencarnar, nele encontrando amanhã quase tudo como está agora.
De uma encarnação a outra, o espírito melhora muito pouco... A evolução, para quem não se conscientiza, acontece quase que a passo de lesma – dessas que deixam o seu rastro gosmento no chão!
Não creia ser diferente.
Não estou querendo desanimar a quem seja, mas, se você se interessa pela Verdade, ei-la aqui de maneira nua e crua.
“Nosso Lar”, a colônia espiritual que muita gente na Terra almeja habitar, tem muito mais católicos, protestantes, umbandistas, e até mais ateus, do que espíritas...
Não, não se creia o suprassumo, porque você não o é!
Como é que eu posso dizer isto?! Ser espírita é só acréscimo de responsabilidade espiritual – nada mais do que isto. O que nós já sabemos é mais que suficiente para que, pelos nossos erros, a nossa consciência nos penitencie por muitas e muitas encarnações.
Conheço muita gente que não quer saber o que a gente sabe só para não ter que responder pelo que respondemos, ou responderemos.
Deixe, pois, de professar o Espiritismo como quem toca um clube de futebol, ou um partido político.
Enquanto é tempo, pare de fazer “guerra santa” – contra os outros, e contra os próprios companheiros que você considera equivocados!
Guardião da Doutrina, você?! Ora! Aceite os meus pêsames...
Cuide-se, porque a morte lá vem chegando, e ela é uma locomotiva, que, para atropelá-lo, não pedirá licença!...

***
Médium Carlos Bacelli.
Espírito Inácio Ferreira 
- Uberaba – MG, 22 de julho de 2013.

(a) RONALDO COSTA (O Arrebol Espírita)
http://rsdurantdart.blogspot.com.br

Nizomar Sampaio Barros disse:

Correto, Orlando! Nem seria preciso basear-se em Paulo para se perceber tratar-se de torpezas. Mas, Paulo é um Mestre, o maior dos discípulos de Jesus, e a sua autoridade moral é inquestionável. Por que será que algumas pessoas agora insistem no infausto trabalho de querer reformular as leis morais com seus próprios e duvidosos códigos de ética?!   

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!