UM OBSESSOR EMBAIXO DA CAMA - Um interessante caso Real

        Naquela noite em que a sra. Zibia chegou ao Centro Espírita apresentava-se visivelmente tensa. Relatou que desde algum tempo vinha experimentando um zumbido muito estranho no ouvido esquerdo. Falara sobre isso com uma miga, novata em conhecimentos espíritas, e esta lhe informara sobre a possibilidade de influenciação espiritual ou, talvez, algum tipo de obsessão.

        Era uma segunda-feira, quando sra Zibia nos procurou, era também dia de Atendimento Fraterno em nossa Casa Espírita,  essa atividade realizamos a partir das 18.30h. até as 20 h. quando tem início a  palestra  dirigida ao público. Na ante-sala do Atendimento Fraterno permanece um (a) recepcionista para oferecer informações aos que ali chegam; na parede alguns avisos: "Desligue o celular"; "Silêncio também é prece"...

        A sra. Zibia aparentava uns quarenta anos, casada, dois filhos e de relacionamento conjugal satisfatório; estava, entretanto, profundamente preocupada pois desde que a sua amiga lhe falara sobre obsessão começou a ter pesadelos. Sonhara algumas vezes que havia um obsessor embaixo da sua cama, e também aumentara muito o ruído no ouvido esquerdo. Que fazer? interrogou. Antes mesmo da resposta vibrou o celular em sua bolsa. Desculpando-se, atendeu colando o celular  à orelha esquerda. Era e afilha adolescente, explicou depois, a qual informava que iria com algumas amigas até o "shoping"e voltaria logo.

        - Em que ponto havíamos interrompido o diálogo? perguntou.

        - No obsessor embaixo da cama;  falei.

        - Pois então, o que acha o senhor disso tudo?

        - Minha amiga, o que eu sei e o que ensinamos aqui no Centro Espírita é o que consta no Livro dos Médiuns resultado dos profundos estudos e pesquisas do professor Allan Kardec. A sra já leu esse livro?

        - Não, disse ela, o que andei lendo foi um romance da escritora a qual curiosamente tem o meu nome: Zibia Gasparetto. O livro era "O Futuro à Deus Pertence". Confesso que achei um pouco fantasioso, inclusive o título, pois acredito que o futuro somos nós que construimos. O que o sr. acha?

        - Concordo com a sra, em parte. Voltando, porém à Kardec e a questão das obsessões, no Livro dos Médiuns cap. XXIII, itens 237 até 254, Allan Kardec classifica as obsessões basicamente em três tipos: Obsessão simples, Fascinação e Subjugação. Ali encontramos que: "A obsessão simples verifica-se quando um Espírito malfazejo se impõe a um médium, intromete-se contra a sua vontade nas comunicações que ele recebe, e o impede de comunicar-se com outros Espíritos. Não se está obsedado pelo simples fato de ser enganado por um Espírito mentiroso, pois o melhor médium está sujeito a isso, sobretudo no início das suas atividades mediúnicas. A fascinação tem consequências mais graves. Trata-se de uma ilusão criada diretamente pelo Espírito no pensamento do médium e que paralisa a sua capacidade de julgar as comunicações. O Espírito consegue inspirar-lhe uma confiança cega, impedindo-o de ver a mistificação e de compreender o absurdo do que escreve. A ilusão chega ao ponto de levá-lo a considerar sublime a linguagem mais ridícula. (Nota do tradutor J. Herculano Pires: A fascinação se manifesta no meio espírita de maneira ardilosa através de uma avalanche de livros comprometedores, tanto psicografados como sugeridos a escritores vaidosos, ou por meio do envolvimento de pregadores e dirigentes de instituições que se consideram assistidos para criticarem a Doutrina e reformularem seus princípios).  A subjugação é o envolvimento que produz a paralização da vontade da vítima, fazendo-a agir malgrado seu. Esta se enontra, numa palavra,  sob verdadeiro jugo.  A subjugação pode ser moral ou corpórea. No primeiro caso o subjugado é levado a tomar decisões absurdas e comprometedoras que, por uma espécie de ilusão considera-as sensatas. No segundo caso, o Espírito age sobre os órgãos materiais, provocando movimentos involuntários. No médium escrevente produz uma necessidade incessante de escrever, mesmo nos momentos mais inoportunos. Vimos casos que na falta de caneta ou lápis, fingiam escrever com o dedo, onde quer que se encontrassem, mesmo nas ruas, escrevendo em portas e paredes. (pichadores?).

      -   Como vê, a sra não está inclusa em nenhum desses caso, dona Zibia.

       - Que faço então, senhor?

        - Inicialmente recomendo a sra. consultar com um bom profissional da saúde, um Otorrino, preferencialmente. Observei que a sra. ao telefonar encosta o aparelho no ouvido, e existem estudos indicando que essa prática, quando muito frequente, pode gerar distúrbios auditivos, o recomendável  é manter o celular, no mínimo, dois centímetros afastado da orelha.  Assista também  as palestras em nossa Casa Espírita depois receba passes ou fluidoterapia, como denominam alguns. Volte novamente daqui a quinze dias para fazermos uma avaliação.

        Passsado o período ei-la de volta. Fora ao Otorrino, este exigira uma série de exames laboratoriais e executara uma lavagem do ouvido (procedimento ambulatorial), pois havia execesso de cerume. O zumbido desaparecera completamente e os pesadelos, que eram quase diários: sumiram  também. Seu sono agora era profundo e reparador; acordando sempre muito bem disposta. Gostaria, disse ainda, de  estudar a Filosofia Espírita com mais profundidade. Estava gostando muito das palestras. Por onde começar? 

Recomendei que iniciasse  seus estudos pelo livro "O que é o Espiritsmo" e na sequência "O Livros dos Espíritos" e as demais obras básicas.

        Trinta dias depois encontrei a sra. Zibia, acompanhada dos filhos e o marido, participando ativamente dos Grupos de Estudo Sistematizado de Espiritismo.

        Hoje, Zibia é uma excelente colaboradora em várias atividades da nossa Casa Espírita. Será também escritora, algum dia?

Exibições: 1712

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de adão de araujo em 10 fevereiro 2014 às 13:03

Nós e que agradecemos por sua atenção amiga Nilza R. Ribeiro de Paiva Melo. abraços.

Comentário de nilza reis ribeiro de paiva melo em 9 fevereiro 2014 às 20:53

Muito esclarecedora mensagem Muito obrigada.

Comentário de adão de araujo em 9 fevereiro 2014 às 15:22
Muito grato por sua gentileza estimada amiga Ednamara Soares Xavier. Muita paz e amor para voce.
Comentário de ednamara soares xavier em 9 fevereiro 2014 às 11:11

muito bem orientada foi ela isso é ampliar o evangelho e dar  oportunidades para que outras pessoas possam discemina-lo também.Parabens pela postagem linda msg,muito construtiva.

Comentário de adão de araujo em 7 fevereiro 2014 às 12:56

Prezada amiga Theresa Antunes, gratíssimo por sua atenção. Abraço fraterno para você.

Comentário de adão de araujo em 7 fevereiro 2014 às 9:27
Carissima Isis Dugaich. Muito grato por sua gentileza. Paz e
Luz para voce.
Comentário de adão de araujo em 7 fevereiro 2014 às 9:24
Verdade amigo Ari TAVARES.Obsessao existe, mas, nem tudo pode ser definido como processo obsessivo. Muito grato pelo comentario.
Comentário de Ari Tavares em 7 fevereiro 2014 às 9:14

Muitos levam ao pé da letra a obsessão, nem sempre é assim, devemos ter cautela antes de tudo!

Comentário de Isis Dugaich em 7 fevereiro 2014 às 3:16

querido amigo fiquei bastante contente com o seu caso... pois me elucidou bastante sobre alguns fatos que tambem me afligiam... agora ja me sinto mais tranquila... obrigada, paz e luz!! bjs!

Comentário de adão de araujo em 6 fevereiro 2014 às 19:29

Oi amiga Sueli Rodrigues. Grato pela leitura. Abraços.

© 2017   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!