DEPOIMENTOS DE SUICIDAS - Mesmo desiludidos, é preciso viver. No Hospital de Maria, no Plano Espiritual...

Não existe olhar mais tristonho que o de remorsos, e por ali era só o que víamos. Aproximei-me de uma jovem que se havia atirado do alto de um edifício. Ela caminhava devagar; observando-a, pareceu-me estranha: era como se ela fosse de porcelana e houvesse trincado. Nas partes em que sofrera fratura no corpo físico, apresentava, ainda, dificuldade de movimentos.

Sorri. Meio envergonhada, retribuiu-me o sorriso, iniciando a conversação:
- És suicida?
- Não, não sou. Aqui me encontro em estudo.
Com triste expressão, falou:
- Deve ser muito bom vir até aqui na condição de estudante.
- Por que se suicidou?
- Fui abandonada pelo namorado e julguei que sem ele não suportaria viver.
- Irmã, há quanto tempo isso aconteceu?
- Há dez anos. O remorso me corrói o espírito. Muitas vezes me apalpo, procurando em mim algo que possa interromper a vida. Parece-me que desde aquele terrível dia jamais minha mente cessou de trabalhar; é um desespero constante. Por mais que eu receba ajuda, sinto-me consciente a cada momento do meu gesto impensado.
Como é mesmo o teu nome?
- Luiz Sérgio falei, estendendo minha mão em sinal de sincera amizade.
- Luiz Sérgio, não sei por que não existe na Terra campanhas de esclarecimento sobre o suicídio.
Fala-se tanto em aborto, em assassinato, em furto, mas ninguém se lembra de alertar sobre o pior dos crimes. Vamos até o jardim, sinto-me ainda muito cansada, lá saberás tudo.
Bem alojados sob um belo caramanchão florido, esperei pacientemente que ela iniciasse o relato:
- Tinha eu quinze anos quando conheci Alexandre. Foi amor à primeira vista: apaixonamo-nos, um pelo outro. Inebriante, entregamos-nos intimamente e, quando percebi, eu não era mais a querida namorada e sim a mulher da qual ele vinha se cansando. Fui ficando ciumenta, desesperada, insegura, e as minhas reclamações o cansavam cada vez mais. Um dia ameacei-o de contar tudo a meu pai. Olhando- me firmemente, redarguiu: Não foste forte e cuca livre para assumir um caso? Então, tem agora dignidade pra compreender que tudo acabou. Foi belo enquanto durou. Nem podes, Luiz, imaginar o que me aconteceu.

Ele tinha razão: eu não estava preparada para uma entrega tão íntima. Qualquer mulher, quando chega a uma situação como essa, precisa estar despojada de preconceitos e eu sempre sonhara entrar de braços dados com meu pai em uma igreja florida e o meu príncipe me esperando no altar com o olhar de homem apaixonado.
- Então, por que você iniciou essa aventura?
- Paixão e falta de coragem para negar.
- Mas hoje, Lucy, as menininhas estão indo nessa e, muitas se casando apenas por casar. Nem sempre a orientação sobre liberdade é a correta e assim vários jovens estão se vendo presos em uma rede de remorsos. Mas e depois? Conte minha irmã, eu a interrompi.

- Alexandre começou a me evitar. Bastava eu chegar onde ele estivesse, para que se retirasse. Um dia fui procurá-lo em sua casa e lá encontrei uma jovem de minha idade, que me foi apresentada como sua noiva. Abafei um grito em meu peito, tal a minha dor. Quando de lá saí, só desejava morrer. Chegando a casa, tomei a decisão e saltei, à procura da morte. Mas ela não existe e me vi estirada, toda moída, lá no asfalto. Perdi a noção do tempo; lembro-me apenas que uma velhinha sempre ficava ao meu lado, dando-me forca através da prece: era minha avozinha. Muitas vezes desejei levantar, mas podes imaginar alguém todo quebrado? Assim era a minha realidade. Pensei demais, ate que um dia minha avó ajudou-me a me erguer e, com dificuldade, conseguimos dali sair, chegando até um centro espírita. Graças às preces aos suicidas, recebemos um cartão que nos permitia um tratamento na própria casa. O meu sofrimento só cessaria quando eu tivesse setenta e cinco anos, época em que estava programado o meu desencarne natural.

- Irmã, por que tudo isso? Temos presenciado suicidas já conscientes, que não padeceram tanto.
- Luiz, muitos aprenderam a desencarnar, e depois, cada caso é um caso.
- E daí, Lucy? Pode continuar…
- Sim, faz-me muito bem recordar, principalmente os tratamentos nos grupos especializados. Ah, isso é ótimo! Gostaria de relatar. Éramos levados até o grupo mediúnico, pois que internados nos encontrávamos naquele Centro. Quando entrávamos na sala, muitos sentiam o odor forte, nós, principalmente, éramos atormentados com o cheiro dos nossos próprios corpos putrificados e, muitas vezes, tínhamos a impressão de que os vermes nos corroíam. O grupo mediúnico que prestava auxilio era composto de pessoas muito equilibradas, já que nós nos perdêramos por fraqueza. Não podes imaginar o alivio que experimentava o espírito de um suicida ao contato com um médium amoroso. Quando o mentor nos aproximava do médium, era como se o nosso espírito adormecesse, anestesiado pelos fluídos bons do encarnado, afastando-se de nós aquela desagradável sensação que vínhamos experimentando desde o instante do ato impensado. Muitos choravam quando eram retirados de juntos do médium; era como se nos tirassem o oxigênio.
Luiz Sérgio existe tão poucos grupos que prestam ajuda aos suicidas! Para esses grupos, não são necessários médiuns de psicofonia, pois muitas vezes o suicida não deseja falar, almeja, apenas, deixar de sentir o desespero. Enganam-se aqueles que organizam grupo de auxilio ao suicida, somente com os chamados médiuns de incorporação. Os encarregados devem aproveitar aqueles que são ótimos auxiliares do Cristo, mas ainda esquecidos na Doutrina, os médiuns doadores. Só o contato do doente com um médium equilibrado já o beneficia. E ali, Luiz Sérgio, permaneci muitos meses, até que um dia fui trazida até aqui, onde já me sinto curada. Sei, entretanto, que levarei de volta, quando reencarnar, um corpo doente, porque eu mesma o destruí e só o meu coração regenerado poderá curar-me.

Esforçava-se para não chorar. Segurei a mão de Lucy e, com os olhos orvalhados de lágrimas, falei-lhe:
- Minha querida irmã, jamais a esquecerei; sempre que eu puder, virei revê-la. Você representa também para mim uma mão estendida. Mão esta que precisou ser marcada pela dor, para voltar à vida.
- Obrigada, Luiz Sérgio, fico contente por ter-te conhecido. És muito bacana; a tua alegria me fez lembrar o passado, quando eu sonhava em ser feliz.
- Sonhava não, Lucy, sonha, porque como diz Ocaj: Não assassinemos as nossas realidades para não distanciarmos nossos sonhos.

Ela me fitou e pela primeira vez vi a esperança naqueles belos olhos azuis. Apertando bem forte sua mão, despedi-me. Caminhei, pensando: Deus, como sois poderoso em tão bem nos compreender. Se hoje nada desejamos, amanhã, em busca de algo nos encontraremos e assim, Pai, ides compreendendo as nossas fraquezas e não nos ofertando por ofertar e sim, quando já adultos, soubermos o que desejamos. Hoje, Senhor, peço-Vos por todos aqueles que vivem duras e cruéis realidades e estão em vias de deixar tudo para trás através do suicídio.
Fortalecei, Senhor, os Seus protetores para que possam segurar bem firme essas almas em desespero.

Que estas linhas possam chegar às mãos de todos aqueles que desesperados se encontram e que eles saibam que deste lado do horizonte existe alguém que todos os dias pede a Deus muita paz e muito amor para todos os seus irmãos.
Eu amos todos vocês, meus queridos amigos.


              Luiz Sérgio, Livro Mãos Estendidas, cap. V, pág. 29.

Exibições: 1293

Tags: Suicídio

Comentar

Você precisa ser um membro de Espirit book para adicionar comentários!

Entrar em Espirit book

Comentário de Luiz Carlos Albuquerque em 23 novembro 2012 às 15:48

Também não entendo a falta de esforço dos governos para erradicar o suicídio...

Eu acho que é justamente pela ignorância a respeito da imortalidade so espírito.

Pensando como o governo: INICIO
Os governos são muito práticos, ou seja, são mais racionais do que sentimentais.
Logo, as consequências de um suicídio não são tão graves na prática pois a pessoa simplesmente some.
O pior caso é se a vítima é o mantenedor financeiro da família.
Se não for o mantenedor entãos os impactos serão apenas sentimentais e apenas para alguns.
Já, por exemplo, o homicídio, que é mais explícitamente combatido e que também tem as mesmas consequências do suicídio (relembrando que estou pensando como os governantes pensam) ainda traz o agravante de que existe um assassino e que este deve ser preso, senão ele pode matar mais alguém.
Outro exemplo que também é mais diretamente combatido, o tráfico e as drogas, as vezes causam a morte do viciado, porém esta já é, as vezes, prevista. É mais combatido com pamanhas e tudo também porque há consequências mais práticas como aumento da violência.
Pensando como o governo: FIM

O suicídio é tão grave, mas tão grave, que por causa de alguns segundos (tempo para se decidir consumar o ato) uma ou mais vidas da própria vítima fica comprometida, pois o suicida reencarna geralmente com as consequências do seu ato.
Por exemplo: o nascimento deformado ou com partes muito fragilizadas.

O impressionante é que bastam alguns segundos para arcar com muitos e muitos anos de consequências.

Acho que esta aparente desproporção de Causa X Efeito se dá para fazer a vítima valorizar muito mais a vida, ou seja, para que não cometa suicídio novamente em hipótese alguma.

Outra observação que faço é que o único motivo do suicídio é a FALTA DE AMOR, ou da própria pessoa, ou dos outros para com ela.

Infelizmente no nível moral que nos encontramos, onde a frieza de sentimento ainda é muito forte, muitos ainda cairão neste precipício.

O que fazer? Oremos aos possíveis suicidas "Fortalecei, Senhor, os Seus protetores para que possam segurar bem firme essas almas em desespero."

Comentário de claudie lopes em 30 outubro 2012 às 20:21

Querida Ana Beatriz, todos somos resgatados...a misericórdia divina abraça todos, sempre. Continue orando por ela...a oração alivia as dores e traz a esperança do recomeço...

Tenha sempre pensamentos bons para ela, para que onde quer que esteja, possa estar trabalhando para sua autorrecuperação. 

Um grande abraço, e muita luz!

Comentário de Ana Beatriz da Silva Tavares em 30 outubro 2012 às 20:01

Que mensagem de luta, amor e resignação. Tenho uma tia que se suicidou, oro sempre por ela. Espero que tb tenha conseguido se encontrar. ..

Comentário de lidice castelani lima dos anjos em 29 outubro 2012 às 20:22

maravilhoso relato, ele nos esclarece que a vida  continua ,mesmo depois do desencarne mesmo como um suicida e as vezes muito dolorosa. , Muita LUZ e PAZ aos todos .

Comentário de APARECIDA MARLENE LEITE em 29 outubro 2012 às 16:35

Não é fácil o desencarne para  um suicida.

Devemos orar por eles.

Comentário de claudie lopes em 29 outubro 2012 às 12:04

Queridos....o maior mal que um suicida faz, é a si mesmo. Pode passar muitos anos sofrendo e revivendo o momento da morte, a maneira pela qual morreu...Entretanto, este sofrimento não é pra sempre...e tb não é em vão (não é punição), é tempo valioso de aprendizado e expiação...

Ninguém está desamparado, Deus não esquece um só de seus filhos. No momento certo, o infeliz suicida será socorrido e amparado. Será tratado e orientado sobre as consequências de seu ato.

Deve ser encarado, por nós, com muito amor e carinho...O melhor que podemos fazer, é ter pensamentos de amor, enviando-lhe luz e harmonia....A oração é um lenitivo poderoso...Auxilia a quem faz, e traz imenso alívio das angústias e dores morais do sofredor...

A nós, cabe divulgar ao maior número de pessoas que pudermos, o enorme prejuízo que o suicídio acarreta, não só ao suicida, mas pela marca que deixa em toda a família...

Com certeza, o conhecimento liberta; façamos a nossa parte esclarecendo tantos quanto pudermos...

 

Trago a sugestão de um livro sobre o assunto, cujos relatos são muito fortes. Leiam, apenas, se já tiverem condições para isso.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mem%C3%B3rias_de_um_Suicida

O Ceu e o Inferno tb elucida várias questões sobre esse tema..

Um grande abraço a todos!!

 

P.S: cristiano araripe costa lima, farei uma oração para nosso amigo André. Sugiro tb que coloque seu nome no Grupo de Orações, aqui no EB, e num centro espírita, se vc se sentir a vontade...

Comentário de O Arrebol Espírita em 29 outubro 2012 às 11:54

Jesus em suas palavras: "Na casa de meu pai há muitas moradas!", queria dizer: "No Universo há vários Mundos!". Talvez alguem confuso se pergunte:"Por que há vários mundos se o reino de Deus é um só?". O reino de Deus é perfeito: Ajustado, Equilibrado, Organizado, Harmonioso, Pacífico, Sem vícios ou qualquer tipo de Maudade (se assim não fosse não seria perfeito!), razão pela qual - por ora - ali não vivemos, uma vez que somos imperfeitos. Então Deus criou os vários mundos para servir de ESCOLA ESPIRITUAL para abrigo e aperfeiçoamento de suas criaturas. Nesses Mundos, que se diferem em sí e entre sí, Deus nos disponibiliza todos os meios para o nosso Desenvolvimento Moral, objetivo maior da vida! Riquesa, Pobresa; Honra, Deshonra; Beleza, Feiura; Raça, Sexo, enfim, todos os poderes e misérias farão parte de nossa caminhada rumo a perfeição. Portanto, usar de forma errada esses poderes (com orgulho, egoismo, prepotencia, arrogancia e etc..) ou não suportar as misérias (blasfemando, se suicidando, reclamando, roubando e etc...) é prolongar nossa imperfeição e consequentemente nossos sofrimentos!

 

Facebook: https://www.facebook.com/#!/R.Santiago313

E-mail: rs51469@gmail.com

Comentário de cristiano araripe costa lima em 29 outubro 2012 às 11:35

UM GAROTO, TODO UM FUTURO, DA IDADE DO MEU FILHO QUE SE CHAMAVA ANDRÉ TAMBÉM, PEÇO-LHES A TODOS UMA GRANDE ORAÇÃO PARA ELE. SEU NOME "ANDRE CARRANZA" DE UM CORAÇÃO ENORME, SEMPRE AMIGUEIRO, CORDIAL, SIMPLES . TIVE A OPORTUNIDADE DE CORTAR SEU CABELO NO APARTAMENTO AO LADO DE SEUS AMIGOS. FICOU UM VAZIO MUITO GRANDE, POR MAIS QUE JESUS NÃO PERMITA ESTE TIPO DE CONDUTA (SUICIDA) ELE ERA UM GRANDE MENINO.

QUE DESCANSE EM PAZ QUERIDO AMIGO, IREMOS SEMPRE SENTIR SUA FALTA - QUE DEUS TE PERDOE E TE ABRACE JUNTO A ELE. SAUDADES. 

Comentário de ALEXSANDRA DOTTO em 29 outubro 2012 às 10:07

Sinto-me um ser humano privilegiado por ter acesso a tanto conhecimento! Poder contornar problemas de maneira mais segura...viver de uma forma intensa, saboreando com prazer as verdadeiras oportunidades oferecidas pela presente existência, delas tirando o máximo proveito. Quando leio uma história como a  de Lucy, percebo o que se quer dizer com a frase "A IGNORÂNCIA MATA!" Ela mata mesmo...da forma literal, mata o corpo físico...da forma abstrata, mata chances de crescimento! Que Deus nos dê a oportunidade de cruzarmos os caminhos de irmãos tão desesperados, especialmente enquanto vivos na esfera material, para que, com amor e caridade, possamos ajudá-los a serem mais fortes e, assim, consigam enfrentar seus problemas e seguir suas vidas sem medo...acreditando que, com certeza, o Sol irá brilhar logo ali!!

Comentário de Antonio Carlos Tronco em 29 outubro 2012 às 7:30

Texto redigido com muito amor,é só começar a ler e sentir o amor nos tocar a alma.Parabéns,escolhido a dedo.

DEUS, eterna misericórdia e compreensão,todos os instantes nos laçando bençãos,depende apenas de nós a procura pela felicidade;e essa felicidade tem nome; DEUS.

Que ele esteja sempre presente dentro de vossas almas.

 

Free counters!