Há religiosos que alegam ser contra os homossexuais porque a Bíblia os condena: O HOMOSSEXUAL SERÁ PUNIDO ATÉ A MORTE (Levítico, 20:13). Como "matar" se a lei divina diz: “NÃO MATARÁS” (Ex 20,13)? Devemos seguir uma lei transgredindo outra? Por que os adúlteros não são perseguidos como os homossexuais? Afinal, eles também são condenados pela Bíblia: NÃO ADULTERARÁS (Ex 20). É conveniência ou hipocrisia mesmo? Boicotam a novela por causa de um beijo gay, mas são permissivos à promiscuidade heterossexual da trama? Boicotam a empresa Boticário porque fizeram uma propaganda para o dia dos namorados com casais hetero e homossexuais, mas se permitem, muitas vezes, presentear a(o) amante?
Aproveitemos para perguntar: SERÁ QUE ESTES RELIGIOSOS PRECONCEITUOSOS SEGUEM TODAS AS OUTRAS LEIS DA BÍBLIA? Como por exemplo: OS FILHOS DESOBEDIENTES E REBELDES, QUE NÃO OUÇAM SEUS PAIS E SE COMPROMETAM NO VÍCIO, SERÃO APEDREJADOS ATÉ A MORTE. (Deuteronômio, 21:18-21). Quantos religiosos se converteram, ou melhor, encontraram Jesus, depois de dar muito desgosto aos pais, por terem sido rebeldes e se comprometeram com os vícios. Se a lei fosse aplicada, sobrariam poucos para dar seu testemunho. Então, NÃO FAÇAMOS AO PRÓXIMO O QUE NÃO QUEREMOS QUE NOS FAÇAM. Se queremos ter o livre arbítrio para pensar e agir devemos dar este mesmo livre arbítrio ao próximo. Se o próximo está errando em algum ponto, nós também temos outros pontos a corrigir. Então, NÃO JULGUEMOS PARA QUE NÃO SEJAMOS JULGADOS. Afinal, QUEM PODE ATIRAR A PRIMEIRA PEDRA? Não queremos obrigar as pessoas a aceitarem a homossexualidade, pois elas também têm o livre arbítrio para não concordar, mas pedimos respeito. Podemos conviver sem desrespeito, agressividade, imposição, confronto, provocação, etc. Podemos odiar cebola, mas podemos respeitar e conviver com quem gosta. Isto é o princípio do “amarmos uns aos outros.” 
E lembremos que, no Antigo Testamento há leis feitas por Moisés para conter aquele povo. Depois, ele recebeu as leis de Deus que são os 10 MANDAMENTOS. Mais tarde, veio Jesus para falar dos 10 MANDAMENTOS através do exemplo. E numa situação dessas, talvez ele dissesse a estes que se acham donos da verdade e da moral ilibada: “QUE TE IMPORTAS OS OUTROS? SEGUE-ME TU.” 
Finalizemos com uma frase de autoria desconhecida: NÃO USE DEUS PARA JUSTIFICAR SEU PRECONCEITO.

Rudymara

Exibições: 2123

Responder esta

Respostas a este tópico

A lei de Deus é, muito clara! Mas, acima de tudo deve haver o respeito! Assim como dizes cada um tem o livre arbítrio. No entanto deverá ser respeitado bem como deve pela mesma forma respeitar! Existe hoje as exigências, em que se deve respeitar as pessoas assim como elas são! Mas tais pessoas não atribuem assim como deveriam. Cada ser humano teria que cumprir com as exigências da lei de Deus! Nas quais são justamente os que mais exigem o cumprimento das leis, mas, não se submetem em seguir. Tanto que, tais sujestoes, se vêem com as pessoas que se julgam serem de algum conceito! Pois, quem é normal não pregam direito algum com o conhecimento de seu devido critério. Que é acima de tudo! Amar o próximo como a si mesmo! Estando dentro destes ideais, seja como for! Está de acordo com as exigências das lei Divina!

Há que se considerar não ser Deus uma individualidade. A Potestade Divina não tem atributos humanos e nem se expressa por julgamentos pessoais, como os homens. Seu centro de atividade está em toda parte e, ao mesmo tempo, em parte alguma, pois é espírito e transcende à toda matéria.

É onisciente, onipotente e onipresente. E não pode ser visto, nem ouvido e nem sentido pelo olfato. Pode ser percebido por todo ser humano que se colocar em condição de percebê-lo. Chamemo-la de Deus ou Grande Arcano, qualquer que seja o nome que se Lhe dê, saibamos que não condena e nem castiga ninguém. Também não outorga privilégios ou recompensa. Em Sua Lei, que é Ela Mesma, só o mérito derivado do trabalho construtivo tem relevância.

A natureza é a expressão de Sua vontade em marcha e Sua Lei é Evolução, dando a cada um segundo as suas obras. O desvio de Sua vontade gera a reação de baixa frequência que chamamos de carma negativo, que é percebida como dor e sofrimento pela consciência humana.

Todas as encarnações do Espírito são solidárias, ligadas entre si no encadeamento lógico de causas e efeitos, não existindo na Lei Divina artigos ou parágrafos que configurem exceção.   

Por contrariar a lei magnética de atração entre os sexos opostos, que visa à fecundação e constituição da família biologicamente formada para a consecução do processo civilizatório, a homossexualidade é uma ação antinatural, manifestando-se como um desvio da Lei Moral suscitado algures no passado ou na vida presente com mau uso do livre arbítrio.

Fisiológica e psiquicamente, a ação consubstancia influências que atuam na cadeia cromossômica, levando à alteração do funcionamento normal dos centros psíquicos e hormonais do indivíduo através de idiossincrasias próprias.

Deve ser dito que a questão 202 de 'O Livro dos Espíritos', que aborda a escolha de sexo pelos Espíritos antes de encarnar, precisa ser desenvolvida. Realmente, não importa ao Espírito se tiver de encarnar como homem ou como mulher, mas sim as provas a que terá de se submeter para conseguir sua evolução.

A investigação psíquica indica que a troca de sexo não deve ser feita sem qualquer preparação. Especialmente quando o Espírito porta uma elevada carga energética de masculinidade ou feminilidade, quando, então, haverá o risco do aparecimento de distúrbios na fisiologia anímica da reencarnação. O equívoco não anulará a reação da Lei.

Sendo possível, é um dever auxiliar os que desejam sinceramente vencer a dificil prova que se impuseram para se reequilibrarem. Mas, nunca, sob qualquer pretexto, incentivar tal dissonância.

É surreal considerar-se a homossexualidade como uma experiência evolutiva e não como uma inversão da lei moral.

/ 0 \

José, sob minha apreciação, seus conceitos são justos. O Bem e o Mal são conceitos antípodas, que não se podem agrupar na mesma corrente. Amar o próximo como a si mesmo não é amar o próximo como se ele fosse nós mesmos. É, precisamente, não retribuir o mal com o mal, assim como fazer o bem sem olhar a quem.

As palavras são símbolos. Não se pode amar um inimigo como se ele fosse um amigo, pois a Lei impõe que o amor deve ser pago com amor, mas o ódio não deve ser retribuído. Taxionomicamente, o "como" na frase não é uma conjunção, mas uma preposição, e pode ser substituído por "e".

Asssim, amar a Deus sobre tudo, ao próximo "e" a si mesmo é a lei básica. E amar a si mesmo não é praticar narcisismo, mas, não praticar abusos de quaisquer ordens que prejudiquem a saúde física, moral, mental e espiritual.

Um abraço.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!