A mediundade é um dom Divino, não escolhe raça, cor, credo ou posição social. Porém pergunto: "É necessário ter atitudes morais elevadas para desenvolver a mediunidade ?" O que acontece com pessoas dissimuladas que tem esse dom ? 

Tags: A, E, MEDIUNIDADE, MORAL

Exibições: 262

Responder esta

Respostas a este tópico

Oi Alexandre.... vou começar com o meu pitaco : a mediunidade é um dom ?????

Sua pergunta :  "É necessário ter atitudes morais elevadas para desenvolver a mediunidade ?"


E se pensarmos assim: Na medida que educamos a nossa moral ....melhor se dará a realidade mediúnica.


Outra pergunta:  "O que acontece com pessoas dissimuladas que tem esse dom ? "

Dissimuladas serão as práticas e viverão em profunda ilusão, pois ao lado das intenções torpes estarão também aqueles que comungam de tais ideais. Triste :-( 


E como se proteger dos dissimuladores ????

Com o  coração puro. Difícil né ?!!!

Mas tem um exercício pra isso: se percebermos em nós as nossas reais intenções para com o servir....saberemos onde estamos plugados.


Agora deixo uma questão pra você : e o que dizer das pessoas que estão "presas" no resgate pela loucura e que possuem mediunidade ostensiva ?


Te aguardo e abraços!!!!


  kkkkkkkkkkkk. Seus pitacos são sempre benvindos. Claro que a questão é provocativa, senão não chamaria a atenção das pessoas. As suas repostas também são instigantes e nos tras o desafio do raciocínio (e isso é muito legal).

   Eu não me referir à "dom" como uma palavra mistificadora ou pejorativa, mas tão somente à habilidade natural apresentada por algumas pessoas desde criança. Na verdade me lembrava do filme "Chico Xavier" nas cenas dele criança conversando com sua mãe já desencarnada.

   Entendo que a mediunidade é uma habilidade que pode ser desenvolvida, mas será que a educação moral não atrai espíritos iluminados cujo interesses sejam afins, melhorando assim a qualidade do auxílio mediúnico prestado?

   Quanto a mediunidade ostensiva em irmãos em missão de resgate pessoal acredito que seja um "intensificador de resgate". Nada fácil, sei. O alento para a situação é que "Deus não nos dá fardos mais pesados do que possamos carregar", mesmo que para isso há necessidade da ajuda de outros.

  

Hummmmmmmmmmmmmm tô gostando...vou continuar.....

O que se desenvolve é a moral ou a habilidade mediúnica?

Sabe o Charles Chaplin no filme Tempos Modernos.....com suas atividades mecanizadas pela rotina????

Podemos ficar assim também com a mediunidade.....num eterno condicionamento mental.

As habilidades sem o discernimento da consciência, atrofiam. E a gente só expande a consciência pela escola da moral e da ética.

Assim penso euzinha...!!!!!

Noite amigo e bom fim de semana!

Abraços!

Infelizmente essas pessoas que perdem o caráter, São absorvidas por obsessores temos que ajuda las. Perdoar pq não sabem o que é a verdadeira mediunidade e assim a pura caridade.

Alexandre:

A mediunidade como dom, habilidade ou qualquer outra denominação mais apropriada, depende do conhecimento sobre ela através do estudo e da prática (como ser bons médiuns se não exercermos a mediunidade?). Quanto as qualidades morais, serão elas que definirão não só médium como a qualidade das comunicações. A mediunidade, como a inteligência, a habilidade manual,etc, é neutra, a intensão e a atitude do médium é que farão a diferença pela afinidade maior ou menor que terá com espíritos superiores.

Toda habilidade nos é dada para o bem, bem usá-las depende só do nosso livre arbítrio.

Abraços

Obrigado Raymundo, achei interessante a sua definição de atitude e neutralidade, realmente faz sentido.

   Marta, conheço uma pessoa médium que demonstra algumas vezes atitudes impróprias no dia a dia, como xingamentos, nervosismo em excesso, calotes financeiros, e  me pergunto: que qualidade de auxílio pode dar uma médium assim ? Que nível de espíritos se aproximam dessa pessoa no momento dos trabalhos de auxílio?

   Quero concluir com esse exemplo que acredito que a qualidade das comunicações ficam bastante comprometidas, logo o efeito do trabalho também. Concordo com o amigo Raymundo Santos quando ele fala que a mediunidade é neutra, mas a intensão e a atitude são ativas. Eu acho que a consciência se desenvolve na escola da moral e dos bons costumes, e a mediunidade em outra paralela. Penso que para se desenvolver a contento a mediunidade precisamos de estudos e bons mentores. Mas como nos aproximar deles ( ou eles de nós ) sem que tenhamos atitudes morais sólidas (ou a caminho disso)?

   Nós, Seres Humanos, temos a tendência a padronizar e eternizar os movimentos, conceitos e atitudes no dia a dia (time que está ganhando não se mexe, achei a fórmula do sucesso - no popular: preguiça mesmo) . Imagino que na mediunidade isso aconteça também.

Concordo Jefferson.

É amigo Alexandre, esta questão da médium citada, é muito comum nos meios do espiritismo e do mundo holístico. Infelizmente. Esse mundo "mágico e fascinante"....atrai os homens desde antes dos egípcios.Tem gente que escreve até livro....e isso tá dando pano pra manga atualmente. Queremos manipular as energias, conversar com os mundos, sermos sacerdotes.... sem nos responsabilizarmos pelos nossos atos. E  responsabilidade é ética, ação atrelada á maturidade consciencial. 

Por isso eu te fiz a pergunta se a mediunidade é um dom. Se partirmos do princípio de que a mediunidade não  é um "dom", que  é parte dos corpos dos terrícolas e independe da moral, podemos pensar que ela não é "algo que nos alimenta" mas "nós é que alimentamos ela". Todos possuem a mediunidade em diversos graus de  ação. Só que a qualidade desta, depende diretamente da moral e da ética e da estruturação das habilidades do médium. É esse o grande lance da questão. Então o "desenvolvimento" é pra ser feito de dentro pra fora, pois quanto mais fino for o véu....melhor será a qualidade da visão entre os mundos (de dentro, de fora e entre dimensões). Afinar o véu é educar-se. E também de fora pra dentro.....que são as habilidades    (com estudos , conhecimento e práticas). 

Agora quais são os níveis da mediunidade ????? Não tenho a menor ideia.....rsrsrsrsrsrsrs!

Já tive a oportunidade de trabalhar com uma pessoa (médium), que de livros só conhecia um: o evangelho. Essa mulher foi e é um grande exemplo em minha vida. Senhora católica, ligada as crenças religiosas de sua infância, era (pois atualmente já é bem idosa e não frequenta mais as atividades de rotina mediúnica)  uma excelente médium e com manifestações ostensivas. Tinha uma amorosidade gigante. Em sua vida pessoal serviu (e ainda faz isso) em hospitais, asilos e orfanatos (me ensinou muito nesses lugares). Ela adotou e educou muitos filhos (já perdi a conta...rsrsrsrsrsrs). Em sua manifestação mediúnica, sempre tinha uma palavra doce e  reconfortante. Não teve contato com grandes estudos, mas tinha uma conduta moral que dava exemplo para grandes doutores.Essa conquista moral se revelava em suas atividades medianímicas.

Também conheço outros médiuns, que precisam estudar MUITOOOOOO para alcançar o nível de despertamento (de si mesmo), para entrar em sintonia ao convite do próprio mentor.

Acho que para cada médium (indivíduo) existe um convite. O que você acha?????

Também concordo com o Raymundo, a mediunidade é neutra.

Agora, fisicamente falando, quem é que alimenta o seu corpo ???? É você mesmo. Com a qualidade que você dá a vida ao seu corpo, ele responderá a você. Penso que com a mediunidade é assim também. 

Quanto ao trabalho da médium citada, alguém já conversou com ela ?  Seria solidário aconchegar a colega, não para apontar os erros, mas para um crescimento em conjunto : a difícil tarefa de educar-se para educar . 

O trabalho coletivo é um dos mais difíceis de se fazer.

Bem amigo.....falai pracarambaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!! hahahahahahahaha!!!!!

Beijos

Vou nessa!

Alexandre  e Marta:

A discussão de vocês tem sido bastante elucidativa. Os dois exemplos citados são bastante esclarecedores e não podemos esquecer que entre um e outro existe uma gama infinita de possibilidades.

No primeiro caso temos o médium que não se dispõe a evoluir moralmente, aí claro a qualidade das mensagens fica comprometida pelo tipo de companhia com quem ele anda (dize-me com quem andas e direi quem és) e mesmo que bons espíritos tenham a intenção de se comunicar através dele, a mensagem será distorcida, assim como tentar captar imagem de televisão sem uma boa antena. 

No segundo temos aquele que apesar de não ter estudo teórico (na vida atual) já tem a mediunidade pronta de outras encarnações ou do período entre encarnações. Bons espíritos serão atraídos pela atitude do médium, boas mensagens chegarão, mas talvez pudessem ser melhores com uma melhor capacitação teórica (???).

Em todos os casos não podemos esquecer que a mediunidade, bem como outras habilidades, faz parte do nosso ferramental escolhido no processo encarnatório para acelerar nosso progresso. Dessa forma é que devemos ter escolhido (ou aconselhado a escolher) o tipo de mediunidade (vidência, psicofonia, psicografia etc), a ambiência (família espírita, não espírita, acolhedora), se ostensiva ou ocasional etc.

Para mim a capacitação técnica com estudo e prática ao lado do desenvolvimento moral (ainda que não sejamos espíritos puros, precisamos ser bons espíritas como colocou Kardec no ESE) são as duas asas que precisamos para manter nosso voo equilibrado, sem turbulências.

Abraços

Adorei Raymundo!!!!!

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!