Bom meus amigos, sei que o assunto é pesado, mas eu não poderia deixar de colocar isso pra discussão...

Gostaria de saber de vcs, o que leva uma pessoa que muitas vezes tem tudo na vida  buscar o preenchimento interior,  nas drogas....

Seria a falta de Deus em sua vida, uma vez que não escolhe Classe Social?

O que seria esse vazio que muitas pessoas tem e não conseguem preencher?

Seria insatisfação com essa encarnação, mesmo que inconsciente?

Seria a falta de religião como já citei acima?

Seria falta de base familiar, ou  imaturidade espiritual só?

Porque, mesmo sabendo que isso os leva a morte, essas pessoas insistem em usar?

ENFIM, ADORARIA SABER A OPINIÃO SOBRE ESSE ASSUNTO TÃO EM PAUTA DIÁRIAMENTE!

Abraç0)

Lena

Exibições: 466

Responder esta

Respostas a este tópico

Olá, Denizar,

Sinto muito, as coisas são bem diferentes. Leia meus arrtigos em meu site e você verá por que.

Os meios eletrônicos apresentam problemas por causa da natureza dos aparelhos. No caso da TV, não adianta esperar que ela melhore (já existe no Brasil há 60 anos, melhorou ou piorou?). Se um programa fosse realmente educativo, ele seria extremamente monótono; os telespectadores iriam adormecer ou mudar de canal. Tudo na TV tem que atingir fortemente as emoções, pois o telespectador não faz ação nenhuma, e não tem tempo de pensar conscientemente. E o que mais atinge as emoções? Violência e erotismo! Se um programa não tiver nenhum dos dois, tem que ser apresentado em forma de show bem variado -- como era o excelente programa Beeckman's World, em que eram apresentados conceitos e experiências de física que se poderia repetir na cozinha. Para atrair os telespectadores, o laboratório do Beeckman era uma parafernália de objetos, e havia uma pessoa fantasiada de ratão atirando pastelões para todo o lado...

Assim, o uso é indevido pois o aparelho impõe isso. Mas não sou contra a TV na educação, desde que usada com vídeo para ilustrações, mas estas têm que ser muito breves, de alguns minutos; aí se deve parar, discutir o contúdo, repassá-lo novamente, e discuti-lo mais uma vez. Aí o conteúdo entrará no consciente, e não no subconsciente como ocorre nos casos em que não se tem ideia do que o aparelho produz no telespectador.

Sobre uso indevido das máquinas, leiam meu artigo A missão da tecnologia, em meu site.

Finalmente, o melhor presente que dei para meus 4 filhos (a menor tem 36 anos) foi não ter tido TV em casa (felizmente os outros meios ainda não existiam nos lares). Não ter TV acaba com todos os problemas, inclusive de controle de uso -- principalmente autocontrole. Nesse último caso, por que ficar combatendo a si próprio?


aaaaaaaaaaaaaaaa, VWS

...adorava o mundo de Beeckman, aiai... que saudade, assistia com minhas filhas... a mais nova 28, a mais velha 31,  rsrsrsrs, sempre monitoravam  o que assistiam, era tida como mãe controladora e chata!

Mas acho que acertei minha forma de criá-las...

Esse programa vc tirou do baú, gostei muito,  muito bem lembrado!... 

Olá, Denizar,

> Olá, Valdemar. Não sei em que estamos discordando, exatamente?!

Não sei se você está criticando eu ter saído do tema. Se for esse o caso, não, eu mostrei que os meios eletrônicos podem ser um motivo para o consumo de drogas, por abafarem a capacidade de imaginar, de fantasiar.

Se, por outro lado, você achar que não discordamos, bem, veja adiante.

> Concordo que a TV atual tem mais 'lixo' do que coisa boa!

Veja, aí diferimos. A minha maior preocupação é com o aparelhos em si, em termos do que eles fazem com o telespectador. O conteúdo é consequência disso. Experimente ler meus artigos em meu site e verá.

> Acredito que para Espírito (ou "EU") ser completo, tem de passar por todas as provas, inclusive a televisão, e cabe a nós, Pais e Educadores, em geral, disciplinar e educar, assim como cabe ao educando, assimilar o que é bom para ele, se o quiser! Do contrário, recairíamos naquela história de que a única forma de erradicar uma doença, é exterminando o doente...

Diferimos novamente. Discordo totalmente que o espírito individual tem que passar por todas as provas. Eu jamais fui fumante -- experimentei fumar um cigarro aos 14 anos, durante os festejos do 4o. centenário de São Paulo, nos parques de diversões que havia no Ibirapuera, achei tão horrível que nunca mais pus um cigarro na boca. Eu jamais tomei ou fumei qualquer psicotrópico. Eu simplesmente não preciso experimentar tudo isso e muito mais para ter a conceituação correta do efeito que eles causam no ser humano.

Por outro lado, não cabe de modo algum ao educando assimilar o que é bom para ele. Crianças e adolescentes não têm o discernimento e a experiência dos adultos, não sabem distinguir o que é bom do que é mau, o que é belo do que é feio, o que verdadeiro do que é falso. Se os tiverem, são crianças e jovens deturpados, com excesso de espírito crítico, achando que o mundo é pleno de ruindades como todos os adultos sabem. São adultos em miniatura, e isso é um desastre do ponto de vista do desenvolvimento sadio, pois já perderam boa parte de sua infância e juventude, tão necessárias para o futuro adulto ser harmonioso. Educandos devem ser orientados; é óbvio que devem ter certas liberdades, mas elas devem ser delimitadas pelos adultos.

É muito importante reconhecer que a educação sempre foi radical: quero ver o pai que deixa seu filho brincar na rua no que é denominado "centro expandido" de São Paulo. Quero ver qual a cantina escolar que vende cerveja para os alunos. Tudo isso é radicalismo, e há infinidades deles. Acontece que, se algo é reconhecido ser prejudicial dos pontos de vista de saúde ou educacional, tem que ser evitado e não há meio termo.

Infelizmente sou um dos pouquíssimos que conhece o mal que os meios eletrôncios fazem em crianças e adultos. Se mais pessoas tivessem meu conhecimento, chegariam à minha conclusão: meios eletrônicos devem ser evitados na educação, no lar e na escola, a menos de casos excepcionais. Leia meus artigos e verá por que.

Mmmm, Henrique, que tal abrir um fórum sobre meios eletrônicos e educação? Não quero fazê-lo para não puxar a brasa para minha sardinha (lembre-se que abri o fórum Antroposofia a seu pedido). Em particular, eu tenho perguntado aos pais em minhas palestras sobre meios eletrônicos na educação, quantos estão preocupados com o uso que seus filhos fazem da Internet. Em geral, 2/3 levanta a mão. Finalmente a humanidade está começando a perceber o que eu percebi há 50 anos atrás, devido à minha concepção de mundo espiritualista  -- naquela época em relação à TV, pois os outros não existiam nos lares e nas escolas. A propósito, meu primeiro artigo publicado contra o uso de computadores na educação foi em 1976, em um congresso da Academia de Ciências do Estado de São Paulo, da qual sou membro, veja em

http://www.ime.usp.br/~vwsetzer/comp-cient.html

aaaaaaaaaaaaaaaaa, VWS..

Este assunto não está bem amadurecido em mim.

Temos drogas lícitas e ilícitas.

Todas fazem mal, seja por química, seja por abuso.

Dizem que 1 cálice de vinho faz bem. Dizem que o mesmo bem vc obtém com suco de uva.

 

Cigarro já foi considerado terapêutico. Hoje é veneno.

A droga é culpada pela personalidade deformada de quem a usa?

Não sei, acho que não.

 

A proibição não impede o uso. Apenas o situa na marginalidade e reduz a dsitribuição e incentivo.

A legalização não seria uma forma de dizer: "Usa que não tem problema."?

A proibição não seria uma forma de dizer: "Isso é arriscado."?

 

E qual é o risco real? No cigarro está evidente, mas o cpital não permite proibir.

A maconha, há quem defende que é terapeutico. E o capital até hoje não se interessou.

As outras, sabemos que criam dependência química. Mas remédios também criam e são controlados por receitas.

Qual a diferença?

 

Preciso amadurecer isso.

O congresso mexicano aprovou uma lei que libera a posse de pequenas quantidades de drogas e recomenda tratamento a usuários.

Se as drogas se tornassem legais, os traficantes perderiam sua fonte de renda. O problema dos drogados passaria a ser visto como de saúde pública, a ser tratado por médicos psiquiatras e psicólogos e enfrentado por campanhas educacionais.

E todas escolas fundamentais passariam por axames anti-dopping em seus alunos periodicamente.

PP.

Tudo que é proibido é mais atraente.Não sou contra a liberação de nada . Cada um possui o direito de decidir o que lhe convém . A família deve orientar os filhos , o governo alertar para os riscos E a sociedade saberá exatamente quem consome e estara livre de surpresas desagradáveis . não é só bandido que usa droga . ontem uma sociológa ficou presa pelos traficantes , vejam não é nenhuma ignorante ! A maioria  dos que sustentam o tráfico são pessoas bem instruidas e fazem porque querem , portanto de posse de seus livres arbítrios.

.

Antonia, penso que o Livre-Arbítrio não se discute, isto é, qualquer um é livre para fazer o que quiser, bom ou mau, devendo arcar, sempre, com as conseqüências dos seus atos, tanto em nível social, quanto moral, contudo, o que se discute é a Liberdade Individual, que termina onde começa o Direito do Próximo, é assim que funciona uma sociedade organizada e civilizada. Ademais, penso que o direito da maioria, deva prevalecer sobre o direito da minoria, do contrário estaríamos invertendo valores. Veja o caso, p.ex., dos 'naturistas' (ou nudistas) que sentem-se no direito de viver sem roupas, e por conta disto se obrigam a viver segregados em colônias reservadas, pelo fato da maioria das pessoas não concordar com este 'estilo de vida'. No meu entender, é coerente esta atitude da sociedade, em geral, ou teríamos no nosso meio, nas ruas, pessoas andando 'como vieram ao mundo'. Isto é só um exemplo para ilustrar em relação às outra coisas, como a liberação da maconha, para uma minoria ficar fumando no meio da rua, na praça, no clube, et...

Pessoalmente só contrário a qualquer tipo de droga e, em especial, a sua liberação. Não vejo nenhum não benefício para os jovens ou usuários. Como uso medicinal? Pode ser, outras já são utilizadas. Comparar o Brasil a Holanda, por exemplo, representa um erro, pois somos paises em estágios diferentes em termos de educação e cultura.

Quanto ao STF, vale analisar as decisões desse tribunal ao longo de um tempo recente, pois ou são políticas (pró-governo) ou são populares.

Por outro lado, a limpeza do planeta já está acontecendo, portanto daqui por diante vamos assistir/vivenciar situações que vão nos deixar perplexos. Resta-no orar e pedir ao Pai, por nós e por todos os nossos irmãos em Cristo.

Careta e conservador? É possível, mas com valores definidos.

 

Penso e é certo que cada um é responsável pela colheita. Todos os atingidos por esta ajudaram de alguma forma a semear.

A política brasileira fecha os olhos deixando que o mal  avance e quando não tem mais como controlar jogam a bomba no colo da sociedade.A sociedade brasileira é apática.E tudo se justificam em um plebiscito.

Continuo com a mesma opinião , pois será pelo menos tratada como saúde pública e controlada pelo estado( embora nem sempre com a presteza que merece).E a gente saberá com quase certeza de quem se previnir.

Meu irmao é formado em farmacia bioquimica, e algumas farmacias de manipulação, criam a maconha, folha da coca, para fins medicinais, pois em muitos medicamentos sao usados os principios ativos de tais drogas.

De uma certa forma, se fosse julgar no geral, a maior parte dos brasileiros ja usaram alguma droga. como por exemplo remedios que compramos nas farmacias. A diferença, creio, que esta no uso indevido dessas substancias, de uma certa forma para proporcionar "algo" a pessoa, e com isso traria o vicio de sempre querer mais e a tendencia seria uma overdose. Já os remedio esta ai para prevenir algum tipo de doença que a pessoa esta, para curar a mesma, e depois o mesmo nunca mais tomaria aquela medicação (em alguns casos as pessoas ainda continuam tomando). Os remedios considerados faixa preta, sempre sao vendidos com mais rigor e a prescrição do médico tem que ser muito correta, e os mesmos remedios causam dependencia do usuario, mas com o passar do tempo o medico pode diminuir a dose ate a pessoa ficar sem tomar.

Abraços

 

Infelizmente em nossa sociedade o governo fecha os olhos para todos, pois os nossos representantes de uma certa forma só pensam neles. Se o governo quizesse criar uma lei ou demanda para acabar com o trafico, Fariam; se o governo quizesse acabar com as pessoas mizeraveis ajudando com qualificação para as mesmas arrumar empregos, Fariam; se o governo quizesse acabar com leis que burlam nossos direitos, Fariam, ou seja, se os nossos representantes quizessem acabar com tais desigualdades, injustiças, entre outros eles fariam. Muitas pessoas só fazem algo, para receber alguma coisa em troca, e por isso o mundo, esta de uma certa forma neste caos. As pessoas passam por cima de seus valores para fazer sempre algo errado mesmo sabendo dos riscos. Mas nao sou Deus para julgar os atos "inquestionaveis" de todos os seres humanos. Vale ressaltar uma coisa. A maior parte de filhos de deputados, advogados, desembargadores, etc, comentem varios crimes por ai e nunca sao julgados(Fato, e quando julgados sao so porque repercurtiu na midia), por que será em? será mesmo que nos vivemos em uma sociedade justa?, !!! Acho que Não. Nos podemos escapar das leis Humanas mas a do Criador Nunca escaparemos. Mas será que a sociedade esta dessa forma por causa de nossos representantes ou por causa de nos que nao corremos atraz de nossos direitos?!! (Somente quem sabe de seus direitos é que exige algo).

Abraços

De uma certa forma, se fosse julgar no geral, a maior parte dos brasileiros ja usaram alguma droga. como por exemplo remedios que compramos nas farmacias. vale ressaltar. =)

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!