Achei muito lindo e esclarecedor um post da página IRMÃOS DA NOVA ERA ESPÍRITA,

e resolvi compartilhar com vocês.

O endereço deles no Facebook é https://www.facebook.com/irmaosdanovaeraespirita

FILHOS ADOTIVOS NA VISÃO ESPÍRITA Pela visão espírita, todos somos adotados. Porque o único Pai legítimo é Deus. Os pais da Terra não SÃO nossos pais, eles ESTÃO nossos pais.

Porque a cada encarnação, mudamos de pais consanguíneos, mas em todas elas Deus é sempre o mesmo Pai.

Mas, para entendermos melhor a existência desta experiência na vida de muitos pais, é necessário analisá-lo sob a óptica espírita, sob a luz da reencarnação.

A formação de um lar é um planejamento que se desenvolve no Mundo Espiritual. Sabemos que nada ocorre por acaso. Assim como filhos biológicos, nossos filhos adotivos também são companheiros de vidas passadas.

E nossa vida de hoje é resultado do que angariamos para nós mesmos, no passado. Surge, então, a indagação: “se são velhos conhecidos e deverão se encontrar no mesmo lar, por que já não nasceram como filhos naturais?”

Na literatura espírita encontramos vários casos de filhos que, em função do orgulho, do egoísmo e da vaidade, se tornaram tiranos de seus pais, escravizando-os aos seus caprichos e pagando com ingratidão e dor a ternura e zelo paternos.

De retorno à Pátria Espiritual (ao desencarnarem), ao despertarem-lhes a consciência e entenderem a gravidade de suas faltas, passam a trabalhar para recuperarem o tempo perdido e se reconciliarem com aqueles a quem lesaram afetivamente.

Assim, reencontram aqueles mesmos pais a quem não valorizaram, para devolver-lhes a afeição machucada, resgatando o carinho, o amor e a ternura de ontem. Porque a lei é a de Causa e Efeito.

Não aproveitada a convivência com pais amorosos e desvelados, é da Lei Divina que retomem o contato com eles como filhos de outros pais chegando-lhes aos braços pelas vias de adoção.

Aos pais cabe o trabalho de orientar estes filhos e conduzi-los ao caminho do bem, independente de serem filhos consanguíneos ou não.

A responsabilidade de pais permanece a mesma. Recebendo eles no lar a abençoada experiência da adoção, Deus sinaliza aos cônjuges estar confiando em sua capacidade de amar e ensinar, perdoar e auxiliar aos companheiros que retornam para hoje valorizarem o desvelo e atenção que ontem não souberam fazer.

Trazem no coração desequilíbrios de outros tempos ou arrependimento doloroso para a solução dos quais pedem, ao reencarnarem, a ajuda daqueles que os acolhem, não como filhos do corpo, mas sim filhos do coração.

Allan Kardec elucida: “Não são os da consanguinidade os verdadeiros laços de família e sim os da simpatia e da comunhão de idéias”. ---

DEVEMOS ESCONDER QUE ELES SÃO ADOTIVOS? Um dos maiores erros que alguns pais adotivos cometem é o de esconder a verdade aos seus filhos. É importante, desde cedo, não esconder a verdade.

Ás vezes, fazem por amor, já que os consideram totalmente como filhos; outros o fazem por medo de perder a afeição e o carinho deles. Quando os filhos adotivos crescem, aprendendo no lar valores morais elevados, sentem-se mais amados por entenderem que o são, não por terem nascido de seus pais, mas sim frutos de afeição sincera e real, e passam a entender que são filhos queridos do coração.

Revelar-lhes a verdade somente na idade adulta é destruir-lhes todas as alegrias vividas, é alterar-lhes a condição de filhos queridos em órfãos asilados à guisa de pena e compaixão.

Não devemos traumatizá-los, livrando-os do risco de perderem a oportunidade de aprendizado no hoje. André Luiz esclarece-nos quanto a este perigo: “Filhos adotivos, quando crescem ignorando a verdade, costumam trazer enormes complicações, principalmente quando ouvem esclarecimentos de outras pessoas”.

Identicamente ao que ocorre em relação aos nossos filhos biológicos, buscar o diálogo franco e sincero, com base no respeito mútuo, sob a luz da orientação cristã de conduta. Pais que conversam com os filhos fortalecem os laços afetivos, tornando a questão da adoção coisa secundária. Recebendo em nossa jornada terrena a oportunidade de ter em nosso lar um filho adotivo, guardemos no coração a certeza de que Jesus está nos confiando a responsabilidade sagrada de superar o próprio orgulho e vaidade, amando verdadeiramente e desinteressadamente a criatura de Deus confiada em trabalho de educação e amparo.

E, ajudando-o a superar suas próprias mazelas, amanhã poderá retornar ao seio daqueles que o amam na posição de filho legítimo.

---É CERTO A ADOÇÃO POR CASAIS HOMOSSEXUAIS? Raul Teixeira responde: “O amor não tem sexo. Como é que podemos imaginar que o melhor para uma criança é ser criada na rua, ao relento, submetida a todo tipo de execração, a ser criada nutrida, abençoada por um lar de casal homossexual? Muita gente assevera que a criança corre riscos. Mas como?

Nós estamos acompanhando as crianças correndo riscos nas casas de seus pais heterossexuais todos os dias.

Outros afirmam que a criança criada por homossexuais poderá adotar a mesma postura, a mesma orientação sexual. O que também é falso. A massa de homossexuais do mundo advêm de lares heterossexuais. Então, teremos de concluir que são os casais heterossexuais que formam os homossexuais. Logo,não devemos entrar nessa discussão que é tola e preconceituosa. aquele que tem amor para dar que dê.”

Amemos nossos filhos, sem cogitar se nos vieram aos braços pela descendência física ou não, como encargo abençoado com que o Céu nos presenteia.

Encerremos com Emmanuel: “Recorda que, em última instância, seja qual seja a nossa posição nas equipes familiares da Terra, somos, acima de tudo, filhos de Deus”.

-fonte: site/Samaritanos-

Tags: adotivos, adoção, filhos

Exibições: 1646

Anexos

Responder esta

Respostas a este tópico



Letícia Michelotti Pimenta disse:

Boa noite querida Elizabeth, 

pena você não ter sabido desda mais tenra idade que era ''adotiva'',

mas, ainda bem que não se revoltou como a maioria, e cuidou da sua mãezinha.

Quanto a sua família consanguínea, realmente é natural sentir curiosidade,

em saber se temos irmãos de sangue, se temos os traços iguais ao dos

que nos colocaram no mundo, mas, não fique triste pensando nessas coisas,

pois sangue e corpo são materiais, isso desfalece um dia,

já o amor verdadeiro é eterno e concreto.

PAZ e LUZ!!


Obrigado Letícia, é verdade não houve revolta apenas tristeza no começo, mas transformei esse sentimento em força para os dias que vieram pela frente, doença, ela ficou de 2010  para cá muito debilitada e cuidei dela , dando comida na boca, trocando fralda, fazendo leituras do evangelho, fluidificando água para medicar,tudo com carinho.Ela já nem falava mais, mas sabia através do olhar se comunicar comigo e sabia que eu estava fazendo o meu melhor.Sou grata a Deus por esse reencontro que com certeza eu deixei em algum lugar do passado e tive agora a oportunidade de resgatar.Abraços fraternos para vc.
elizabeth sabaliauskas disse:

    Gostei muito desse tema, posso dar meu testemunho pois fui adotada por meus pais, e me esconderam a vida toda sobre o assunto.Quando fiquei mais adulta percebi as diferenças já que eles eram estrangeiros com olhos azuis e eu não.Moravam em São Paulo e perderam sua filha legítima em um acidente de lambreta nos anos 60.Dai eu surgi para aliviar uma dor.Como eram bem de vida tive tudo que uma criança poderia ter, amor, saúde, estudo, lazer, tudo de bom.Mudamos de cidade quando eu tinha 8 anos,os anos passaram , perdi meu pai aos 24 anos, fiquei com minha mãe e uma irmã adotiva,sempre perguntei a minhã mãe sobre minha origem, mas ela fugia do assunto.Até que tive a confirmação, mas ela   não quis contar tudo, só disse que vim de Avaré Santa Casa.Sempre fui grata a eles pelo que sou, dediquei minha vida para cuidar de minha mãe quando adoeceu,em Setembro do ano passado ela se foi com 91 anos.Fiz meu melhor e tenho certeza que ela está bem  agora.Quanto a mim, não sei minha origem, se tenho parentes vivos e como   se não tivesse identidade,mas se um dia Deus achar que deve, saberei do resto da estória.Agradeço a Deus sempre pela oportunidade desse reencontro oportuno com eles  e oro todos os dias para que eles fiquem bem.Muita luz a todos.


SEM DÚVIDA ALGUMA!!

FAZER USO DA RAZÃO E DO BOM SENSO É DE SUMA IMPORTÂNCIA!!


Orlando D. Cardoso disse:

Revista Espirita- março de 1868- Comentário sobre o Messias: “A opinião da maioria dos Espíritos é um controle poderoso para o valor dos princípios da Doutrina, mas que não exclui o do julgamento e da razão, dos quais todos os Espíritos sérios recomendam, sem cessar, fazer uso.”

Concordo, mas não deve ser visto com normalidade, da mesma forma que

QUALQUER OUTRA COISA que não faça bem para o corpo e para espírito!!

Seja o vício de comer demais, falar mal da vida dos outros, cuidar mais da vida alheia

do que da própria, beber, fumar, fazer maldade com o próximo, não ser honesto e etc.

Orlando D. Cardoso disse:

Livro Na Era do Espirito, Aut. Div.- C.X./ José H. Pires. Liçao 25: A questão 202.

 

ACÚSTICA PSICOLÓGICA

 

Irmão Saulo

 

No sentido orgânico, bio-fisiológico, os espíritos não têm sexo, pois não possuem o corpo material e não se reproduzem. Mas o sexo vegetal, animal e humano é simples manifestação de polaridade. Há, portanto, um problema espiritual de polaridade, semelhante ao das correntes ele energias que conhecemos, determinando a condição íntima do espírito e sua posição masculina ou feminina. Por isso, nos planos inferiores da espiritualidade, nas regiões de transição do plano físico para o metafísico, as regiões infernais das religiões clássicas ou as regiões umbralinas da concepção espírita, o corpo espiritual das entidades reproduz as condições sexuais que tiveram na vida terrena. Os íncubos e súcubos da Idade Média são exemplos dessas formas grosseiras de espíritos inferiores.

As manifestações desses seres inferiores confundem muitos estudiosos e médiuns-videntes que não aceitam a tese espírita de que os espíritos não têm sexo. Simples falta de melhor discernimento doutrinário. Mas, como ensina Emmanuel em sua mensagem, as lesões afetivas que produzimos nos outros repercutem em nós “criando lesões conseqüentes e análogas em nosso campo espiritual”. É um fenômeno de acústica psicológica, semelhante aos da acústica física e fisiológica das teorias de Helmholtz.

Os problemas sexuais, portanto, fazem parte da lei geral de ação e reação que determina as nossas provas e expiações. Essa a razão por que as vítimas de desequilíbrios nesse campo não devem ser encaradas e tratadas com a repulsa brutal e hipócrita do passado. Os que assim procedem, faltando com a caridade, podem estar preparando para si mesmos situações semelhantes no futuro.

Mas isso não justifica a aceitação em termos de normalidade, como hoje se pretende, pois então estaríamos endossando e estimulando o desequilíbrio e sua propagação, ao invés de ajudar as suas vítimas a se reequilibrarem. Emmanuel recomenda a aceitação caridosa do doente, mas recomenda que lhe apliquemos a terapêutica de “amor e esclarecimento, ao invés de menosprezo ou condenação” Porque foi assim que Jesus procedeu com os desequilibrados do seu tempo, desde o endemoninhado geraseno até a mulher adúltera.

Excelente tema Letícia, parabéns, muito bem explicado!

Boa noite amigo Ari Tavares,

muito bom mesmo né,

eu peguei dessa página do Facebook

https://www.facebook.com/irmaosdanovaeraespirita

lá tem posts maravilhosos e muito esclarecedores ;)

Ari Tavares disse:

Excelente tema Letícia, parabéns, muito bem explicado!


Obrigada Elizabeth

Imaginio o quanto foi doloroso pra você. Realmente, não quero isso para o meu filho e para ninguém.

Até me emocionei lendo sua mensagem, a verdade é que eu só tenho agradecer aos pais biológicos de me darem uma criança tão perfeita, tão carinhosa que é meu filho.  Não tive contato com eles, meu processo foi todo pelo forum, porém, tenho acesso a todo o processo, sei o nome da mãe, o pai não assumiu meu bb.  Vou sempre falar a verdade a ele, por mais dolorida que seja, sempre é o melhor caminho.

Obrigada por me tranquilizar, meu medo maior era meu filho deixar de me amar, por saber que não nasceu de minha barriga. Mas acho que não corro esse risco.

Um super beijo, fique na paz!!!

Rita


elizabeth sabaliauskas disse:



rita teixeira disse:

Bom dia... Elizabeth

Gostaria de sua ajuda... Tenho um filho adotado, sempre falo que el é filho do coração... ele tem 5 anos, tenho medo da reação dele quando entender o que é "ser filho do coração" .. Meu marido é contra falarmos a verdade, mas não quero viver na mentira eternamente.

Bjs e boa sorte!

Rita      Querida amiga, hoje estou com 53 anos,se tivesse filhos adotivos claro que contaria toda a verdade, é muito complicado apesar de saber que você teve uma "família"  que te amo muito, mas saber sua origem é muito importante,sempre que ora para minha meus pais biológicos, digo que onde eles estiverem e seja por qual motivo for que não puderam ou não quiseram me criar, o único juiz é Deus e não eu.De minha parte só tenho a agradecer a oportunidade de ter sido gerada por uma família e criada por outra, me oportunizando novas experiências para resgatar meus compromissos espirituais.Toda verdade dita com carinho é bem vinda, 5 anos ainda é uma idade boa de moldar essa compreensão ,sempre dizendo por mais que os pais biológicos por qualquer motivo que seja não puderam ficar com ele, que ele os respeite e ore sempre por eles.Toda mentira um dia vem a tona e é tão dolorido.Na verdade eu desconfie quando vi fotos como disse anteriormente, sendo eles estrangeiros todos são bem brancos e de olhos claros e eu não tenho esse perfil,se  eles tivessem me contado quando era pequena seria menos doloroso do que foi descobrir sozinha e o que é pior não ter como saber de toda verdade,meu pai faleceu em 1984, até então não desconfiava tanto.Mas um dia meu primo que morava em São 'Paulo veio nos visitar em Belém/Pa e comecei a ouvir ou ter intuição de perguntar a ele sobre um certo segredo.Quando ele relutou mas depois contou, só confirmou o que eu desconfiava,mas disse que não sabia de detalhes, pois meus pais esconderam isso de toda a família e a maioria também já morreu.Então amiga o que tenho a lhe dizer conte a verdade enquanto é cedo, ele jamais vai deixar de amar vocês pelo contrário seu amor aumentará por saber o quanto vocês queriam   esse filho.,o quanto o amam.E se ele um dia quiser conhecer seus pais biológicos nada temam,foram vocês que estavam com ele nãos horas dolorosas, nas alegrias e tristezas, mas é muito importante jamais ensinarem a ele denegrir a imagem dos pais biológicos seja por qual motivo for.O melhor será ensinar a orar sempre por eles.Grande abraços e boa sorte.

Boa tarde querida Rita, fico feliz que de alguma forma pude lhe ajudar,se vc quiser e tiver face,book me adicione(elizabeth sabaliauskas)vou gostar de tê-la como amiga tenho certeza que vc fará a coisa certa em contar a ele a verdade junto com seu esposo.O amor rompe barreiras e cobre a humanidade dos pecados.O amor é um remédio poderoso que cura muitas doenças, o amor é alimento do corpo e da alma, não tem contra indicação é Universal, independe de idiomas,enfim o amor verdadeiro pode mudar muitos caminhos tortos.Abraços fraternos, sempre que precisar pode contar com minha amizade ainda que distante e virtual.

rita teixeira disse:


Obrigada Elizabeth

Imaginio o quanto foi doloroso pra você. Realmente, não quero isso para o meu filho e para ninguém.

Até me emocionei lendo sua mensagem, a verdade é que eu só tenho agradecer aos pais biológicos de me darem uma criança tão perfeita, tão carinhosa que é meu filho.  Não tive contato com eles, meu processo foi todo pelo forum, porém, tenho acesso a todo o processo, sei o nome da mãe, o pai não assumiu meu bb.  Vou sempre falar a verdade a ele, por mais dolorida que seja, sempre é o melhor caminho.

Obrigada por me tranquilizar, meu medo maior era meu filho deixar de me amar, por saber que não nasceu de minha barriga. Mas acho que não corro esse risco.

Um super beijo, fique na paz!!!

Rita


elizabeth sabaliauskas disse:



rita teixeira disse:

Bom dia... Elizabeth

Gostaria de sua ajuda... Tenho um filho adotado, sempre falo que el é filho do coração... ele tem 5 anos, tenho medo da reação dele quando entender o que é "ser filho do coração" .. Meu marido é contra falarmos a verdade, mas não quero viver na mentira eternamente.

Bjs e boa sorte!

Rita      Querida amiga, hoje estou com 53 anos,se tivesse filhos adotivos claro que contaria toda a verdade, é muito complicado apesar de saber que você teve uma "família"  que te amo muito, mas saber sua origem é muito importante,sempre que ora para minha meus pais biológicos, digo que onde eles estiverem e seja por qual motivo for que não puderam ou não quiseram me criar, o único juiz é Deus e não eu.De minha parte só tenho a agradecer a oportunidade de ter sido gerada por uma família e criada por outra, me oportunizando novas experiências para resgatar meus compromissos espirituais.Toda verdade dita com carinho é bem vinda, 5 anos ainda é uma idade boa de moldar essa compreensão ,sempre dizendo por mais que os pais biológicos por qualquer motivo que seja não puderam ficar com ele, que ele os respeite e ore sempre por eles.Toda mentira um dia vem a tona e é tão dolorido.Na verdade eu desconfie quando vi fotos como disse anteriormente, sendo eles estrangeiros todos são bem brancos e de olhos claros e eu não tenho esse perfil,se  eles tivessem me contado quando era pequena seria menos doloroso do que foi descobrir sozinha e o que é pior não ter como saber de toda verdade,meu pai faleceu em 1984, até então não desconfiava tanto.Mas um dia meu primo que morava em São 'Paulo veio nos visitar em Belém/Pa e comecei a ouvir ou ter intuição de perguntar a ele sobre um certo segredo.Quando ele relutou mas depois contou, só confirmou o que eu desconfiava,mas disse que não sabia de detalhes, pois meus pais esconderam isso de toda a família e a maioria também já morreu.Então amiga o que tenho a lhe dizer conte a verdade enquanto é cedo, ele jamais vai deixar de amar vocês pelo contrário seu amor aumentará por saber o quanto vocês queriam   esse filho.,o quanto o amam.E se ele um dia quiser conhecer seus pais biológicos nada temam,foram vocês que estavam com ele nãos horas dolorosas, nas alegrias e tristezas, mas é muito importante jamais ensinarem a ele denegrir a imagem dos pais biológicos seja por qual motivo for.O melhor será ensinar a orar sempre por eles.Grande abraços e boa sorte.

Obrigada Letícia

Ja venho conversando isso com ele, que ele é filho do coração, que ele é muito especial e tal...

Vou sempre contar a verdade

Obrigada


Letícia Michelotti Pimenta disse:


Boa tarde amiga Rita,

desculpa me intrometer, mas, NÃO ESCONDA NADA,

pelo bem de vocês e do seu filho, pois a verdade sempre aparece,

e é melhor que seja pela boca dos pais, desde pequeno, do que pela

boca de estranhos na fase adulta.

Como disse anteriormente nosso amigo Evandro

que conforme a criança vai crescendo, os detalhes que vão surgindo,

acabam despertando a atenção daquele que foi adotado.

Além de que, você vai viver com isso te atormentando, e, com certeza,

irá chegar o dia que você não irá aguentar mais e vai querer revelar a verdade,

mas para que isso seja natural e sem choques, seu filho tem que estar

na fase de criança.

Diga a ele que ele deve se sentir muito especial, pois não foi gerado no teu ventre,

não tem o mesmo sangue, e melhor ainda,  foi escolhido,

e que vocês o amam extraordinariamente, com certeza, ele vai se sentir muito feliz.

Paz e Luz!


rita teixeira disse:

Bom dia... Elizabeth

Gostaria de sua ajuda... Tenho um filho adotado, sempre falo que el é filho do coração... ele tem 5 anos, tenho medo da reação dele quando entender o que é "ser filho do coração" .. Meu marido é contra falarmos a verdade, mas não quero viver na mentira eternamente.

Bjs e boa sorte!

Rita

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!