Como atua o Ego através dos 5 centros

\

Este texto tenta dar uma ideia ao leitor, que se identificou com o ensinamento passado neste site e que queira colocar em prática, sobre a atuação do ego nos 5 centros da máquina humana.

No exto sobre a Morte do Ego, vimos sobre a atuação do Ego nos 5 centros, mas não foi pormenorizado de que maneira cada uma das legiões atuam nesses centros, isso é o que vamos ver a seguir.


OBS: A quantidade detalhes por Legião é imensa. Só podemos detectá-los com a recordação de si e auto-observação psicológica. Este texto apenas passa uma ideia, com exemplos, para nos guiarmos no trabalho, pois existem milhares e milhares de detalhes, ou eus psicológicos. Como foi dito no texto sobre a Morte do Ego, devemos aplicar a Morte em Marcha, imediatamente, após qualquer detalhe percebido, para que a atuação do Eu especificado, não passe para outros centros e não robusteça mais o nosso Ego.

Observação sobre o Centro Intelectual: Tudo o que falamos vem do centro intelectual em forma de pensamentos e deve passar pelo crivo da consciência antes de ser pronunciado. Isso acontece em frações de segundos e se aplica a todas legiões. Quando permitimos que qualquer falatório mental passe do Centro Intelectual, ele se manifestará por meio do Centro Motor em forma de Fala normal, gritarias, sussurros, digitação etc.

Legião da Luxúria:

1) Centro Motor: Direcionar o olhar para o sexo oposto nas ruas, ambientes públicos etc. Mover-se em direção ao sexo oposto para travar contato. Estender as mãos para apalpar partes íntimas de desconhecidas em ambientes públicos. Danças eróticas, gestos obscenos, exclamação de palavras luxuriosas, de baixo calão. Contar piadas de obscenas ou de duplo sentido. Conversas luxuriosas (pela internet ou telefone). Postar fotos com roupas curtas e decotes em redes sociais. Franzir o cenho, gestos com a boca, morder lábios. Exibições de partes íntimas pela internet. Masturbação etc., etc., etc.

2) Centro Intelectual: Pensar na pessoa desejada, imaginar-se travando contato com a pessoa (homem ou mulher) cobiçado (a). Imaginar-se beijando ou transando com a pessoa desejada. Traçar/projetar planos de abordagem em mulheres específicas (ou homens). Fantasias sexuais com a pessoa desejada. (Obs: Geralmente, esses tipos de atuações da luxúria no centro intelectual, mesclam-se, quase que imediatamente, com as atuações da luxúria no centro sexual, ou seja, são sentidas quase ao mesmo tempo). Outros exemplos: exclamar mentalmente "Nossa, que homem/mulher bonito(a)", ou palavras de baixo calão, luxuriosas etc, etc, etc.

3) Centro Sexual: Ereções, excitações (de leves a intensas), impulso de ejaculação.

4) Centro Instintivo: Tremor das pernas, braços e mãos. Arrepios, sudorese, taquicardia. Movimentos peristálticos, enjoo, vômito, diarreia.

5) Centro Emocional: Emoções/sentimentos, relacionadas com romantismo, paixão e que são confundidas com amor. Tais emoções são estimuladas pelas atuais músicas românticas e passionais, seriados, filmes e novelas.

OBS: Geralmente, o segredo para a vitória contra a legião da Luxúria (na verdade contra todas as legiões) está no controle da mente, ou seja, pormos atenção especial/primordial ao centro intelectual: Os detalhes luxuriosos do centro intelectual, se não barrados pela consciência (através da Morte em Marcha) passa para outros centros e nos causam maiores estragos e adormecimento da consciência.

OBS2: Algumas ações realizadas através do Centro Motor podem ou não ser manifestações da Luxúria. A carícia luxuriosa difere da carícia pura (que vem da essência). Exemplo: Dentro de um casamento, quando um homem elimina, através da Morte em Marcha, certos eus luxuriosos, também muda a maneira de expressar-se com sua esposa e vice versa. Logo, ao dar carinho, quem o fará será a nossa essência e não o ego luxurioso. Em outras palavras, foi extraída uma virtude oposta deste defeito luxurioso.

OBS3: A Luxúria sentida no centro sexual corresponde a um hipertrofiamento das manifestações instintivas naturais deste centro. Ou seja, na prática do Arcano AZF, o órgão sexual pode trabalhar naturalmente apenas pelo instinto, sem necessitar, assim, de pensamentos luxuriosos para auxiliar nesse processo, bastando as carícias naturais, beijos, abraços, corpo a corpo etc. Se um homem (ou uma mulher) necessita de estímulos pornográficos para ter ereções ou excitações (naturais), significa que viciou-se no prazer mental luxurioso, devendo, assim, resolver essa anormalidade com a Morte do Ego.

Legião da Ira:

1) Centro Emocional: O Eu da Ira pode atuar no centro emocional com o sentimento de Ira, que pode variar de leve a intenso.

2) Centro Intelectual: O Eu da Ira pode atuar no nosso centro intelectual falando as seguintes coisas por pensamento: "Quem essa pessoa pensa que é?","Não posso deixar isso barato", "Você me paga"... etc, etc, etc. "Aqui se faz, aqui se paga". Ou até mesmo palavras de baixo calão, xingamentos etc. Nas situações cotidianas, nos ginásios psicológicos, se colocarmos atenção especial à mente, notaremos o palavreado desagradável que está surgindo do Eu da Ira e poderemos aplicar a Morte em Marcha. O Eu da Ira também pode projetar cenas de agressões físicas ou até assassinatos na tela da nossa mente, por meio deste centro. Julgar outras pessoas.

3) Centro Instintivo: Aceleração dos batimentos cardíacos, sudorese, respiração acelerada., tremor de pernas e braços.

4) Centro Motor: Falar/gritar/digitar palavras ferinas. Sarcasmos, ironias. Agressões físicas: Empurrões, esbarrões, tapas, socos, chutes, apertões, beliscões. Movimentos bruscos, exemplos: Quebrar objetos, atirá-los contra a parede (ou contra alguém), andar mais rápido, bater a porta (do carro ou de casa) com força, pisar mais fundo no acelerador do carro etc., etc., etc. Julgar outras pessoas por meio da fala ou escrita. Franzir o cenho, gestos com a boca, morder lábios, contrair mandíbula.

5) Centro Sexual: As mesmas da Legião da Luxúria.

Legião da Cobiça:

1) Centro Emocional: Emoções/sentimentos correspondentes com a conquista ou perda de algo.

2) Centro Intelectual: Pensamentos: projeções relacionadas a quaisquer objetos ou conquistas que desejemos intensamente. Lembranças relacionadas a ganhos de dinheiro/poder/objetos de desejo (joias, mulheres, carros). Traçar planos para conquistas (materiais, ou sexo oposto etc). Projeções (filmes) mentais relacionados com quaisquer tipos de objetos cobiçados: Carro cobiçado, mulher cobiçada, casa cobiçada, emprego cobiçado etc., etc., etc.

3) Centro Instintivo: Aceleração dos batimentos cardíacos, sudorese, respiração acelerada., tremor de pernas e braços.

4) Centro Motor: Direcionar o olhar para o objeto de desejo. Falar/gritar palavras ferinas. Eu do roubo: Pegar objetos que não são nossos, mesmo que não saibamos quem é o dono (Isso é válido para qualquer coisa, até mesmo para uma moeda de 5 centavos). O Eu do roubo corresponde à Legião da Cobiça. Quaisquer outros movimentos que se relacionem a conquistas.

5) Centro Sexual: As mesmas da Legião da Luxúria. Os Eus de prostituição correspondem à Legião da Cobiça e da Luxúria. Isso é válido tanto para a prostituição assumida (dinheiro) quanto para a prostituição velada: Interesses nos prazeres sensuais, beleza física, ou nos confortos que a companhia da pessoa irá proporcionar: Dinheiro, luxo, bons hotéis, carros de última geração, admiração (inveja) das outras pessoas, joias, etc., etc., etc.

OBS: A Legião da Cobiça está intimamente relacionada com as Legiões da Inveja, Orgulho e Luxúria.

Legião do Orgulho:

1) Centro Emocional: Emoções/sentimentos correspondentes com o Orgulho: Sentir-se superior ou inferior a alguém ou a todos. Sentir-se melhor ou pior em alguma atividade qualquer. Sentir-se ferido por algum comentário ofensivo (intencional ou não). Sentir-se o centro das atenções.

2) Centro Intelectual: Pensamentos relacionados a superar outras pessoas, para se sentir superior a outros. Tagarelice mental relacionada ao orgulho, julgar outras pessoas por achar que só elas fazem coisas erradas. Achar que não precisa da ajuda de ninguém. Falar palavras difíceis para pessoas intelectualmente menos instruídas etc.

3) Centro Instintivo: Aceleração dos batimentos cardíacos, sudorese, respiração acelerada, tremor de pernas e braços.

4) Centro Motor: Pode estar relacionado à Legião da Ira. Agressões físicas, movimentos bruscos, falar/gritar/escrever palavras ferinas, ainda que se disfarcem. Sarcasmos, ironias. Julgar outras pessoas. Postar fotos em redes sociais só para receber elogios/curtidas e se sentir melhor do que outras pessoas. Mostrar fotos com roupas curtas e decotes em redes sociais, para invejar outras mulheres. Andar/movimentar-se de determinadas maneiras.

5) Centro Sexual: As mesmas da Legião da Luxúria: Nos casos em que a atração sexual por outra pessoa é ativada, dentre outras coisas, apenas por orgulho, ou seja, para provar para si de que é capaz de se conquistar uma pessoa X ou Y.

OBS: Os Eus de Orgulho Místico, Fanatismo, Mitomania e Bruxaria são manifestações da Legião do Orgulho e serão explicados melhor em textos posteriores, tendo apenas noções básicas nesse texto.

Eus de Orgulho Místico: Crer-se mais elevado espiritualmente do que os outros. Crer-se mais santo, mais puro, mais espiritualizado etc. Adulterar a doutrina. (Não se adultera apenas sexualmente, mas também se adultera com o corpo de doutrina) Exemplos de adulterações da doutrina: Ensinar práticas nunca ensinadas ou nunca aprovadas pelos V.M.s Samael e Rabolú, ensinar preceitos/princípios nunca ensinados pelos Veneráveis Mestres da Gnosis, mas em nome D'Eles. Os Eus de Orgulho Místico podem relacionar-se ou não com os Eus de Mitomania.

Eus de Fanatismo: O Fanatismo pode atuar em vários campos. Basicamente é o gostar/falar excessivamente/exageradamente de algo. Exemplos: Seriados de TV, novelas, desenhos animados, jogos de futebol, lutas de MMA, religião, Gnosis (até mesmo a Gnosis), política etc. Ser fã de um personagem específico de desenho, filme, novela, seriado etc.

Eus de Mitomania: Crer-se Cristificado (que encarnou o Cristo), sem sê-lo de fato. Crer-se autorrealizado, sem sê-lo de fato. Acreditar que já se encarnou o Íntimo (Atman ou Mestre Interior), sem tê-lo de fato. Crer que não necessita do trabalho sobre si mesmo para desenvolver-se espiritualmente. Acreditar que se é um personagem importante, sem sê-lo. Exemplos: Acreditar que se é reencarnação de Moisés, de Jesus, de Buda, etc, etc. Basicamente é acreditar numa mentira. Quem sofre de mitomania está sofrendo de delírios mentais e doenças psicológicas. Os mitômanos também podem cair no grave erro de adulterar a doutrina e pagar alto Karma por isso.

Eus de Bruxaria: Tentar convencer as pessoas forçadamente. Tentar persuadir as pessoas sobre algo, ou até mesmo sobre Gnosis. Fazer feitiços para prejudicar (matar, deixar doente etc) outras pessoas. Fazer feitiços para prender a pessoa "amada". Fazer feitiços para terminar relacionamentos. Basicamente é a violação do livre-arbítrio alheio. A gama de ações é extensa.


Legião da Preguiça:

1) Centro Emocional: Sensação de desânimo. Vontade de não fazer nada, ficar só deitado, etc. Má vontade para ajudar aos outros, ou para realizar práticas.

2) Centro Intelectual: Pensamentos relacionados a não fazer nada. Pessimismos, desculpas para não realizar as tarefas e buscar os objetivos (espirituais ou materiais). Exemplos: Falta de vontade para fazer as práticas (concentração, meditação, desdobramento astral). Pensar coisas como: "Não vou conseguir, isso é muito difícil" ou "Estou fazendo corpo mole porque esse emprego é chato".

3) Centro Instintivo: Batimentos cardíacos lentos. Letargia corporal, torpor que pode ser confundido com cansaço ou sono.

4) Centro Motor: Lentidão nos movimentos, andar arrastando os pés.

5) Centro Sexual: Não se aplica.


Legião da Gula:

1) Centro Emocional: Não se aplica.

2) Centro Intelectual: Pensar em comidas, sobremesas, banquetes. Lembrar-se de pratos saborosos que foram degustados.

3) Centro Instintivo: Salivação em excesso, tremores, movimentos peristálticos, contrações, tremores, dores de cabeça.

4) Centro Motor: Comer em demasia e quaisquer outros movimentos que impelem a satisfação da gula. Beber em demasia (água ou quaisquer outros líquidos).

5) Centro Sexual: Não se aplica.

OBS: Quando pensamos em comida, o centro instintivo atua quase que imediatamente. Se pensamos em comida é a Gula atuando através do Centro Intelectual. Aplicamos a Morte em Marcha aí para que não passe a outros centros.

OBS2: Bebidas alcoólicas e outras drogas são alimentos da Gula.


Legião da Inveja:

1) Centro Emocional: Sentimento negativo quando outra pessoa obtém uma realização ou alcança algum objetivo.

2) Centro Intelectual: Tagarelice mental maldizendo ou criticando outras pessoas. Felicitações/parabenizações falsas. Achar que todas as pessoas invejam suas coisas/conquistas. Cobiçar para si conquistas de outras pessoas. Desejar a(o) mulher/homem do próximo(a): Inveja, Cobiça e Luxúria. Comparar pertences próprios (emprego, salário, capacidades, inteligência, objetos pessoais, forma física, beleza física etc) com o do próximo.

3) Centro Instintivo: Podem ser as mesmas do Orgulho ou da Ira.

4) Centro Motor: Sarcasmos, ironias. Postar fotos bonitas em redes sociais só para receber elogios/curtidas e se sentir melhor do que outras pessoas. Postar fotos com roupas curtas e decotes em redes sociais, para invejar outras mulheres. Buscar determinadas realizações ou objetivos só porque outras pessoas as conseguiram.

5) Centro Sexual: As mesmas da Legião da Luxúria.
 ​
Medo e Ansiedade

O Medo atua mais fortemente no Centro Instintivo hipertrofiando/intensificando suas manifestações. O Centro Instintivo atua em nosso organismo quando precisamos fugir de situações de perigo. Suponhamos que você esteja numa floresta e se depare com uma onça faminta 5 metros a sua frente. O seu sistema circulatório intensificará, mandando mais sangue (e mais oxigênio) para todas as células do seu corpo, para que você tenha condições de correr mais rápido e escapar. Seus músculos se contrairão. Sua respiração ficará acelerada e você suará mais para resfriar o seu organismo que já estará trabalhando a todo vapor para ajudar a você escapar. Nesse exemplo, o medo atua com uma situação real, o seu organismo te ajuda a preservar a sua vida. Entretanto, o medo correlaciona-se com todas as Legiões e há uma vasta gama de agregados psíquicos do medo.

No fundo, sentimos medo da Morte porque desconhecemos o que existe depois da morte. Tememos perder os prazeres do mundo sensorial, tais prazeres incluem: alimentos saborosos, sexo, vaidades etc. Um simples pensamento de medo pode desencadear reações nos diferentes centros, ou seja, nesse caso, encaramos o pensamento como uma ameaça real, o que equivale a uma enganação do Ego. Nosso corpo interpreta que devemos fugir daquela situação de perigo, mas não há perigo nenhum. Quem vê esse pensamento como sendo ameaçador é o Ego.

Sentimos medo de sofrermos lesões fisicas. Sentimos medo de sermos ridicularizados, humilhados, hostilizados, dentre uma série de coisas. Com a auto-observação podemos detectar todas essas atuações e aplicarmos a Morte em Marcha em cada uma delas.

Quando sentimos medo de sermos ridicularizados pode ser por Inveja ou por Orgulho. Tememos que a nossa visão ou reputação fique comprometida ante os demais. Se sentimos medo de sermos humilhados é porque tememos que nos achem inferior a alguém ou incapazes de algo. Logo, o medo atuará com todas reações instintivas em nós, como se estivéssemos diante de uma onça faminta no meio da floresta. Trata-se de uma enganação da nossa mente, pois o perigo não está fora de nós e sim dentro de nós. Isso não significa que não devamos estar alertas aos perigos do campo ou da cidade grande, afinal, temos o direito legítimo de proteger nossa integridade física. Mas sim deixar de ver perigo diante de coisas que não oferecem perigo na verdade.

O Eu do medo pode atuar também, em um homem quando se aproxima de uma mulher bonita para conversar, pois teme ouvir um "não" dela ou ser rejeitado. Assim, seu centro instintivo atuará de todas maneiras, deixando-o ansioso e medroso, ainda que a mulher não esboce a mínima reação arrogante ou esnobe.

Outro exemplo: O medo da pobreza nada mais é do que o medo de perder todos confortos materiais e passar fome.

Outro exemplo: Os ciúmes passionais são Eus do medo, ligado ao orgulho, luxúria e inveja. É o medo da perda do esposo ou esposa, ou medo de ser traído(a), porque se perderá o objeto de prazer sexual por imaginar que será rebaixado perante outras pessoas. Eu da Inveja: Ter medo de perder o cônjuge porque necessita-se ter ele para fazer inveja às outras pessoas e mostrar que não se está só.

Outro exemplo: Suponhamos que você seja um estudante universitário e vai apresentar um seminário. Você sobe ao palco, vê a plateia de alunos de outros cursos além do seu, professores, coordenadores etc. Seu ritmo respiratório aumenta e sua frequência cardíaca aumentam. Suas pernas começam a tremer e você sente um embrulho no estômago. Você gagueja e de repente... perde a fala! Todos começam a murmurar e alguns dão risada de você. Você fica nervoso e chora de aflição. Reflitamos: Onde está o perigo real? Que danos podem fazer uma plateia? Porque todas essas reações instintivas acontecem com você? Não vai precisar defender sua vida, não irá lutar contra um animal ou monstro sanguinolento, portanto, onde está o perigo? Está no Ego. O Ego se sente ameaçado. Na verdade, o Ego distorce sua percepção de realidade e faz você se sentir rebaixado (ou humilhado, ou inferiorizado etc) pelas outras pessoas.

A solução, portanto, para erradicar os Eus do Medo e Ansiedade, assim como todos os outros defeitos, é a prática da Auto-observação Psicológica e Morte em Marcha em todos os centros. Existem outros exercícios que nos ajudam a compreender o caráter ilusório desses eventos, como a Transformação das Impressões (dualidade) e Não-identificação com as coisas da vida diária. Existem outros defeitos que são mais fortes que necessitam de um trabalho de análise e compreensão mais aprofundado, para podermos então, suplicarmos/orarmos pela Morte deste defeito à Mãe Divina. Esses outros aspectos serão explicados melhor em textos posteriores.


Ampliação sobre a Legião da Ira (04/03/2017)

O Eu da Ira aflora, basicamente, quando nos frustramos, ou seja, quando algo não sai do jeito que queremos. A Ira pode estar relacionada com a Luxúria, Cobiça, Inveja, Gula, Preguiça e o Orgulho. Segue alguns exemplos para nos ajudar a compreender o Eu da Ira em nossas vidas. Tais exemplos correspondem aos detalhes do Eu da Ira que afloram por um ou mais centros da máquina:

Luxúria: A Ira pode nos aflorar quando o conjugue (esposo ou esposa) não está no momento amoroso apropriado para a prática da Magia Sexual. A Ira pode nos aflorar quando uma pessoa do sexo oposto não corresponde aos nossos desejos/sentimentos/investidas por ela (no caso dos solteiros). A Ira pode nos aflorar quando somos rejeitados sexualmente. A Ira pode nos aflorar quando desmarcam conosco um encontro amoroso/romântico (no caso dos solteiros). Logo, o cerne dessa Ira atuante é um Eu Luxurioso que, basicamente, deseja sentir os prazeres sensoriais do corpo do conjugue (beijos, abraços, toques, carinhos etc).

Cobiça: A Ira pode nos aflorar quando necessitamos gastar muito dinheiro contra nossa vontade, ou quando pessoas nos dão calote etc. Nesses casos, isso ocorre porque estamos apegados ao dinheiro, porque sentimos medo da pobreza, dentre outras coisas.

Inveja: A Ira pode nos aflorar quando alguém nos relata (ou ficamos sabendo) quaisquer tipos de conquistas, então, por conta disso, nos sentimos inferiores e a Ira aflora.

Gula: A Ira pode nos aflorar por não termos o prato disponível à mesa naquele momento, ou por terem desmarcado um encontro para saborearem um saboroso sorvete ou rodízio de pizza. Nesse caso, o motivo da Ira é um Eu da Gula que deseja sentir os prazeres sensoriais gustativos, o sabor, a textura da pizza/sorvete ou quaisquer outros pratos saborosos.

Preguiça: A Ira pode nos aflorar quando nos são solicitados serviços/favores em momentos que desejamos ficar parados, quietos. Nesse caso é um Eu da má vontade.

Orgulho: A Ira pode nos aflorar quando alguém nos fere/humilha com palavras ou ações. Ou também quando somos enganados/traídos. Ou quando nos sentimos inferiorizados por terem nos denunciado um defeito nosso. Nesse caso é um Eu do Orgulho (Amor próprio) que se sente ferido.

Dissolvendo-se tais detalhes acima, os problemas acabam, porque não teremos motivo de frustração: Não nos frustraremos por algo que não desejamos ou sentimos. Só nos frustramos porque nossa consciência está sujeita a tais condicionamentos.

A gama é muito mais extensa e deve ser detectada com a auto-observação.


Forças para todos!



Exibições: 27

Responder esta

© 2019   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!