Diferenças entre Exoterismo e Esoterismo

Há certa tendência das pessoas não repararem a diferença existente entre as palavras Exotérico e Esotérico, pretendendo dar a ambas o mesmo significado.

Exoterismo vem do grego: exotéricos e, pelo latim: exotericu, que quer dizer: conhecimento passível de ser divulgado para o público. Relacionamos com externo, público e profano. Para passarmos de nível utilizamos as conversões.

Já Esoterismo vem do grego: esotericos, que quer dizer: conhecimento complexo e entendimento restrito a um círculo de especialistas. Relacionamos com interno, oculto e reservado. Para passarmos de nível utilizamos as iniciações.

Assim, Exotérico é tudo que se fala abertamente sobre: uma filosofia, uma corrente de pensamento, uma religião, etc., ou seja: todo ensinamento dado publicamente, sem reservas. É representado pelas grandes religiões: Cristianismo Popular – igreja católica, protestante, ortodoxa, etc., Budismo, Judaísmo, Islamismo, etc. É por isso que cada religião possui três elementos imprescindíveis:

  • Uma Doutrina sobre o Criador: de onde viemos, porque estamos aqui e para onde vamos;
  • Um conjunto de Rituais (ajudam a incorporar a Doutrina);
  • Um conjunto de Símbolos (ajudam a entender a verdade exposta na Doutrina e corporificada nos Rituais)

Como aprendemos nos Ensinamentos Rosacruzes: a religião Cristã é a mais elevada fornecida ao Ser Humano até o momento presente. Então, repudiar a religião Cristã, seja ela exotérica ou esotérica, por qualquer sistema antigo é como preferir livros científicos desatualizados ao invés dos mais novos que contém as mais recentes descobertas.

Da mesma forma, desprezar a crença nos ensinamentos da igreja relativa ao perdão dos pecados, ao poder salvador da fé e a eficácia da oração é um fator de atraso para o Aspirante à vida superior. Pois impelidos pela razão, muitos de nós afastamo-nos da igreja e tornamos as nossas vidas vazias. A saída é um retorno com renovada devoção nascida de uma compreensão mais profunda das verdades cósmicas.
Notemos isso quando entendemos a mensagem cristã que a Bíblia nos transmite e que conseguimos distinguir entre: o conteúdo essencial ("interior") – ensinamento esotérico e a forma estrutural ("exterior") – ensinamento exotérico.

A forma estrutural que aparece como religião sugere uma radiação exterior, um véu. E é com isso que externa os principais problemas: a pretensão de posse exclusiva da verdade; a rejeição das realidades iniciáticas; a fixação no dogmatismo; o conhecimento público que tende a sofrer modificações advindas das interpretações individuais.

Lembremo-nos do ensinamento de São Pedro: "Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal" (IIPe 1:20).

Também vemos que São Paulo formulou que as Escrituras cristãs nos fornecem dois "tipos" Evangelhos:
um exotérico (relacionado com a personalidade mundana): "Resolvi não saber coisa alguma, entre vós, senão Jesus Cristo, e este crucificado" (ICor 2:2) e outro esotérico (relacionado com a individualidade espiritual): "Não sabeis que sois templo de Deus?" (ICor 3:16).

Percebam: é o primeiro "tipo" que o Cristianismo Popular mais prega e divulga; mantém com o carácter que conhecemos e tem sido a tônica permanente da sua doutrina.

Por outro lado, vejam que o Cristianismo em si não é exclusivamente esotérico: é uma religião dada por Cristo para a salvação de todos e comunicável a todos!

Então, qual é origem e a necessidade que temos de experimentarmos o exoterismo e o esoterismo?

Nos Ensinamentos Rosacruzes nós temos a resposta e está é composta de duas partes.

A primeira parte é essencialmente a necessidade de sairmos da inconsciência total até a consciência total. No atual Esquema de Evolução conseguimos isso em quatro etapas bem definidas:

  • Etapa 1 - Ações feitas sobre nós de fora, enquanto permanecemos inconscientes;
  • Etapa 2 - Sob a direção de Mensageiros Divinos e Reis, a quem vemos e a cujas ordens obedecemos;
  • Etapa 3 - Ensinados a reverenciar as ordens de um Deus a quem não vemos com os olhos físicos
  • Etapa 4 - Aprendemos: a nos elevar sobre toda a ordem; a convertermos em uma lei em nós mesmos; viver voluntariamente em harmonia com a Lei de Deus

A segunda parte da resposta do porque precisamos experimentar o exoterismo está na necessidade de galgarmos os 4 graus que nos leva a Deus, quais sejam:

  • Primeiro Grau: Adoramos a Deus por meio do medo; começamos a presenti-Lo; fazemos sacrifícios para agrada-Lo (exemplo: fetichismo);
  • Segundo Grau: Vemos Deus como o "dador de tudo"; esperamos Dele benefícios materiais; cumprir as Leis desse Deus: prosperidade material; sacrificamos por avareza e intenções próprias;
  • Terceiro Grau: Adoramos a Deus com orações; cultivamos a fé num céu com recompensa futura através de um sacrifício próprio; caso contrário: castigo futuro em um inferno;
  • Quarto Grau: Agimos bem sem pensar em recompensas ou castigo; amamos o bem por ser o bem; vivemos uma vida de serviço amoroso e desinteressado.

Convido-o a fazer uma reflexão e determinar em qual Etapa e Grau: você se encontra hoje, se isso varia ao longo do seu dia, da sua vida. Se varia, para que Etapas e Graus? Você acha que deveria estar (sua meta e objetivo)? Termina o exoterismo e começa o esoterismo?

Fraternidade Rosacruz - Max Heindel

Centro Autorizado de Campinas

Exibições: 323

Responder esta

Respostas a este tópico

ótimo !!!

Eu sinto que passei da fase de ter medo de inferno (isto era quando eu era católico), agora sei que não existe condenação eterna, isto seria a maior aberração (Deus todo poderoso, amor infinito por TODOS, quer que TODOS se salvem, mas ALGUNS vão ser condenados? Ridículo). O objetivo de fazer o bem é porque é o que deve ser feito, além de que a gente colabora para progredir mais rápido (os outros e a própria pessoa), mesmo assim tenho muito o que aprender.

Em síntese, cada ser humano é uma Mônada que está ligada a um dos sete Raios cósmicos solares, os quais se dividem em sete grandes grupos, que comportam cada um sete subgrupos. Cada subgrupo, por sua vez, comporta inumeráveis grupos menores, e, dentro destes, as Individualidades distribuem-se com caracteristicas psicológicas marcantes.

É assim que para cada temperamento humano reconhece-se existir uma via que parece ser a mais desejável. O universo é uma grande sinfonia onde todas as notas musicais, bemóis e sustenidos são necessários para a sua composição e harmonia.  

Do fetichismo primitivo ao conhecimento esotérico, passando pela fase intermediária do culto externo, a multiplicidade de religiões ajusta-se à psicologia de cada povo. Não há, porém, religião maior que a Verdade. O sectarismo surge de interpretações tendenciosas e desejo de hegemonia.

Quando, por fim, após inúmeras refregas, a Alma desperta de sua longa letargia espiritual e principia a descerrar o véu que encobre os grandes mistérios da Criação, então esta será a única Religião que passa a existir para ela.

Quando entorpecida na Matéria ou na indiferença, não pode ver nem ouvir, sendo-lhe útil nesta situação as exortações e admoestações contidas nos provérbios e ensinamentos exotéricos.

Quando a seu tempo desperta e sente fome e sede do eterno, deve alimentar-se e dessedentar-se nos inesgotáveis mananciais esotéricos. Enquanto isto não acontece, é prudente não se dar aos cães o que é santo e nem se atirar pérolas aos porcos. Por dois motivos:  podem dilacerar o doador ou endurecerem-se espiritualmente.  

/ 0 \

Responder à discussão

RSS

© 2018   Criado por Henrique.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço

Free counters!