Por Rosemeire Zago
 
"As pessoas procuram amor em todos os lugares, menos dentro delas mesmas". R.Z.

Como está sua autoestima? Pare um minuto e pense em quantas oportunidades perdeu porque acreditou que não conseguiria? A vida de quem não acredita em si mesmo é assim: medo, dúvida, vergonha, frustração, insegurança, culpa, insatisfação e confiança zero. Quando não nos sentimos capazes e nem conscientes de nosso valor, é como se algo nos impedisse de irmos adiante. Quando insistimos em agradar... e ainda assim somos maltratados, abandonados, quando amamos mais ao outro do que a nós mesmos, na verdade, está faltando autoestima. Muito se fala sobre autoestima, mas geralmente as pessoas confundem autoestima com falsos valores. Como há muita confusão sobre o tema, vamos refletir sobre alguns mitos e verdades sobre autoestima:

1. Cuidar da aparência, ir à academia, cabeleireiro, comprar roupas, quer dizer que minha autoestima está elevada.

Mito: 
Cuidar de si nem sempre quer dizer autoestima elevada. Assim como cirurgias plásticas, casamento, trabalho, dinheiro, carro, nada disso cria autoestima. Muito pelo contrário, quem precisa disso para ter valor, na verdade, só quer ser aceito por uma sociedade e uma mídia que "vendem" o que deseja que seja comprado. Pode demonstrar uma pessoa que tem necessidade da aprovação e reconhecimento das outras pessoas, buscando compensar algo que não sente ter internamente. Cuidar de si mesmo é um passo importante na conquista de uma autoestima elevada, mas não a determina. 

2. Autoestima elevada é o mesmo que vaidade.

 
Mito: Definitivamente não! Mas é comum as pessoas confundirem. Nem sempre quem cuida de sua imagem pessoal está com autoestima elevada. É uma ilusão acreditar que buscar fora pode elevar autoestima de uma pessoa. Autoestima vem de dentro e não de fora!

3. Mostrar-se superior aos outros é sinal de autoestima elevada.


Mito: 
Arrogância, orgulho, querer ser superior ao outro são apenas maneiras de diminuir o outro para se elevar, por que, na verdade, se sente inferior. Quem tem consciência de seu valor é acima de tudo humilde.

4. A dependência é uma característica da autoestima baixa.

Verdade: 
Quem sente ter recebido pouco amor na infância, enfrenta muitos vazios e carências. Passa a buscar preencher o vazio através da relação afetiva. Confunde carência com amor, e a carência leva a dependência. A independência é uma virtude da autoestima.

5. Quem se mostra sempre alegre, seguro, confiante, está com autoestima elevada.

Mito: 
Nem sempre. Quando a pessoa transmite segurança, valorização excessiva de si mesma, está sempre brincando, querendo ajudar, nem sempre corresponde à verdade. No fundo, pode esconder uma pessoa também sem amor-próprio, só que busca o reconhecimento e amor por outros caminhos. Pode transmitir uma imagem de total segurança, mas na verdade está apenas querendo ocultar uma autoestima bem frágil. 

6. Autoestima não muda; uma pessoa que está com baixa autoestima não pode fazer nada.

Mito: 
Autoestima oscila de acordo com as situações que vivenciamos. Por exemplo, se há uma situação de perda, seja de um trabalho ou de uma pessoa, a tendência é a autoestima ficar baixa. Autoestima é sempre uma questão de grau. Todos podem elevar sua autoestima.

7. Amar mais o outro que a si mesmo está relacionado com baixa autoestima.

Verdade: 
A falta de amor-próprio é sinal de muita carência, é a necessidade de amor, principalmente o amor por si mesmo. Autoestima + amor-próprio é a base para o ser humano.

8. A inveja pode ser um sinal de autoestima baixa.

Verdade: 
A inveja é uma das emoções mais primitivas. É o desejo em ter o que não lhe pertence, querer o que é do outro, ou ser o que o outro é. Há uma tendência a supervalorizar o outro com tudo que ele tem e desvalorizar o que se tem. A inveja geralmente surge do sentimento de sentir-se incapaz e inferior, percebendo o outro como tendo todos os atributos que acredita não ter. O pensamento de quem sente inveja, ainda que seja inconsciente é: "o outro é capaz de conseguir, eu não sou". 

9. Autoconhecimento eleva a autoestima.

Verdade: 
Autoestima está totalmente relacionada com autoconhecimento. Quanto mais você se conhecer mais conseguirá elevar a sua autoestima!

10. Autoestima elevada depende do reconhecimento e aprovação de outras pessoas.


Mito: Qualquer tipo de dependência é sinal de baixa autoestima, pois quanto mais dependemos do outro, seja na busca de reconhecimento e/ou aprovação, mais estamos valorizando a opinião de outras pessoas, nos permitindo ser manipulados, e mais vulneráveis e fragilizados nos tornamos. Quanto mais reconhecimento e aprovação buscamos, mais nossa autoestima estará baixa. O importante é o reconhecimento, não dos outros, mas principalmente de nós mesmos. Mas nem sempre as pessoas conseguem reconhecer os próprios méritos, pois desde pequenos somos incentivados a valorizar o que o outro fez, nunca o que fizemos; supervalorizamos o outro na mesma medida que nos desvalorizamos.

Rosemeire Zago é psicóloga clínica CRP 06/36.933-0, com abordagem junguiana e especialização em Psicossomática. Estudiosa de Alice Miller e Jung, aprofundou-se no ensaio: "A Psicologia do Arquétipo da Criança Interior" - 1940. A base de seu trabalho no atendimento individual de adultos é o resgate da autoestima e amor-próprio, com experiência no processo de reencontrar e cuidar da criança que foi vítima de abuso físico, psicológico e/ou sexual, e ainda hoje contamina a vida do adulto com suas dores.

Exibições: 526

Responder esta

Respostas a este tópico

Maravilhosa essa leitura. Obrigada!

       

             Excelente contribuição. Grata.

Responder à discussão

RSS

© 2017   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!