Casal desencarna com diferença de 30 minutos Será destino? ??? Vamos refletir!!! Nyl

Casados há 65 anos, idosos morrem com minutos de diferença em Porto Alegre

 

Diva, de 80 anos, segurou a mão do marido, Italvino, em seus últimos momentos. Meia hora depois, ela faleceu

RIO - Depois de viverem juntos por 65 anos, Italvino e Diva também se despediram da vida juntos. Os dois idosos que moravam em Porto Alegre faleceram na última sexta-feira com 30 minutos de diferença. A mulher segurou a mão do marido até os últimos instantes.

Italvino Possa, que tinha 89 anos, lutava contra uma leucemia desde agosto de 2013. Já Diva, de 80, descobriu em abril um tumor agressivo na bexiga, que a fez viver seus últimos dias internada no Hospital São Lucas, em Porto Alegre. Italvino, além de visitar a esposa, ia ao centro médico toda semana para receber transfusão de plaquetas.

Já se sentindo fraca, dois dias antes de falecer, Diva pediu que a família — marido, 10 filhos, 14 netos e seis bisnetos — fosse ao hospital visitá-la, para uma despedida discreta. Na madrugada seguinte, Italvino teve uma hemorragia e precisou ser internado. Enquanto isso, Diva também piorava, com falência hepática.

Sensibilizada com o amor dos idosos, uma enfermeira colocou os dois no mesmo quarto e juntou as duas camas. Italvino e Diva deram as mãos na mesma hora. O gaúcho não resistiu por muito tempo e morreu em poucos instantes. A mulher faleceu 30 minutos depois.

A história de amor dos idosos que já havia tocado os funcionários do hospital, que acompanharam a evolução dos quadros clínicos de perto, está comovendo toda a cidade graças ao obituário que os familiares enviaram ao jornal “Zero Horal”.

— Narramos o que aconteceu no e-mail que enviamos para o obituário e, para nossa surpresa, começamos a receber recados de muitas pessoas emocionadas com a história — comenta Rafael de Freitas, estudante de direito e um dos netos do casal.

O rapaz de 25 anos conta que os avós eram um exemplo de carinho e companheirismo para toda a família.

— Eles estavam sempre juntos e se apoiavam o tempo todo, principalmente nos momentos difíceis — lembra Rafael.

Autor: O Globo

Fonte: O Globo

Exibições: 664

Responder esta

Respostas a este tópico

Com certeza Nilza, eles viveram uma linda história de vida, com muito amor!!! Muito emocionante essa história...

Beijos com carinho

boa noite Nilza é uma linda e verdadeira historia creio sim que isso exista pois com meus pais não foram assim no mesmo dia e horas , mais foi pouco tempo que perdi meu pai naquele dia mesmo a vida de minha mãe se acabou o tempo que viveu praticamente vejetou e logo tambem veio a desencarnar !

amor sem fonteira

Uma benção pois desencarnaram juntos, imagina um ficando e sofrendo com a ausência do outro.  Eles reencarnaram aqui com o grande amor um pelo o outro e retornaram juntos. Cumpriram o determinado e vão aguardar na espiritualidade a oportunidade de uma nova reencarnação. Lindo...lindo!!

emocionante, o amor supera tudo!

Cara irmã Nilza Garcia, as interrogações sobre o "casal que desencarnou quase ao mesmo tempo", depois de uma vivência de 65 anos casados, fazendo um execício primário de meditação sobre o alcance do olhar divino, tenho para mim que Deus, estando além do infinito vê tudo detalhadamente. Agora, não se cometa o raciocínio primário de pensar que Deus, a cada mínima ação individual profere um decreto de pena ou recompensa. Não. O que há é que as leis morais, implantadas na consciência de todos os Espíritos, submetem, regem e respondem, respectivamente, pelo ativo e passivo morais de cada um de  nós, segundo cada uma das nossas ações. E as leis morais são de toda a eternidade, perfeitas, justíssimas, inalteráveis - para todos. Aplicadas em todo o universo. Abraços...

   boa   noite   Nilza    que   belo   e  lindo   o   respeito   de   ambos   o   amor   e   carinho   muito   obrigada   por   partilhar   paz   de  Jesus   a   todos

 "A cada um segundo as suas obras".

PAZ E LUZ.

Nyl

Não, não é destino. Encarnação programada. O bom carma permitiu. No futuro, quando os seres humanos aproximarem-se mais da meta prevista para a atual cadeia planetária, este tipo de, digamos, de 'acordo' tornar-se-á mais comum entre os casais afins, que deixarão quase simultaneamente a vida terrena em transporte de grande alegria na direção das regiões superiores do plano astral, onde permanecerão irmanados por grande júbilo.

Tendo vivido em harmonia e construído um relacionamento espiritual simbiótico durante toda a vida, não sofrerão a dor do carma da separação e da saudade, como ainda acontece com muitos casais que se gostam, mas cujos carmas divergentes não possibilitam o planejamento de uma transição conjungada para após o cumprimento do dever.     

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!