Diferenças entre Exoterismo e Esoterismo

Há certa tendência das pessoas não repararem a diferença existente entre as palavras Exotérico e Esotérico, pretendendo dar a ambas o mesmo significado.

Exoterismo vem do grego: exotéricos e, pelo latim: exotericu, que quer dizer: conhecimento passível de ser divulgado para o público. Relacionamos com externo, público e profano. Para passarmos de nível utilizamos as conversões.

Já Esoterismo vem do grego: esotericos, que quer dizer: conhecimento complexo e entendimento restrito a um círculo de especialistas. Relacionamos com interno, oculto e reservado. Para passarmos de nível utilizamos as iniciações.

Assim, Exotérico é tudo que se fala abertamente sobre: uma filosofia, uma corrente de pensamento, uma religião, etc., ou seja: todo ensinamento dado publicamente, sem reservas. É representado pelas grandes religiões: Cristianismo Popular – igreja católica, protestante, ortodoxa, etc., Budismo, Judaísmo, Islamismo, etc. É por isso que cada religião possui três elementos imprescindíveis:

  • Uma Doutrina sobre o Criador: de onde viemos, porque estamos aqui e para onde vamos;
  • Um conjunto de Rituais (ajudam a incorporar a Doutrina);
  • Um conjunto de Símbolos (ajudam a entender a verdade exposta na Doutrina e corporificada nos Rituais)

Como aprendemos nos Ensinamentos Rosacruzes: a religião Cristã é a mais elevada fornecida ao Ser Humano até o momento presente. Então, repudiar a religião Cristã, seja ela exotérica ou esotérica, por qualquer sistema antigo é como preferir livros científicos desatualizados ao invés dos mais novos que contém as mais recentes descobertas.

Da mesma forma, desprezar a crença nos ensinamentos da igreja relativa ao perdão dos pecados, ao poder salvador da fé e a eficácia da oração é um fator de atraso para o Aspirante à vida superior. Pois impelidos pela razão, muitos de nós afastamo-nos da igreja e tornamos as nossas vidas vazias. A saída é um retorno com renovada devoção nascida de uma compreensão mais profunda das verdades cósmicas.
Notemos isso quando entendemos a mensagem cristã que a Bíblia nos transmite e que conseguimos distinguir entre: o conteúdo essencial ("interior") – ensinamento esotérico e a forma estrutural ("exterior") – ensinamento exotérico.

A forma estrutural que aparece como religião sugere uma radiação exterior, um véu. E é com isso que externa os principais problemas: a pretensão de posse exclusiva da verdade; a rejeição das realidades iniciáticas; a fixação no dogmatismo; o conhecimento público que tende a sofrer modificações advindas das interpretações individuais.

Lembremo-nos do ensinamento de São Pedro: "Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal" (IIPe 1:20).

Também vemos que São Paulo formulou que as Escrituras cristãs nos fornecem dois "tipos" Evangelhos:
um exotérico (relacionado com a personalidade mundana): "Resolvi não saber coisa alguma, entre vós, senão Jesus Cristo, e este crucificado" (ICor 2:2) e outro esotérico (relacionado com a individualidade espiritual): "Não sabeis que sois templo de Deus?" (ICor 3:16).

Percebam: é o primeiro "tipo" que o Cristianismo Popular mais prega e divulga; mantém com o carácter que conhecemos e tem sido a tônica permanente da sua doutrina.

Por outro lado, vejam que o Cristianismo em si não é exclusivamente esotérico: é uma religião dada por Cristo para a salvação de todos e comunicável a todos!

Então, qual é origem e a necessidade que temos de experimentarmos o exoterismo e o esoterismo?

Nos Ensinamentos Rosacruzes nós temos a resposta e está é composta de duas partes.

A primeira parte é essencialmente a necessidade de sairmos da inconsciência total até a consciência total. No atual Esquema de Evolução conseguimos isso em quatro etapas bem definidas:

  • Etapa 1 - Ações feitas sobre nós de fora, enquanto permanecemos inconscientes;
  • Etapa 2 - Sob a direção de Mensageiros Divinos e Reis, a quem vemos e a cujas ordens obedecemos;
  • Etapa 3 - Ensinados a reverenciar as ordens de um Deus a quem não vemos com os olhos físicos
  • Etapa 4 - Aprendemos: a nos elevar sobre toda a ordem; a convertermos em uma lei em nós mesmos; viver voluntariamente em harmonia com a Lei de Deus

A segunda parte da resposta do porque precisamos experimentar o exoterismo está na necessidade de galgarmos os 4 graus que nos leva a Deus, quais sejam:

  • Primeiro Grau: Adoramos a Deus por meio do medo; começamos a presenti-Lo; fazemos sacrifícios para agrada-Lo (exemplo: fetichismo);
  • Segundo Grau: Vemos Deus como o "dador de tudo"; esperamos Dele benefícios materiais; cumprir as Leis desse Deus: prosperidade material; sacrificamos por avareza e intenções próprias;
  • Terceiro Grau: Adoramos a Deus com orações; cultivamos a fé num céu com recompensa futura através de um sacrifício próprio; caso contrário: castigo futuro em um inferno;
  • Quarto Grau: Agimos bem sem pensar em recompensas ou castigo; amamos o bem por ser o bem; vivemos uma vida de serviço amoroso e desinteressado.

Convido-o a fazer uma reflexão e determinar em qual Etapa e Grau: você se encontra hoje, se isso varia ao longo do seu dia, da sua vida. Se varia, para que Etapas e Graus? Você acha que deveria estar (sua meta e objetivo)? Termina o exoterismo e começa o esoterismo?

Fraternidade Rosacruz - Max Heindel

Centro Autorizado de Campinas

Exibições: 272

Responder esta

Respostas a este tópico

ótimo !!!

Responder à discussão

RSS

© 2017   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!